Cotas Universitárias: Estudo do Desempenho Acadêmico na Graduação após a implementação da Política de Cotas na Universidade Federal de Uberlândia / University Quota Policy: Study of Academic Performance in Graduation Course after the implementation of the

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v9n3a2020-57854

Palavras-chave:

Cotas, Desempenho Acadêmico, Políticas Públicas, Ensino Superior

Resumo

As universidades sempre desempenharam papel formativo de extrema relevância social. Mas novas demandas sociais surgem exigindo condições mais inclusivas de acesso ao ensino superior de qualidade. Este trabalho objetivou analisar o desempenho acadêmico dos estudantes dos cursos de graduação presenciais da UFU após a implementação da Lei de Cotas. Foram analisados 7548 estudantes e 110 opções de cursos de graduação. Os resultados demonstraram que não cotistas apresentaram maior desempenho nas grandes áreas de Ciências Agrárias, Ciências Exatas e da Terra, Ciências Sociais Aplicadas, Engenharias, Linguística, Letras e Artes e Multidisciplinares. Já os cotistas obtiveram maiores desempenhos nas áreas de Ciências Biológicas, Ciências da Saúde e Ciências Humanas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ricardo de Oliveira Maximo, Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão Organizacional da Faculdade de Gestão e Negócios (FAGEN) da Universidade Federal de Uberlândia. Atua na Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD/UFU).

Peterson Elizandro Gandolfi, Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Doutor em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP/FGV). Docente do Programa de Pós-Graduação em Gestão Organizacional - PPGGO da Faculdade de Gestão e Negócios (FAGEN) da Universidade Federal de Uberlândia.

José Eduardo Ferreira Lopes, Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Doutor em Administração pela FEARP - Universidade de São Paulo (USP). Docente na Universidade Federal de Uberlândia, na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Gestão Organizacional (PPGGO) da Faculdade de Gestão e Negócios (FAGEN/UFU).

Referências

BEZERRA, Teresa Olinda Caminha; GURGEL, Claudio Roberto Marques. A política pública de cotas em universidades, enquanto instrumento de inclusão social. Pensamento & Realidade. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração-FEA. ISSN 2237-4418, v. 27, n. 2, 2012.

BIEMBENGUT, Thais Mariane; PACHECO, Patrícia Sanez; CONINCK, José Carlos Pereira. ANÁLISE DO DESEMPENHO ACADÊMICO DE COTISTAS E NÃO COTISTAS NA UTFPR-CURITIBA. Cadernos de Pesquisa, v. 25, n. 1, p. 35-48, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2178-2229.v25n1p35-48.

BRASIL. Lei N° 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso em 17 maio. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria Normativa Nº 18 do Ministério da Educação de 11 de outubro de 2012. Dispõe sobre a implementação das reservas de vagas em instituições federais de ensino de que tratam a Lei no 12.711, de 29 de agosto de 2012, e o Decreto no 7.824, de 11 de outubro de 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cotas/docs/portaria_18.pdf. Acesso em 17 maio 2019.

CAMPOS, Maria Bernadete Leal; DE FARIAS FRAGOSO, Aline Renata. Desempenho acadêmico dos alunos cotistas do campus Santo Amaro da Universidade de Pernambuco. Revista Universidade e Sociedade. Recife, v. 57, p. 126-134, 2016.

CHAZAN, Ana Cláudia Santos; CAMPOS, Mônica Rodrigues; PORTUGAL, Flávia Batista. Qualidade de vida de estudantes de medicina da UERJ por meio do Whoqol-bref: uma abordagem multivariada. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, p. 547-556, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015202.05182014.

COSTA, Isabela Rosane Bezerra. Política de cotas e cidadania: o ingresso no ensino superior na concepção dos gestores da UERN. 2016. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Educação, Universidade Lusõfona de Humanidades e Tecnologias. Lisboa, 137p. 2016.

DE MATTOS, Wilson Roberto; DE MACEDO, Kize Aparecida Silva; DE MATTOS, Ivanilde Guedes. 10 anos de ações afirmativas na Uneb: desempenho comparativo entre cotistas e não cotistas de 2003 a 2009. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), v. 5, n. 11, p. 83-99, 2013.

DE PAULO SANTIAGO, Wagner et al. Análise da eficiência acadêmica de alunos cotistas e não cotistas: um estudo utilizando a análise envoltória de dados. Revista Ciências Administrativas ou Journal of Administrative Sciences, Fortaleza, v. 18, n. 2, p. 710-730, jul./dez. 2012.

DEPS, Vera Lucia. Desempenho Acadêmico dos Alunos Ingressos em 2004 pelo Sistema de Reservas de Vagas, nos Cursos de Bacharelado da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Agenda Social. Revista do PPGPS / UENF, v. 3, n. 3, p. 1–20, 2009.

DUQUIA, Rodrigo Pereira; BASTOS, João Luiz Dornelles. Medidas de tendência central: onde a maior parte dos indivíduos se encontra?. Scientia Medica, v. 16, n. 4, p. 190-194, 2006.


FONSECA, João José Saraiva. Metodologia da Pesquisa Científica. 2002.

FRAGA, Érica. Cotistas têm desempenho inferior entre universitários. Folha de São Paulo, São Paulo, v. 28, n. 04, 2013.

