Regime especial de atividades não presenciais: a pandemia acentuando as desigualdades na educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v10n3a2021-63453

Palavras-chave:

Educação Infantil, Regime Especial de Atividades Não Presenciais, Tecnologias digitais, Desigualdade social

Resumo

O artigo resulta de pesquisa que teve como objetivo analisar a oferta do Regime Especial de Atividades Não Presenciais (REANP) para a educação infantil, a partir da percepção das professoras de escolas públicas do município de Santa Vitória, Minas Gerais. A pesquisa qualitativa utilizou-se do questionário para coleta de dados. Os resultados apontam inúmeros desafios enfrentados pelas docentes dentre os quais a falta de condições objetivas para viabilizar o ensino, uma vez que muitos professores e alunos não têm acesso à internet de qualidade e nem sempre possuem o domínio no manejo de aplicativos e plataformas digitais. Concluímos que o ensino não presencial deflagra o notório processo de exclusão digital em decorrência da exacerbada desigualdade social que marca a sociedade brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

João Vitor Santos Silva, Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Graduando em Pedagogia. Universidade Federal de Uberlândia. Ituiutaba-MG, Brasil.

Klívia de Cássia Silva Nunes, Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Doutorado em Educação. Universidade Federal de Uberlândia. Ituiutaba-MG, Brasil.

Raquel Aparecida Souza, Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Doutorado em Educação. Universidade Federal de Uberlândia. Ituiutaba - MG, Brasil.  

Rogéria Moreira Rezende Isobe, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - Brasil

Doutorado em Educação. Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Uberaba-MG, Brasil.

Valéria Moreira Rezende, Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Doutorado em Educação. Universidade Federal de Uberlândia. Ituiutaba-MG, Brasil.

Referências

ABRANTES, M.G.L., SOUSA, R.P. Formação continuada e conectivismo: um estudo de caso referente às transformações da prática pedagógica no discurso do professor. In: SOUSA, RP., et al., orgs. Teorias e práticas em tecnologias educacionais [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2016. Disponível em: https://static.scielo.org/scielobooks/fp86k/pdf/sousa-9788578793265.pdf. Acesso em 22 jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus - COVID-19. Diário Oficial da União, Brasília, DF, ed. 53, 18 mar. 2020. Seção 01, p. 39.

CERTEAU, M. de. A invenção do cotidiano: artes do fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 3. ed. Petrópolis, Vozes, 1998.

HODGES, C. et al. The difference between emergency remote teaching and online learning. EDUCAUSE Review. 27 mar. 2020. Disponível em: https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remote-teaching-and-online-learning. Acesso em 30 ago. 2021.

FLACSO. Auxílio emergencial: Com benefício reduzido em 2021, Brasil terá 61 milhões na pobreza. 23 de abril de 2021. Disponível em: https://flacso.org.br/?p=25063. Acesso em 28 ago. 2021.

FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS. Pesquisa: Educação escolar em tempos de pandemia na visão de professoras/es da Educação Básica. Informe nº 1, 2020, p. 1-5. Disponível em: https://www.fcc.org.br/fcc/educacao-pesquisa/educacao-escolar-em-tempos-de-pandemia-informe-n-1. Acesso em: 27 mai. 2021.

GEMAQUE. A. A pandemia agravou a desigualdade de renda e a pobreza no Brasil. Ecodebate. 21 maio 2021. Disponível em: https://www.ecodebate.com.br/2021/05/21/a-pandemia-agravou-a-desigualdade-de-renda-e-a-pobreza-no-brasil/. Acesso em: 01 mai. 2021.

GESTRADO. Grupo de Estudos Sobre Política Educacional e Trabalho Docente. Relatório Técnico. Trabalho Docente em Tempos de Pandemia. Belo Horizonte: UFMG, 2020.

IBGE. PNAD Contínua TIC 2019: internet chega a 82,7% dos domicílios do país. Agência IBGE Notícias, Editoria: Estatísticas sociais, 21/04/2021. Disponível em: https://censos.ibge.gov.br/2013-agencia-de-noticias/releases/30521-pnad-continua-tic-2019-internet-chega-a-82-7-dos-domicilios-do-pais.html. Acesso em: 13 de agosto de 2021.

