Formação em psicologia para igualdade racial: experiência de estágio em um Terreiro de Tambor de Mina / Academic education in psychology for racial equality: internship experience at a Terreiro de Tambor de Mina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v9nEspeciala2020-55595

Palavras-chave:

Psicologia Afrocentrada, Igualdade Racial, Religiões de Matriz Africana, Estágio, Políticas Educacionais

Resumo

Este trabalho tem como objeto de estudo uma experiência de estágio em Psicologia Social em um Terreiro de Tambor de Mina, situado em um quilombo urbano, em São Luís/MA. Objetiva analisar como a formação profissional pode ocupar um lugar estratégico nas políticas educacionais para igualdade racial. Como metodologia, utiliza-se do ensaio teórico, compreendendo-o como um exercício do pensamento que produz novos saberes. Como resultados, apontam-se: perspectivas para construção de uma Psicologia Afrocentrada brasileira; maior aproximação da Psicologia com saberes e questões do povo de terreiro; criação de espaço de agenciamento político em prol da igualdade racial entre estudantes. Considera-se que a experiência aponta a necessidade de docentes problematizarem as temáticas raciais na formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ramon Luis de Santana Alcântara, Universidade Federal do Maranhão - Brasil

Doutor em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Maranhão. Professor Adjunto da Universidade Federal do Maranhão.

Francisco Valberto dos Santos Neto, Universidade Federal do Maranhão - Brasil

Psicólogo graduado pela Universidade Federal do Maranhão. Mestrando em Psicologia pela Universidade Federal do Maranhão.

Raabe Naftali de Sousa Araujo, Universidade Federal do Maranhão - Brasil

Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Maranhão. Bolsista em Iniciação Científica pela Universidade Federal do Maranhão.

Referências

ALMEIDA, S. Racismo Estrutural. Coleção Feminismos Plurais. São Paulo: Pólen, 2019.

ANJOS, J. C. G. A filosofia política da religiosidade afro-brasileira como patrimônio cultural africano. Debates do NER (UFRGS), v. 13, p. 77-96, 2008. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/debatesdoner/article/view/5248>. DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8136.5248.

CFP, Conselho Federal de Psicologia. Resolução nº 18 / 2002. Estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação a preconceito e discriminação racial. 2002. Disponível em: <http://site.cfp.org.br/resolucoes/resolucao-n-18-2002/>.

CFP, Conselho Federal de Psicologia. Relações raciais: referências técnicas para a prática da(o) psicóloga(o). 1. ed. Brasília: [s. n.], 2017. 147 p. Disponível em: <https://site.cfp.org.br/publicacao/relacoes-raciais-referencias-tecnicas-para-pratica-dao-psicologao/>.

CHAUÍ, M. S. Ideologia e educação. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 42, n. 1, p. 245-258, 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000100245&lng=pt&nrm=iso>. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022016420100400.

COSTA, Y. M. P. Sociedade e escravidão no Maranhão do século XIX. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais – RBHCS, v. 10, n. 20, julho - dezembro de 2018. Disponível em: < https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6733594>.

CRP-SP, Conselho Regional de Psicologia – São Paulo. História da Psicologia e as Relações Étnico-Raciais. 2016. Disponível em: <http://www.crpsp.org.br/portal/comunicacao/2016_08-memoria-racial/2016_08-memoria-racial.html>.

FANON, F. Pele negra, máscaras brancas. Tradução: Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

FERRETI, M. Mina, uma religião de origem africana. São Luís: SIOGE, 1985.

FERRETI, S. Repensando o Sincretismo: Estudo sobre a Casa das Minas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo. São Luís: FAPEMA, 1995.

FLAKSMAN, C. Relações e narrativas: o enredo no candomblé da Bahia. Relig. soc., Rio de Janeiro, v. 36, n. 1, p. 13-33, 2016. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-85872016000100013&script=sci_arttext&tlng=pt>. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0100-85872016v36n1cap01.

GOLDMAN, M. A possessão e a construção ritual da pessoa no candomblé. Rio de Janeiro: Dissertação de Mestrado em Antropologia Social, UFRJ, 1984.

