ESTRESSE PARASITÃ?RIO EM CABRAS SAANEN: AVALIAÇÃO HEMATOLÓGICA E DA ATIVIDADE OXIDATIVA DOS NEUTRÓFILOS

Autores

  • Cleverson Souza UFSM
  • Sonia Terezinha dos Anjos Lopes UFSM
  • Patrícia Neves Batina UFSM
  • Marcelo Cecim UFSM
  • Carlos Mário Cunha UFSM
  • Alexandre de Carvalho Conrado UFSM
  • Antônio Beck UFSM

Palavras-chave:

Cabras, nematódeos gastrintestinais, hemograma, NBT, cortisol

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo a avaliação do estresse parasitário em cabras naturalmente infectadas por nematódeos gastrintestinais e as possíveis alterações no hemograma e na capacidade dos neutrófilos em produzirem radicais livres. Foram utilizadas nove cabras da raça Saanen, procedentes do município de Santa Maria/ RS. A variável ovos por gramas de fezes (OPG) foi utilizada para a quantificação da infestação parasitária. Cada animal participou dos quatro grupos de acordo com o OPG: Gc (0 a 500 OPG); G1 (501 a 1500 OPG); G2 (1501 a 3000 OPG) e G3 (>3000 OPG). Coproculturas foram realizadas para a determinação do tipo predominante de parasita infectante nos animais. O cortisol foi considerado como o parâmetro para a avaliação do estresse parasitário, sendo determinado por quimioluminescência. O hemograma foi avaliado quantitativamente pela contagem manual de eritrócitos e leucócitos em câmara de Neubauer e qualitativamente pelo exame microscópico do esfregaço sanguíneo. O fibrinogênio foi mensurado, utilizandose o método da precipitação pelo calor e o metabolismo oxidativo dos neutrófilos avaliado pelo teste de redução do nitroblue tetrazolium - NBT. Não houve alteração na maioria dos parâmetros do hemograma com exceção da contagem eosinofilica, que apresentou diferenças nos grupos (G2 e G3). Os valores de cortisol se mantiveram estáveis com uma ligeira queda, no grupo (G2). A função neutrofilica, representada pelo NBT, não apresentou alteração ao longo do experimento. De acordo com os resultados obtidos e nas condições em que foi realizado o experimento, concluiu-se que a infestação parasitária máxima, em (G3), para os animais deste estudo, não apresentou alteração no eritrograma, no metabolismo oxidativo dos neutrófilos e nos teores de proteínas plasmáticas totais. No leucograma houve resposta dos eosinófilos e do fibrinogênio, frente a maior carga parasitária, demonstrando a resposta do organismo aos antígenos dos parasitas infectantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-02-27

Como Citar

Souza, C., Terezinha dos Anjos Lopes, S., Neves Batina, P., Cecim, M., Mário Cunha, C., de Carvalho Conrado, A., & Beck, A. (2008). ESTRESSE PARASITÃ?RIO EM CABRAS SAANEN: AVALIAÇÃO HEMATOLÓGICA E DA ATIVIDADE OXIDATIVA DOS NEUTRÓFILOS. Veterinária Notícias, 12(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18804

Edição

Seção

Artigos