KRAMER, Sônia. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: educação infantil e/é fundamental. Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 96 - Especial, p. 797-818, out. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/Vc4sdh6KwCDyQPvGGY8Tkmn/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 17 de maio de 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/s0101-73302006000300009.

KRAWCZYK, N., LOMBARDI, J. C. (Orgs.). O golpe de 2016 e a educação no Brasil. Uberlândia: Navegando Publicações, 2018.

MARX, K. O capital: a crítica da economia política: Livro 1: o processo de produção do capital. Trad. Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013.

MINAS GERAIS. Comitê Extraordinário de COVID-19. Deliberação N. 18 de 22 de março de 2020. Suspende por tempo indeterminado as atividades presenciais de educação escolar básica. Publicada em 22/03/2020. Disponível em https://www2.educacao.mg.gov.br/images/stories/2020/INSPECAO_ESCOLAR/Boletim_maio/DELIB._COVID-19_N%C2%BA_18_20.pdf. Acesso em: ago. 2021.

MONTAÑO. C. Pobreza, “questão social” e seu enfrentamento. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 110, p. 270-287, abr./jun. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/sssoc/n110/a04n110.pdf. Acessado em: 21 Jul.2021. DOI: https://doi.org/10.1590/s0101-66282012000200004.

OLIVEIRA, D. A. PEREIRA JÚNIOR, E. A. Trabalho docente em tempos de pandemia: mais um retrato da desigualdade educacional brasileira. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 14, n. 30, p. 719-735, set./dez. 2020. Disponível em: https://anped.org.br/sites/default/files/images/cnte_relatorio_da_pesquisa_covid_gestrado_v02.pdf. Acesso em 28 mai. 2021. DOI: https://doi.org/10.22420/rde.v14i30.1212.

PARO, V. A divisão social do trabalho é a causadora da desigualdade no capitalismo. Pitacos Teóricos, 02/02/2020. Disponível em: https://www.vitorparo.com.br/8-a-divisao-social-do-trabalho-e-a-causadora-da-desigualdade-no-capitalismo/. Acesso em: 07 Ago. 2021.

PRESTES, L. Diferença no enfrentamento da pandemia: básico público e privado. CNU. 24 set. 2020. Disponível em: https://www.uninter.com/noticias/diferenca-no-enfrentamento-da-pandemia-basico-publico-e-privado. Acesso em 02 jun. 2021.

SANTA VITÓRIA. Decreto PM/Nº. 9.205/2020 de 16 de outubro de 2020 que disciplina o funcionamento das atividades propostas pela Onda Verde do Plano Minas Consciente, determina a suspensão das aulas presenciais nos estabelecimentos públicos e privados do Município de Santa Vitória para evitar a disseminação do coronavírus (Covid-19), e determina outras providências.

SAVIANI, D.; GALVÃO, A. C. “Educação na Pandemia: a falácia do ensino remoto”. Universidade e Sociedade ANDES-SN, ano XXXI, janeiro, 2021, p. 36-49. Disponível em: https://www.sintese.org.br/2021/03/16/educacao-na-pandemia-a-falacia-do-ensino-remoto. Acesso em 28 jun. 2021.

UNICEF. Crianças de 6 a 10 anos são as mais afetadas pela exclusão escolar na pandemia, alertam UNICEF e Cenpec Educação. 29 abril 2021. Brasília (DF): Escritório da Representação do UNICEF no Brasil; 2021. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/criancas-de-6-10-anos-sao-mais-afetadas-pela-exclusao-escolar-na-pandemia. Acesso em: 07 jul. 2021.

VIGOTSKII, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VIGOTSKII, L. S., LURIA, A. R., LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Tradução de: Maria da Pena Villalobos. - 11a edição - São Paulo: Editora Ícone, 2010.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

Silva, J. V. S. ., Nunes, K. de C. S., Souza, R. A. ., Isobe, R. M. R. ., & Rezende, V. M. . (2021). Regime especial de atividades não presenciais: a pandemia acentuando as desigualdades na educação infantil. Revista Educação E Políticas Em Debate, 10(3), 996–1011. https://doi.org/10.14393/REPOD-v10n3a2021-63453

Edição

Seção

DOSSIÊ: Direito à educação básica e superior em tempos de pandemia