ESTRESSE TÉRMICO EM TOUROS BUFALINOS Bubalus bubalis, AVALIAÇÕES DAS CARACTERÃ?STICAS FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO

Autores

  • Marcelo George Mungai Chacur Faculdade de Ciências Agrárias.UNOESTE
  • Eunice Oba FMVZ - UNESP

Palavras-chave:

búfalo, estresse calórico, espermatogênese, hemograma, endocrinologia, ultra-sonografia, histologia testicular

Resumo

Os objetivos do experimento foram de mensurar e quantificar as alterações produzidas pelo calor sobre as caracterísitcas fisiológicas da reprodução de búfalos. Foram utilizados oito machos, sendo 4 do grupo controle (GC) e 4 do grupo estressado (GE), mantidos a 39°C, durante 54 dias, em Câmara Bioclimática. Apresentando os seguintes resultados: perímetro escrotal de 27,67±0,65 cm; tempo de reação de 116,19 ± 78,83 segundos; falsas montas 1,77 ± 0,79; não apresentando diferença significativa entre os grupos GC e GE. Os ejaculados apresentaram, para ambos os grupos: cor branco leitoso a amarelo citrino; volume de 2,45 ± 1,30 mL; motilidade 75,75 ± 9,67 %; vigor 3,69 ± 0,47; defeitos maiores 10,09 ± 8,94 %; defeitos menores 2,66 ± 2,07%; defeitos totais 12,68 ± 7,85 %. O exame ultra-sonográfico mostrou ecogenicidade homogênea, onde os comprimentos e larguras testiculares foram de: 4,77 ±0,68 cm (esquerdo); 4,87±0,73 cm (direito); largura (esquerdo) 4,14±0,60 cm; largura (direito) 4,01±0,72 cm. Para os epidídimos (direito) comprimento 2,19±0,52 cm; esquerdo 2,14±0,48 cm; largura (direito) 1,99±0,53 cm; largura (esquerdo) 1,94±0,52 cm. A análise de variância do hemograma e do leucograma não revelaram diferenças significativas entre os tratamentos. Os níveis séricos hormonais no grupo estressado (GE), mostraram diferença significativa (p<0,05) para a androstenediona sendo de 0,27±0,01 ng/mL às 8:00 h e de 0,38±0,01 ng/mL às 14:00 horas. O cortisol, não revelou diferença significativa entre os tratamentos e nem entre os momentos de colheita. Para a concentração de testosterona houve diferença significativa entre os tratamentos GC e GE, com valores de 24,04±5,89 ng/dL para o GC e de 49,85±6,83 ng/dL para o GE, exibindo concentração máxima às 14:00 h e mínima às 2:00 h. A histologia testicular, demonstrou integridade presente em todos os animais do GC e GE, não houve diferença significativa entre os tratamentos GC e GE para o diâmetro dos túbulos seminíferos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-10

Como Citar

Mungai Chacur, M. G., & Oba, E. (2007). ESTRESSE TÉRMICO EM TOUROS BUFALINOS Bubalus bubalis, AVALIAÇÕES DAS CARACTERÃ?STICAS FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO. Veterinária Notícias - Vet Not, 11(1). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18648

Edição

Seção

Artigos