O poder da linguagem no trabalho de campo da pesquisa social

Autores

  • Cícero José Alves Soares Neto Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v2n3a1987-2075

Palavras-chave:

Poder, Linguagem, Social, Trabalho, Pesquisa social

Resumo

Este artigo visa refletir acerca da questão do poder da linguagem na investigação social. Abordará o desempenho do pesquisador no seu trabalho de campo, através do seu código. Tenciona-se, por conseguinte, desmistificar o poder do código do entrevistador e, então, evidenciar a linguagem como instrumento de trabalho na sua prática investigatória. Assim, segundo John Beattie, "a linguagem tem assumido sua atual importância no trabalho de campo, pois povos diferentes possuem diferentes modos de conceptualizar seu universo físico e social, e os conceitos só podem ser compreendidos e comunicados através da linguagem". Objetiva-se repensar teoricamente uma certa prática e, dar, com um instrumental teórico reelaborado se possa demonstrar que "um pesquisador não pode ser improvisado; é preparado por um longo e penoso treinamento, que começa na escola mas nunca tem fim ceno". Ou seja, é imprescindível combinar prática-teoria-prática para "explicitar, sempre que possível, o modo como foi conduzido o trabalho de campo". [...]

Palavras-chave: Poder; Linguagem; Social; Trabalho; Pesquisa social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cícero José Alves Soares Neto, Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Referências

BEATTIE, John. Introdução à Antropologia Social: objetivos, métodos e realizações da Antropologia Social. 2 ed. São Paulo, Nacional, 1977.

CIOCOUREL, Aaron. Teoria e método em pesquisa de campo. In: ZALUAR, Alba. Desvendando máscaras sociais. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1975.p. 87-121

CORRÊA, Carlos Humberto P. História oral: Teoria e Técnica. Florianópolis, UFSC, 1978. 91 p. (Ensaios Catarinenses)

FERNANDES, Florestan. Fundamentos empíricos da explicação sociológica. 3. ed. São Paulo, Livros Técnicos e Científicos, 1978. 345 p.

FROTA, Luciara S. de Aragão e. O documento oral e algumas de suas fontes. Cadernos CERU/USP, São Paulo, 16.63-68, 1981.

FROTA, Luciara S. de Aragão e. Documentação oral e a temática da seca: Estudos Brasília, Centro Gráfico do Senado Federal, 1985.348 p.

HAGUEITE, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na Sociologia. Trópolis Vozes, 1987. 163p.

NOGUEIRA, Oracy. Pesquisa social: Introdução às suas Técnicas. 4. ed. São Paulo, Nacional, 1977. 209 p. (Biblioteca Universitária, Série 29, Ciências Sociais, v. 26)

NUNES, Édson de Oliveira. Pequena Introdução à aventura Sociológica. In: NUNES, E. de O. (org.) A aventura sociológica: objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro, Zahar, 1978. p. 9-18

SALEM, Tania. Entrevistando Famílias: notas sobre o trabalho de campo. In: NUNES, E. de O. (org.) A aventura sociológica. Rio de Janeiro, Zahar, 1978. p. 47-64

SOARES NETO, Cícero J. Alves. O Seridó e "Os votos de porteira batida": Um estudo monográfico sobre o coronelismo no Rio Grande do Norte. Dissertação de mestrado defendida no IFCH, Departamento de Ciências Sociais, na Sociologia, em 1984. 181 p.

BEAITIE, John. Introdução à Antropologia Social: objetivos, métodos e realizações da Antropologia Social. 2 ed. São Paulo, Nacional, 1977.

CICOUREL, Aaron. Teoria e método em pesquisa de campo. In: ZALUAR, Alba. Desvendando máscaras sociais. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1975. p. 87-121

CORRÊA, Carlos Humberto P. História oral: Teoria e Técnica. Florianópolis, UFSC, 1978. 91 p. (Ensaios Catarinenses)

FERNANDES, Florestan. Fundamentos empíricos da explicação sociólogica 3. ed. São Paulo, Livros Técnicos e Científicos, 1978. 345 p.

FROTA, Luciara S. de Aragão e. O documento oral e algumas de suas fontes. Cadernos CERU/USP, São Paulo, 16:63-68, 1981.

FROTA, Luciara S. de Aragão e. Documentação oral e a temática da seca: Estudos Brasília,Centro Gráfico do Senado Federal, 1985. 348 p.

HAGUETTE, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na Sociologia. Petrópolis, Vozes, 1987. 163p.

NOGUEIRA, Oracy. Pesquisa social: Introdução às suas Técnicas. 4. ed. São Paulo, Nacional, 1977. 209 p. (Biblioteca Universitária, Série 29, Ciências Sociais, v. 26)

NUNES, Édson de Oliveira. Pequena Introdução à aventura Sociológica. In: NUNES, E. de O. (org.) A aventura sociológica: objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro, Zahar, 1978. p. 9-18

SALEM, Tania. Entrevistando Famílias: notas sobre o trabalho de campo. In: NUNES, E. de O. (org.) A aventura sociológica. Rio de Janeiro, Zahar, 1978. p. 47-64

SOARES NETO, Cícero J. Alves. O Seridó e "Os votos de porteira batida": Um estudo monográfico sobre o coronelismo no Rio Grande do Norte. Dissertação de mestrado defendida no IFCH, Departamento de Ciências Sociais, na Sociologia, em 1984. 181 p.

THIOLLENT, Michel. Critica metodológica, investigação social e enquete operária. 2. ed., São Paulo, Polis, 1981. 270 p. (Coieçäo Teoria e História, 6)

VELHO, Gilberto. Observando o familiar. In: NUNES, E. de O. (org.) A aventura sociológica: objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de

Janeiro, Zahar, 1978. p. 36-46

Downloads

Publicado

2009-06-05

Como Citar

SOARES NETO, C. J. A. O poder da linguagem no trabalho de campo da pesquisa social . Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 2, n. 3, p. 97–104, 2009. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v2n3a1987-2075. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/2075. Acesso em: 3 mar. 2024.