CONTRIBUIÇÕES DA CULTURA, IMAGINAÇÃO E ARTE PARA A FORMAÇÃO DOCENTE

Autores

  • Célia Maria de Castro Universidade de Uberaba (Uberaba, MG, Brasil)
  • Marcel Mano Universidade Federal de Uberlândia (Uberlândia, MG, Brasil)
  • Sueli Ferreira Universidade Estadual de Campinas (Campinas, SP, Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v25n50a2011-06

Palavras-chave:

Formação docente. Formação estética. Currículo. Cultura. Imaginação.

Resumo

* Doutora em Educação. Professora do Programa de Pós Graduação em Educação - Universidade de Uberaba (UNIUBE)

** Doutor em Ciências Sociais. Professor do Instituto de Ciências Sociais da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

*** Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Contribuições da cultura, imaginação e arte para a formação docente

Resumo: Neste trabalho refletimos acerca das relações entre cultura, imaginação, arte e formação docente. Ao compreender o currículo escolar como artefato sociocultural, inferimos que as diferentes práticas culturais vivenciadas pelos professores fora da escola também constituem os saberes docentes. Nesta perspectiva, enfocamos resultados de pesquisas que discutem hábitos e frequência de professores da educação básica relacionados a espaços expositivos de artes visuais, espetáculos de dança e teatro, concertose cinema, e os fatores (materiais e imateriais) que dificultam a precária inserção de docentes no circuito organizado da arte. Sem a pretensão de indicarmos soluções para temáticas tão complexas, apontamos a formação estética como fundamental à prática pedagógica e propomos uma reflexão sobre questões ainda pouco exploradas nos estudos sobre formação de professores para a educação básica.

Palavras-chave: Formação docente. Formação estética. Currículo. Cultura. Imaginação.

Abstract: In this paper we reflect on the relationships among culture, imagination, art and educational formation. Understanding the school curriculum as a sociocultural artifact, we infer that the different cultural practices experienced by the teachers out of the school environment also constitute educational knowledge. From this perspective, we focus on results of researches that discuss the habits and the frequency to which teachers of basic education get exposed to visual art exhibitions, dance shows, theater, concerts and movies, and the factors (material and non-material) that hinder the precarious insertion of teachers in the organized circuit of the arts. Without the pretension of indicating solutions for such complex themes, we are pointing out aesthetic formation as fundamental to the pedagogical practice, and we propose a reflection on subjects still little explored in the studies about teachers' formation for the basic education.

Keywords: Educational formation. Aesthetic formation. Curriculum. Culture. Imagination.

Referências:

ALMEIDA, C. M. C. et al. Relatório Científico Final encaminhado ao CNPq. Uberaba: Conselho Nacional de Pesquisa, 2007. 147 p. Relatório de pesquisa.

BOURDIEU, P. Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

CAIADO, A. S. da C. O espaço da cultura; guia cultural do Estado de São Paulo. São Paulo em Perspectiva, v. 15, n.2, p. 55-65, abr./jun. 2001.

CANCLINI, N. G. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da globalização. São Paulo: Edusp, 2000.

CASTELLS, M. A era da informação: economia, sociedade e cultura, vol 2. O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

FORQUIN, J. C. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

GARCIA, R. L. (Org.). Múltiplas linguagens na escola. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

HALL, S. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, n.2, p. 15-46,jul./dez. 1997.

IMBERNÓN, F. La formación del profesorado. Barcelona: Paidós, 1994.

KINCHELOE, J. L. A formação do professor como compromisso político: mapeando o pós-moderno. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

KRAMER, S. Por entre as pedras: arma e sonho na escola. 3. ed. São Paulo: Ãtica, 1998.

KROEBER, A L. The nature of culture. Chicago: Chicago University Press, 1952.

LEAKEY, R. A origem da espécie humana. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.

LÉVI-STRAUSS, C. Totemismo hoje. Petrópolis: Vozes, 1975.

NOGUEIRA, M. A. Formação cultural de professores ou a arte da fuga. Goiânia: Editora UFG, 2008.

ROUANET, S. P. As razões do Iluminismo. São Paulo: Cia das Letras, 1999.

SAHLINS, M. Ilhas de história. Rio de Janeiro: Zahar, 1990.

SILVA, T. T. da. Documentos de identidade. Uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

STANDFORD, C. Como nos tornamos humanos. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

THOMAZ, O. R. A antropologia e o mundo contemporâneo: cultura e diversidade. In: GRUPIONI, L. D. B.; SILVA, A. L. da (Org.). A temática indígena na escola: novos subsídios para professores de 1o e 2º graus. Brasília: MEC/MARI/UNESCO, 1995.

TYLOR, E. Primitive culture. New York: Henry Holt, 1871. v.2. Pesquisa Nacional unesco. Perfil dos professores brasileiros: o que fazem, o que pensam, o que almejam. São Paulo: Moderna, 2004.

VIGOSKII, L. S. La imaginación y el arte en la infancia. Madrid: Akal, 1982.

VYGOT SKY, L. S. Psicologia e Pedagogia. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

Data de Registro: 20/01/2009

Data de Aceite: 18/08/2010

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Célia Maria de Castro, Universidade de Uberaba (Uberaba, MG, Brasil)

Downloads

Como Citar

Castro, C. M. de, Mano, M., & Ferreira, S. (2011). CONTRIBUIÇÕES DA CULTURA, IMAGINAÇÃO E ARTE PARA A FORMAÇÃO DOCENTE. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 25(50), 539–556. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v25n50a2011-06