Biblioteconomia, filosofia da informação e epistemologia social. Notas para uma possível discussão entre Floridi e Habermas.

Autores

  • Antônio Saturnino Braga Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v27n53a2013-p453a476

Palavras-chave:

Filosofia e Biblioteconomia, Epistemologia Social

Resumo

*Doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor de Filosofia no Departamento de Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e no Programa de Pós-Graduação em Lógica e Metafísica (PPGLM) da UFRJ.

Biblioteconomia, filosofia da informação e epistemologia social. Notas para uma possível discussão entre Floridi e Habermas.

Resumo: Em dois artigos dedicados à discussão dos fundamentos conceituais da biblioteconomia, Luciano Floridi distingue três possíveis sentidos da noção de epistemologia social: sociologia do conhecimento (de caráter descritivo), abordagem clássica da teoria filosófica do conhecimento social (entendido como conhecimento que envolve relações epistêmicas entre diversos indivíduos), e abordagem revolucionária (construtivista) deste último tipo de teoria. Floridi procura demonstrar que tanto a sociologia do conhecimento quanto as teorias filosóficas do conhecimento são inadequadas para o papel de fundamento conceitual da biblioteconomia, defendendo a tese de que este papel deve ser ocupado por uma "filosofia da informação". O objetivo central deste trabalho consiste em mostrar que o argumento de Floridi a respeito do caráter prescritivo da teoria filosófica do conhecimento pode ser adequadamente respondido por uma interpretação habermasiana da abordagem construtivista deste tipo de teoria.

Biblioteconomia, filosofia da informação e epistemologia social. Notas para uma possível discussão entre Floridi e Habermas.

Abstract: In two papers dedicated to the discussion of the conceptual foundation for library science, Luciano Floridi distinguishes three possible meanings of the concept of social epistemology: sociology of knowledge (of descriptive nature), classic approach to the philosophical theory of social knowledge (defined as knowledge which involves epistemic relations between many individuals) and revolutionary (constructivist) approach to this last kind of theory. Floridi seeks to demonstrate that neither the sociology of knowledge nor the philosophical theories of knowledge are adequate for the role of conceptual foundation of library science, defending the thesis that this role should be played by a "philosophy of information". The essential aim of this paper is to show that Floridi's argument concerning the prescriptive character of the philosophical theory of knowledge can be adequately answered by a habermasian interpretation of the constructivist approach to this kind of theory.

Keywords: Philosophy and library science. Social epistemology. Floridi. Habermas.

Data de registro:05/06/2012

Data de aceite:31/10/2012

Referências:

FLORIDI, Luciano. On defining library and information science as applied philosophy of information. Social epistemology,Londres, v. 16, n. 1, p. 37-49, Jan. 2002.

______. Information. In: FLORIDI, L. (Ed.). The blackwell guide to the philosophy of computing and information. Oxford: Blackwell, 2003. p.40-61.

______. Biblioteconomia e ciência da informação (BCI) como filosofia da informação aplicada: uma reavaliação. Tradução de Solange Puntel Mostafa e Denise Viuniski da Nova Cruz. InCID: R. Ci. Inf. e Doc., Ribeirão Preto, v. 1, n. 2, p. 37-47, 2010.

______. Semantic conceptions of information. Stanford encyclopedia of philosophy.2005. Disponível em: <http://plato.stanford.edu/entries/information-semantic/>. Acesso em: 10 Jan. 2012.

GOLDMAN, Alvin. Social epistemology. Stanford encyclopedia of philosophy.2006 Disponível em: <http://plato.stanford.edu/entries/epistemology-social>. Acesso em: 20 Jan. 2012.

HABERMAS, Jürgen. Knowledge and human interests.Tradução de Jeremy Shapiro. Boston: Beacon Press, 1971.

______. ?Qué significa pragmática universal? In. ______. Teoría de la acción comunicativa: complementos y estudios previos.Tradução de Manuel Jiménez Redondo. Madrid: Cátedra, 1989. p. 299-368.

______. A Reply. In: HONNETH, A.; JOAS, H. (Ed.). Communicative action:Essays on Jürgen Habermas's 'The theory of communicative action'. Tradução de Jeremy Gaines e Doris Jones. Massachusetts: MIT Press, 1991. p. 214-264.

______. Verdade e justificação.Tradução de Milton Camargo Mota. São Paulo: Loyola, 2004.

KUHN, Thomas. A estrutura das revoluções científicas. Tradução de Beatriz Vianna Boeira e Nelson Boeira. São Paulo: Perspectiva, 2000.

McCARTHY, Thomas. The critical theory of Jürgen Habermas. Massachusetts: MIT Press, 1981

MORIN, Edgar. O método-A natureza da natureza.Tradução de Ilana Heineberg. Porto Alegre: Sulina, 2008.

VREEKEN, Arjan. The history of information: lessons for information management. Sprouts: working papers on information systems,v. 5, n. 2. 2005. Disponível em: <http://sprouts.aisnet.org/5-2>. Acesso em: 30 Jan. 2012.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Saturnino Braga, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Professor de filosofia do departamento de administração da UFRJ e do PPGLM (Programa de Pós-Graduação Lógica e Metafísica) da UFRJ.

Downloads

Publicado

2013-07-16

Como Citar

Braga, A. S. (2013). Biblioteconomia, filosofia da informação e epistemologia social. Notas para uma possível discussão entre Floridi e Habermas. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 27(54), 453–476. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v27n53a2013-p453a476