VIABILIDADE DA PUNÇÃO BIÓPSIA ASPIRATIVA POR AGULHA FINA, EM TESTÍCULOS DE CÃES (Canis familiaris- LINNAEUS, 1758) COMO MÉTODO AUXILIAR DE DIAGNÓSTICO

Autores

  • Guilherme Nascimento Cunha
  • Marcelo Emilio Beletti
  • Karine Pena Fayad
  • Wilter Ricardo Russiano Vicente

Palavras-chave:

punção biópsia por agulha fina, cão, testículo

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a viabilidade do uso das biópsia por punção aspirativa por agulha fina (PAAF) no testículo de cães como técnica auxiliar na realização de diagnóstico.Foram utilizados 20 cães machos, adultos, hígidos, distribuidos em 4 grupos com 5 animais cada: Ga, Gb, Gc e Gd sendo orquiequitocmizados respectivamente 3, 7, 14 e 62 dias após a biópsia. O material colhido pela PAAF foi submetido à avaliação citológica, e o material proveniente da orquiectomia submetido à histopatologia. Foi identificado os seguintes tipos celulares: espermatogônia (4,74%), espermatócito (5,57%), espermátide (42,10%), espermatozóide (7,00%), sertoli (11,23%) e células não identificadas (5,73%). Na histopatologia a PAAF revelou pequena área de lesão hemorrágica e reação inflamatória com degeneração testicular nos primeiros dias seguido de cicatrização tecidual aos 62 dias. A amostra direcionada para citologia e histologia obtida pela técnica demonstrou ser quantitativamente e qualitativamente suficiente para diagnóstico. As alterações histopatológicas encontradas nos diferentes momentos mostraram uma evolução transitória finalizando com cicatrização e recuperação do parênquima testicular. O uso da biópsia por agulha fina parece ser pouco traumática, recomendando sua utilização em procedimentos de rotina na clínica médica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Nascimento Cunha

possui graduação em Medicina Veterinaria pela Universidade Federal de Uberlândia (1999) e mestrado em Ciências Veterinarias pela Universidade Federal de Uberlândia (2004). doutorando em cirurgia veterinaria pela UNESP Jabotical. Atualmente é professor assistente i do Centro Universitário de Patos de Minas. Tem experiência na área de Medicina Veterinária, com ênfase em Clínica Veterinária, atuando principalmente nos seguintes temas: cães, bovinos, cão, babesia bigemina e ocorrência.

Marcelo Emilio Beletti

Médico Veterinário, Doutor, Professor do Instituto de Ciências Biomédicas, Departamento de Morfologia. Setor de Histologia/Embriologia da Universidade Federal de Uberlândia- UFU

Karine Pena Fayad

Graduanda da Faculdade de Medicina Veterinária- UFU

Wilter Ricardo Russiano Vicente

Médico Veterinário, Doutor, Professor do Departamento de Reprodução Animal UNESP Campus de Jaboticabal Graduanda da Faculdade de Medicina Veterinária- UFU

Downloads

Publicado

2012-09-13

Como Citar

Cunha, G. N., Beletti, M. E., Fayad, K. P., & Vicente, W. R. R. (2012). VIABILIDADE DA PUNÇÃO BIÓPSIA ASPIRATIVA POR AGULHA FINA, EM TESTÍCULOS DE CÃES (Canis familiaris- LINNAEUS, 1758) COMO MÉTODO AUXILIAR DE DIAGNÓSTICO. Veterinária Notícias, 16(1). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18895

Edição

Seção

Artigos