A formação docente e o Atendimento Educacional Especializado – mediação para inclusão educacional

Autores

  • Maria Célia Borges Universidade Federal de Uberlândia // Universidade Federal do Triângulo Mineiro - Minas Gerais - Brasil https://orcid.org/0000-0002-5445-023X
  • Marlon César da Silva Universidade Federal do Triângulo Mineiro - Uberaba - Minas Gerais - Brasil
  • Simone das Graças Leal Universidade Federal do Triângulo Mineiro - Uberaba - Minas Gerais - Brasil https://orcid.org/0000-0001-9746-1361

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v8n2a2019-51991

Palavras-chave:

Formação docente, Atendimento Educacional Especializado, Inclusão educacional

Resumo

O texto traz uma discussão sobre a formação docente focando na formação continuada do profissional que atua no Atendimento Educacional Especializado (AEE), em busca de maior inclusão educacional. O tema explorado é um recorte interativo entre duas investigações da pós-graduação stricto sensu, mestrado em educação, realizados na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) entre 2017-2019. O delineamento da investigação é a pesquisa qualitativa, com revisão bibliográfica e consultas à legislação. Os resultados explicitaram que dentre outros aspectos, a proposição e concretização de políticas de formação docente é condição sine qua non para o alcance de uma escolha mais inclusiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BARRETTO, E. S. S. Universidade e educação básica; lugares e sentidos da formação de professores. In: Cunha, C.; Sousa, J. V.; Silva, M. A. (Orgs.). Universidade e educação básica: políticas e articulações possíveis. Brasília: Faculdade de Educação, UnB; Liber Livro, 2012. https://doi.org/10.5327/z2447-211520181800056

BORGES, M. C. Formação de professores: desafios históricos, políticos e práticos. São Paulo: Paulus, 2013.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm> Acesso em: 17 ab. 2018.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de

Educação (PNE) e dá outras providências. Diário Oficial da União [da] República

Federativa do Brasil, Brasília, 26 jun. 2014.

BRASIL. LEI Nº 10.172, DE 09 DE JANEIRO DE 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf_legislacao/tecnico/legisla_tecnico_lei10172.pdf>.Acesso em 20 abr 2018. https://doi.org/10.1590/s0104-40602006000100015

BRASIL. Decreto nº 6.571, de 17 de setembro de 2008. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2008/decreto-6571-17-setembro-2008-580775-publicacaooriginal-103645-pe.html>. Acesso em 20 mai 2018.

BRASIL. Lei Federal. Decreto Nº 7.611, DE 17 de novembro de2011. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2011/decreto-7611-17-novembro-2011-611788-publicacaooriginal-134270-pe.html>. Acesso em 20 abr de 2018.

BRASIL. Lei Federal. CNE/CEB N° 4/2009. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf.>. Acesso em 20 abr de 2018.

BRASIL. Resolução n° 2 de 1° de julho de 2015; Ministério da Educação – Conselho Nacional de Educação, publicado no Diário Oficial da União de 25 de junho de 2015. https://doi.org/10.1590/s1413-24782012000100012

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei n. 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, 2015. Disponível em: <http://www.punf.uff.br/inclusao/images/leis/lei_13146.pdf>. Acesso em: 2 ago. 2018. https://doi.org/10.5752/p.2236-0603.2017v7n14p401-418

CHIMENTÃO, Liliam Kemmer, O Significado da Formação Continuada Docente; 4°CONPEF- Universidade Estadual de Londrina – 7 a 10 de julho de 2009.

DEMO, P. Ironias da educação: mudanças e contos sobre mudança. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

DOURADO, Luiz Fernando. Diretrizes Curriculares Nacionais para Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica: Concepções e Desafios- Educ. Soc., Campinas, v. 36, nº. 131, p. 299-324, abr.-jun., 2015. https://doi.org/10.1590/es0101-73302015151909

GATTI, Bernadete A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década; Revista Brasileira de Educação, v.13; n.37; jan./abr, 2008. https://doi.org/10.1590/s1413-24782008000100006

MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar: o que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003/2006. (Cotidiano Escolar).

NÓVOA, António. Formação de professores e profissão docente. In: Nóvoa, A. (Coord.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992. https://doi.org/10.1590/2175-623684910

SILVA, L. M. G.; MIRANDA, A. A. B. Inclusão Escolar e Deficiência: apontamentos históricos e legais. In: SILVA, L. C. da; DECHICHI, C.; SOUZA, V. A. (organizadoras). Inclusão educacional, do discurso à realidade: construções e potencialidades nos diferentes contextos educacionais. Uberlândia: EDUFU, 2012. p.139-157. https://doi.org/10.14393/edufu-978-85-7078-327-1

SOUZA, F.V. da C. A educação inclusiva na perspectiva dos professores da rede municipal de Frutal: um estudo de representações sociais. 2017. 169 p. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-graduação em Educação. Universidade de Uberaba. (Uniube). Uberaba-MG. 2017. https://doi.org/10.11606/t.22.2005.tde-20062005-083314

UNESCO. Declaração de Salamanca. Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf> Acesso em: 04/12/2016.

Downloads

Publicado

2019-12-12

Como Citar

Borges, M. C. ., Silva, M. C. da ., & Leal, S. das G. . (2019). A formação docente e o Atendimento Educacional Especializado – mediação para inclusão educacional. Revista Educação E Políticas Em Debate, 8(2), 141–157. https://doi.org/10.14393/REPOD-v8n2a2019-51991

Edição

Seção

Dossiê: Políticas de Educação Inclusiva: desafios Atuais