SOCIEDADE PÓS-LITERÁRIA E OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO MORAL

Autores

  • Luciano Campos dos Santos Universidade Estadual de Campinas (Campinas, SP, Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v25n49a2011-13

Palavras-chave:

Humanismo. Pós-humanismo. Mídias.

Resumo

Mestrando em Filosofia pela UNICAMP/SP.

Sociedade pós-literária e os desafios da educação moral

Resumo: O objetivo desta comunicação é encetar uma discussão sobre as implicações educacionais da tese de Peter Sloterdijk, apresentada na primeira parte do livro Regras para o parque humano, de que o projeto humanista de formação do homo humanus mediante a cultura literária - que tinha em vista, principalmente, o refreamento das tendências "desinibidoras" (enthemmenden) do ser humano, responsáveis pelos diversos tipos de barbárie - desmantelou-se, de modo que é possível caracterizar a hodierna sociedade de massas, lastreada em mídias contemporâneas, tais como a radiodifusão, televisão e internet, como pós-humanista (post-humanistich) ou pós-literária (post-literarisch). Cabe, portanto, questionar, a partir das asserções de Sloterdijk,1 que papel a escola ainda poderia ter - enquanto instituição de educação formal, tradicionalmente humanista - especialmente no que diz respeito à formação moral, numa sociedade pós-humanista, onde a violência se faz presente, inclusive, no interior da própria escola.

Palavras-chave: Humanismo. Pós-humanismo. Mídias. Ética. Escola.

Abstract: The aim of this paper is to introduce the discussion concerning the educational implications of Peter Sloterdijk's thesis, the one presented in the first part of his book "Rules for the Human park." There he claims that the humanist project for a formation of the homo humanus through the literary culture - which had in view, especially, refraining men's "noninhibiting" (enthemmenden) tendencies responsible for the various sorts of barbarism - has dismantled itself. It is, thus, possible to characterize

the present mass society, which follows in the wake of the present types of media such as radio, television, and internet, as post-humanist or postliterary. It is, therefore, possible to question, from Sloterdijk's assertions, what type of role could school still play - as formal education institution, traditionnaly humanistic - especially when it comes to the moral formation of a post-humanist society where violence makes itself noted even within the very wall of the school itself.

Keywords: Humanism. Post-humanism. Media. Ethics. School.

Referências:

ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. Tradução de Wolfgang Leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 1995.

DESCARTES. Discurso do método. São Paulo: Nova Cultural, 1996. (Coleção Os Pensadores)

DURKHEIM, Émile. Educação e sociologia. 11 ed. Tradução de Lourenço Filho. São Paulo: Melhoramentos, 1978.

HEIDEGGER, Martin. Sobre o humanismo. Tradução de Ernildo Stein. In: ______. Conferências e Escritos Filosóficos. São Paulo: Abril Cultural, 1979. (Coleção Os Pensadores).

______. La época de la imagen del mundo. In: Caminos de bosque. Versión española de Helena Cortés y Arturo Leyte. Madrid: Alianza Editorial, 1997.

______. O fim da filosofia e a tarefa do pensamento. Tradução de Ernildo Stein. In:______. Conferências e escritos filosóficos. São Paulo: Nova Cultural, 1996 (coleção Os Pensadores).

HERMANN, Nadja. Pluralidade e ética em educação. Rio de Janeiro:DP&A, 2001.

KANT, I. Resposta à pergunta: que é o iluminismo? In:______. A paz perpétua e outros opúsculos. Lisboa: Edições 70, 1995.

MARQUES, José Oscar de Almeida. Sobre as regras para o parque humano, de Peter Sloterdijk. Natureza Humana, São Paulo, v. 4, n. 2, dez. 2002.

OLIVEIRA, Manfredo A. Martin Heidegger: pragmática existencial. In: _____. Reviravolta lingüístico-pragmática na filosofia contemporânea. São Paulo: Loyola, 2001.

PLATÃO. A República. São Paulo: Nova Cultural, 2004. (Coleção Os Pensadores).

______. Defesa de Sócrates. São Paulo: Abril Cultural, 1979. (Coleção Os Pensadores)

______. O Político. São Paulo: Abril Cultural, 1979. (Coleção Os Pensadores).

PLATONE. Fedone [Fédon]: o sull'anima. Traduzione e cura di Andréa Tagliapietra. Saggio critico di Elisa Tetamo. Testo originale a fronte. Milano: Feltrinelli, 1994.

REALE, Giovanni; ANTISERI, Dario. História da filosofia: antiguidade e idade média. São Paulo: Paulus, 1990. 1 v.

SEVERINO, Antônio Joaquim. A filosofia da educação no Brasil: esboço de uma trajetória. In: GHIRALDELLI Jr., Paulo (org.). O que é filosofia da educação. 3 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 319.

SLOTERDIJK, Peter. Regras para o parque humano: uma resposta à carta de Heidegger sobre o humanismo. Trad. de José Oscar de Almeida Marques. São Paulo: Estação Liberdade, 2000.

______. Regeln für den Menschenpark: ein antwortschreiben zu Heideggers Brief über den Humanismus. Frankfurt A/M: Suhrkamp, 1999.

STEIN, Ernildo. O incontornável como inacessível: a diferença ontológica numa carta inédita de Heidegger. In: SOUZA, Ricardo Timm de; OLIVEIRA, Nythamar Fernandes de (Orgs.). Fenomenologia hoje: existência, ser e sentido no alvorecer do século XXI. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2001. p. 415-427.

Data de Registro: 14/10/2009

Data de Aceite: 20/09/2010

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano Campos dos Santos, Universidade Estadual de Campinas (Campinas, SP, Brasil)

Downloads

Como Citar

Santos, L. C. dos. (2011). SOCIEDADE PÓS-LITERÁRIA E OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO MORAL. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 25(49), 305–320. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v25n49a2011-13