GOLDMAN, M. Quinhentos anos de contato: Por uma teoria etnográfica da contramestiçagem. Mana, v. 21, n. 3, 641-659, 2015. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-93132015000300641&script=sci_arttext>. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-93132015v21n3p641.

GOMES, N. L. O Movimento Negro e a intelectualidade negra descolonizando os currículos. In: BERNADINO-COSTA, J., MALDONADO-TORRES, N., GROSFOGUEL, R. (Orgs.). Decolonialidade e Pensamento Afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

LIMA, M. S. L., PIMENTA, S. G. Estágio e docência: diferentes concepções. Poíesis Pedagógica, v. 3, n. 3 e 4, 5-24, 2006. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/poiesis/article/view/10542>. DOI: https://doi.org/10.5216/rpp.v3i3e4.10542.

LINDOSO, G. C. P. Pluralismos e diversidade afro-religiosa em terreiros de mina no Maranhão: um estudo etnográfico do modelo ritual do Ilê Ashé Ogum Sogbô. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2007.

MALIGHETTI, R. Sou um mineiro, tenho tenda mineira e vivo cuidando da religião: fusões de tradições nas palavras de um mineiro maranhense e dos seus guias. Revista Pós Ciências Sociais, v. 11, n. 21, jan/jun, 2014. Disponível em: <http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rpcsoc/article/view/2868>.

NASCIMENTO, A. Quilombismo: um conceito emergente do processo histórico-cultural da população afrobrasileira. In: NASCIMENTO, Elisa (Org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009.

NOBLES, W. Sakhu Sheti: retomando e reapropriando um foco psicológico afrocentrado. In: NASCIMENTO, E. L. (org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009.

NOGUEIRA, Simone G. Libertação, descolonização e africanização da Psicologia. São Carlos: EdUFSCar, 2019.

RODRIGUES, M. F. Raça e criminalidade na obra de Nina Rodrigues: Uma história psicossocial dos estudos raciais no Brasil do final do século XIX. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v.15, n.3, p.1118-1135, 2015. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-42812015000300019&lng=pt&nrm=iso>.

SANTOS, A. O. O enegrecimento da Psicologia: Indicações para a formação profissional. Psicologia: Ciência e Profissão, 39, n. esp., 159-171, 2019. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932019000500305>. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-3703003222113.

SCHUCMAN, L. V.; MARTINS, H. V. A Psicologia e o Discurso racial sobre o Negro: Objeto da Ciência ao Sujeito Político. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v.37, n. esp., p. 172-185, 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932017000500172&lng=en&nrm=iso>. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1982-3703130002017.

STAROBINSKI, Jean. É possível definir o Ensaio? Remate de Males - Revista de Teoria e História Literária, v. 31, n. 1-2, Campinas, p. 13-24, 2011. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8636219>. DOI: https://doi.org/10.20396/remate.v31i1-2.8636219.

SZTUTMAN, R. Natureza & Cultura, versão americanista – Um sobrevoo. Ponto Urbe [online], 4, 2009. Disponível em: <http://journals.openedition.org/pontourbe/1468>. DOI: https://doi.org/10.4000/pontourbe.1468.

VEIGA, L. M. Descolonizando a psicologia: notas para uma Psicologia Preta. Fractal: Revista de Psicologia – Dossiê Psicologia e epistemologias contra-hegemônicas, Niterói, v. 31, n. esp., p. 244-248, 2019. Disponível em: <https://periodicos.uff.br/fractal/article/view/29000>. DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v31i_esp/29000.

VERGER, P. F. Orixás. Salvador: Corrupio, 2002.

Downloads

Publicado

2020-11-03

Como Citar

Alcântara, R. L. de S. ., Santos Neto, F. V. dos ., & Araujo, R. N. de S. . (2020). Formação em psicologia para igualdade racial: experiência de estágio em um Terreiro de Tambor de Mina / Academic education in psychology for racial equality: internship experience at a Terreiro de Tambor de Mina. Revista Educação E Políticas Em Debate, 9(Especial), 865–883. https://doi.org/10.14393/REPOD-v9nEspeciala2020-55595

Edição

Seção

Dossiê: Políticas educacionais de igualdade racial: práticas e saberes por uma