A ênfase nas competências e a formação da classe trabalhadora: divergências e contradições na Base Nacional Comum Curricular / The emphasis on skills and training of the working class: divergences and contradictions in the Common National Curriculum Base

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v9n1a2020-51934

Palavras-chave:

Desigualdade social, Políticas curriculares, Materialismo, Base Nacional Comum Curricular

Resumo

Este trabalho pretende analisar criticamente as competências gerais presentes na Base Nacional Comum Curricular, compreendendo-as como um processo histórico, político e cultural, atravessado por interesses de classes. Tendo o materialismo histórico dialético como base metodológica e filosófica, foram mobilizadas as categorias de totalidade e de contradição para apresentar as condições sociais concretas de uma educação, especialmente degradada, no contexto nacional pós-eleições de 2018. Notou-se uma ênfase no discurso do aprendizado pelas competências que desconsideram as desigualdades sociais deste país e pouco ajudam para transformá-las.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rafaela Maiara Santos da Silva, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - Brasil

Mestranda em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. E-mail: rafaelamaiara1@hotmail.com; Lattes: http://lattes.cnpq.br/4243345710169984; ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7077-0877.

Referências

ADRIÃO, Tereza; GARCIA, Teise. Oferta educativa e responsabilização no PDE: o plano de ações articuladas. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.38, n. 135, p. 779-796, Set./Dez. 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/s0100-15742008000300012.

BERNARDI, Liane. M.; UCZACK, Lucia. H.; ROSSI, Alexandre. J. Do movimento Todos pela Educação ao Plano de Ações Articuladas e Guia de Tecnologias: empresários interlocutores e clientes do estado. X ANPED SUL, Florianópolis, outubro de 2014.

BERNARDI, Liane. M.; UCZACK, Lucia. H.; ROSSI, Alexandre. J. Relações entre Estado e empresários no PDE/PAR: algumas contradições na política educacional brasileira. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação - Periódico científico editado pela ANPAE, [S.l.], v. 33, n. 2, p. 355 - 376, set. 2017. DOI: https://doi.org/10.21573/vol33n22017.71503.

BERNARDI, Liane. M.; UCZACK, Lucia. H.; ROSSI, Alexandre. J. Relações do Movimento Empresarial na Política Educacional Brasileira: a discussão da Base Nacional Comum. Currículo Sem Fronteiras, v. 18-n.1, p. 29, 2018

BORGHI, Raquel. Incidências de atores privados nos sistemas estaduais (2005-2015) In: GARCIA, T. e ADRIÃO, T. Currículo, gestão e oferta da educação básica brasileira: incidências de atores privados nos sistemas estaduais (2005-2015) Coleção estudos sobre a privatização da educação no Brasil. Curitiba: CRV, 2018. (vol.1., p.61-70) ISBN: 9788544428733

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996

BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional nº 19, de 4 de junho de 1998. Modifica o regime e dispõe sobre princípio e normas da Administração Pública, Servidores e Agentes políticos, controle de despesas e finanças públicas e custeio de atividades a cargo do Distrito Federal, e dá outras providências. In: Diário Oficial da União, Brasilia, DF, 5 de junho de 1998. Seção 1, página 1.

BRASIL. Lei de diretrizes e Bases da Educação n.° 12.796, de 04 de abril de 2013. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 abr. 2013

BRASIL. Portaria N.º - 592, De 17 De Junho De 2015. Institui Comissão de Especialistas para a Elaboração de Proposta da Base Nacional Comum Curricular. In: Diário Oficial da União, Brasília, DF, Nº 114, quinta-feira, 18 de junho de 2015. Seção I, parte 1

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em 18 fev. 2020.

CHAUÍ, Marilena. A ideologia da competência. São Paulo: Fundação Perseu Abramo/Autêntica, 2014

GALEANO, Eduardo. O livro dos abraços. Porto Alegre: L&PM, 2019

HYPOLITO, Álvaro. M. Políticas curriculares, Estado e regulamentação. Educação e Sociedade. Campinas, v. 31, n. 113, p. 1337-1354, dezembro de 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302010000400015.

IBGE – Instituto Brasileiro De Geografia e Estatística. Coordenação de População e Indicadores Sociais. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira: 2019. Rio de Janeiro, 2019.

KONDER, Leandro. Marx: vida e obra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

KONDER, Leandro. O que é dialética. São Paulo: Brasiliense, 2008.

MACEDO, Elizabeth. Base Nacional Comum para Currículos: direitos de aprendizagem e desenvolvimento para quem? Educação e Sociedade, Campinas, v. 36, n. 133, p. 891-908,dez.2015. DOI: https://doi.org/10.1590/es0101-73302015155700.

MARX, Karl e ENGELS, Friederich. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Edipro, 1848/2015. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-40141998000300002.

OCDE. Competências para o Progresso Social. 2014. Disponível em: < http://www.educacaosec21.org.br/foruminternacional2014/wp-content/uploads/2014/01/Sao-Paulo-Forum_issues-paper-Portugues_final.pdf^>.

PAES, Paulo D. Vigotski e os fundamentos de uma psicologia marxista. Cadernos Cemarx, n. 3, 24 jul. 2006. Disponível em: < https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cemarx/article/view/10876>.

PERONI, Vera; CAETANO, Raquel. O Público e privado em educação. Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p. 337-352, jul./dez. 2015. Disponível em: . DOI: https://doi.org/10.22420/rde.v9i17.584.

SACRISTAN, José. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SANTOS, Daniel; PRIMI, Ricardo. Desenvolvimento socioemocional e aprendizado escolar: uma proposta de mensuração para apoiar políticas públicas. São Paulo: OCDE, SEEDUC, Instituto Ayrton Senna, 2014.

SILVA, Márcio. M. da. A formação de competências socioemocionais como estratégia para captura da subjetividade da classe trabalhadora. Tese de doutorado em educação escolar. Araraquara: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 2018, 169 p.

SMOLKA, Ana. L. B. et al. O problema da avaliação das habilidades socioemocionais como política pública: explicitando controvérsias e argumentos. Educação e Sociedade, Campinas, v. 36, n. 130, p. 219-242, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/es0101-73302015150030.

ZANARDI, Teodoro A. C. Qual é o lugar da base? Educação e Políticas em Debate, Minas Gerais, v. 8, n. 1, p. 5-18, 2019. Disponível em: DOI: https://doi.org/10.14393/REPOD-v8n1a2019-48794.

Downloads

Publicado

2020-05-16

Como Citar

Silva, R. M. S. da. (2020). A ênfase nas competências e a formação da classe trabalhadora: divergências e contradições na Base Nacional Comum Curricular / The emphasis on skills and training of the working class: divergences and contradictions in the Common National Curriculum Base. Revista Educação E Políticas Em Debate, 9(1), 208–227. https://doi.org/10.14393/REPOD-v9n1a2020-51934

Edição

Seção

Artigos