GANDOLFI, Peterson Elizandro, et al. Os Resultados da Implementação da Política de Cotas na Universidade Federal de Uberlândia: Um Estudo Comparativo entre o Desempenho de Estudantes Cotistas e dos Estudantes Não Cotistas. XIX SEMEAD – Seminários em Administração, nov. 2016. Disponível em: http://login.semead.com.br/19semead/anais/arquivos/1680.pdf. Acesso em 18/05/2019.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo. Métodos de pesquisa. Plageder, 2009.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Editora Atlas SA, 2008.

GOLGHER, André Braz; DE LIMA AMARAL, Ernesto Friedrich; NEVES, Alan Vítor Coelho. Avaliação de impacto do bônus sociorracial da UFMG no desempenho acadêmico dos estudantes. Mediações-Revista de Ciências Sociais, v. 19, n. 1, p. 214-248, 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2014v19n1p214.

MENDES JUNIOR, Alvaro Alberto Ferreira Mendes. Três ensaios sobre ações afirmativas no ensino superior brasileiro: acesso, progressão e simulações de diferentes políticas de cotas para a Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Econômicas. Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2013.

MATTOS, Wilson Roberto de; MACEDO, Kize Aparecida Silva de; MATTOS, Ivanilde Guedes de. 10 ANOS DE AÇÕES AFIRMATIVAS NA UNEB: DESEMPENHO COMPARATIVO ENTRE COTISTAS E NÃO COTISTAS DE 2003 A 2009. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 5, n. 11, p. 83-99, out. 2013. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/190>. Acesso em: 17 maio 2019.

PEIXOTO, Adriano de Lemos Alves et al. Cotas e desempenho acadêmico na UFBA: um estudo a partir dos coeficientes de rendimento. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Vol.21(2), pp.569-592, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772016000200013.

PIERONI, Aline Ros. Um estudo sobre o desempenho de alunos cotistas e não cotistas no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo–Câmpus Salto. Dissertação. (Mestrado). Universidade Federal de Alfenas, campus Varginha. Varginha-MG. 80p, 2016.

QUEIROZ, Delcele Mascarenhas; SANTOS, Jocélio Teles dos. Sistema de cotas: um debate. Dos dados à manutenção de privilégios e de poder. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 27, n. 96 - Especial, p. 717-737, out. 2006. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302006000300005.

QUEIROZ, Zandra Cristina Lima Silva et al. A lei de cotas na perspectiva do desempenho acadêmico na Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 96, n. 243, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S2176-6681/339112863.

SILVA, Renato Augusto de Assis. Quem tem medo do cotista? Análise do rendimento de estudantes cotistas nos anos iniciais de graduação da Universidade Federal de Uberlândia. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal de Uberlândia, 125p. 2016.

SOUZA, Alberto de Mello e. Desempenho dos candidatos no vestibular e o sistema de cotas na UERJ. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro , v. 20, n. 77, p. 701-724, Dec. 2012. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362012000400005&lng=en&nrm=iso>. Access on 18 Mai. 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362012000400005.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. Anuário da Universidade Federal de Uberlândia ano 2014 (ano base 2013). Apresenta os principais dados da instituição. Uberlândia, outubro de 2014. <http://www.proplad.ufu.br/sites/proplad.ufu.br/files/media/arquivo/anuario_2014_ano_base_2013.pdf>. Acesso em 17 maio 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. Conselho de Graduação (CONGRAD). Resolução do Conselho de Graduação nº 15, de 10 de junho de 2011. Aprova as Normas Gerais da Graduação da Universidade Federal de Uberlândia, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.reitoria.ufu.br/Resolucoes/resolucaoCONGRAD-2011-15.pdf>. Acesso em 15 maio 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação (CONPEP).. Resolução do Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação nº 06, de 19 de julho de 2017. Dispõe sobre a política de ações afirmativas para pretos, pardos, indígenas e pessoas com deficiência na pós-graduação stricto sensu na Universidade Federal de Uberlândia. Disponível em: <http://www.reitoria.ufu.br/Resolucoes/resolucaoCONPEP-2017-6.pdf>. Acesso em 16 maio 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. Conselho Universitário (COSUN).. Resolução do Conselho Universitário nº 25, de 20 de novembro de 2012. Dispõe sobre a aplicação da Lei no 12.711, de 29/8/2012, e demais condições estabelecidas pelo Decreto no 7.824 e pela Portaria Normativa do Ministério da Educação no 18/2012, na Universidade Federal de Uberlândia, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.reitoria.ufu.br/Resolucoes/resolucaoCONSUN-2012-25.pdf>. Acesso em 15 maio 2019.

VELLOSO, Jacques. Cotistas e não-cotistas: rendimento de alunos da Universidade de Brasília. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 137, p. 621-644, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-15742009000200014.

WAINER, Jacques; MELGUIZO, Tatiana. Inclusion policies in higher education: evaluation of student performance based on the Enade from 2012 to 2014. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 44, e162807, 2018. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022018000100305&lng=en&nrm=iso>. Access on 18 Mai. 2019. Epub Jan 12, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s1517-9702201612162807.

Downloads

Publicado

2020-10-24

Como Citar

Maximo, R. de O. ., Gandolfi, P. E. ., & Lopes, J. E. F. . (2020). Cotas Universitárias: Estudo do Desempenho Acadêmico na Graduação após a implementação da Política de Cotas na Universidade Federal de Uberlândia / University Quota Policy: Study of Academic Performance in Graduation Course after the implementation of the. Revista Educação E Políticas Em Debate, 9(3), 636–654. https://doi.org/10.14393/REPOD-v9n3a2020-57854

Edição

Seção

Dossiê: Políticas educacionais de igualdade racial concepções, reflexões e plur