Educação em tempo integral no Brasil: rupturas, avanços, permanências e desafios de uma política pública no contexto escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v8n3a2019-52565

Palavras-chave:

Educação em Tempo Integral, Política Pública Educacional, Contexto Escolar

Resumo

Na presente entrevista, por meio do diálogo estabelecido com uma professora engajada na  luta em defesa da educação pública, propõe-se a fazer uma análise a respeito da educação integral em tempo integral. Para tal abordou-se alguns dos principais aspectos que influenciam na implementação e desenvolvimento dessa política no contexto escolar brasileiro. As reflexões contribuem para fomentar a crítica em torno de concepções vigentes, da estrutura, da legislação, ressaltando-se rupturas, avanços e lacunas que ainda persistem. O balanço analítico em torno da experiência dos Ciep, no Rio de Janeiro nas décadas de 1980/1990, coloca em discussão os limites e desafios dessa política e ao mesmo tempo resgata-a enquanto possibilidade de melhoria do ensino público promovendo maior igualdade educacional visto que permite ampliar as experiências formativas dos alunos, sobretudo das camadas populares.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2020-02-05

Como Citar

Souza, E. A. M. ., Muñoz Palafox, G. H., Silva, M. V. ., & França, R. L. de . (2020). Educação em tempo integral no Brasil: rupturas, avanços, permanências e desafios de uma política pública no contexto escolar. Revista Educação E Políticas Em Debate, 8(3), 307–318. https://doi.org/10.14393/REPOD-v8n3a2019-52565

Edição

Seção

Entrevista / Dossiê