O direito à educação infantil e a estruturação de planos de educação: desafios e perspectivas

Autores

  • Menissa Bessa Carrijo Universidade Federal de Tocantins (UFT)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD.issn.2238-8346.v6n1a2017-07

Palavras-chave:

Educação Infantil, Direito, Planos de educação, qualidade

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir o direito à educação infantil e o encadeamento de políticas públicas via planos de educação. Para tanto, parte-se da Constituição Federal (BRASIL, 1988), que garantiu a educação da pequena infância e com qualidade. Entretanto, desde os anos 1990, tem havido uma subtração desse direito. A reforma do Estado, no ideário neoliberal, trouxe graves problemas orçamentários para a educação e abriu o país para o processo de mundialização financeira. Com o Plano Nacional de Educação (BRASIL, 2014), tem-se a possibilidade de ampliar o acesso da população infantil, ainda que com limitações, até mesmo no estado do Tocantins, que estruturou o seu próprio Plano de Educação.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Menissa Bessa Carrijo, Universidade Federal de Tocantins (UFT)

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Professora da Universidade Federal de Tocantins (UFT). 

Referências

ABICALIL, C. A. Municipalização, cooperação federativa, regime de colaboração, autonomia e condicionalidades no novo Sistema Nacional de Educação. In: BRZEZINSKI, I. (Org.). LDB/1996 contemporânea: contradições, tensões, compromissos. São Paulo: Cortez, 2014. p. 286-321.

ADRIÃO, T. A privatização da educação básica no Brasil: considerações sobre a incidência de corporações na gestão da educação pública. Jul. 2017. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/319376858>. Acesso em: 10 ago. 2018.

ALVARENGA, V. C. A carreira das professoras de educação infantil: indícios de precarização e intensificação do trabalho docente. In: ARCE, A.; JACOMELI, M. R. M. (Org.). Educação Infantil versus educação escolar?: entre a (des)escolarização e a precarização do trabalho pedagógico nas salas de aula. Campinas: Autores Associados, 2012. p. 151-174.

BARBOSA, I. G. et al. A educação infantil no PNE: novo plano para antigas necessidades. Revista Retratos da Escola, Brasília, DF, v. 8, n. 15, p. 505-518, jul./dez. 2014.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1988.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei n°9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996a. Diário Oficial [da] União, Brasília, DF, 23 dez. 1996a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 8 fev. 2018.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei n° 9.424, de 24 de dezembro de 1996. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério, na forma prevista no art. 60, § 7o, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, e dá outras providências. Diário Oficial [da] União, Brasília, DF, 26 dez. 1996b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 8 fev. 2018.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial [da] União, Brasília, DF, 10 jan. 2001. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/LEIS_2001/L10172.htm>. Acesso em: 8 fev. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil. Brasília, DF, 2006a. v. 1.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Básicos de Infra-estrutura para Instituições de Educação Infantil. Brasília, DF, 2006b. Encarte 1.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 11.494, de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB, de que trata o art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; altera a Lei nº 10.195, de 14 de fevereiro de 2001; revoga dispositivos das Leis nos 9.424, de 24 de dezembro de 1996, 10.880, de 9 de junho de 2004, e 10.845, de 5 de março de 2004; e dá outras providências. Diário Oficial [da]União, Brasília, DF, 21 jun. 2007. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11494.htm>. Acesso em: 8 fev. 2018.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei n° 12.796, de 4 de abril de 2013.Altera a Lei n°9.394, de 20 de dezembro de 1996, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 abr.2013. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20112014/2013/lei/l12796.htm>. Acesso em: 8 fev. 2018.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei n° 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação –PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jun. 2014. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm>. Acesso em: 12 dez. 2017.

CAMPOS, M. M.; ESPOSITO, Y. L.; GIMENES, N. A. S. A meta 1 do Plano Nacional de Educação: observando o presente de olho no futuro. Revista Retratos da Escola, Brasília, DF, v. 8, n. 15, p. 329-352, jul./dez. 2014.

CARDOSO, M. L. Sobre as relações sociais capitalistas. In: LIMA, J. C. F.; NEVES, L. M. W. Fundamentos da educação escolar do Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Fiocruz: EPSJV, 2006. p. 25-68.

CURY, C. R. J. Sentidos da educação na Constituição Federal de 1988. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Goiânia, v. 29, n. 2, p. 195-206, 2013.

DIDONET, V. A educação infantil na LDB/1996: mudanças depois de 2007. In: BRZEZINSKI, I. (Org.). LDB/1996 contemporânea: contradições, tensões, compromissos. São Paulo: Cortez, 2014. p. 144-170.

DOURADO, L. F.; OLIVEIRA, J. F. A qualidade de educação: perspectivas e desafios. Cadernos Cedes, Campinas, v. 29, n. 78, p. 201-215, maio/ago. 2009.

GHANEM, E. Participação e regime de colaboração entre unidades federativas na educação brasileira. In: OLIVEIRA, R. P.; SANTANA, W. (Org.). Educação e federalismo no Brasil: combater as desigualdades, garantir a diversidade. Brasília, DF: Unesco, 2010. p. 191-214.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo demográfico 2010: educação e deslocamento – resultado de amostra. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: . Acesso em: 8 set. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNAD Contínua: Educação 2016. [2017]. Disponível em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Censo escolar 2017: notas estatísticas. [2018]. Disponível em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

LAMARE, F. F. Contradições na concepção de formação humana nas políticas de Educação Infantil no Brasil:o que revelam os documentos do período de 2003 a 2010. 2016. 233 f. Tese (Doutorado em Políticas Públicas e Formação Humana) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC). Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução nº 6, de 24 de abril de 2007. Estabelece as orientações e diretrizes para execução e assistência financeira suplementar ao Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil – PROINFÂNCIA. Diário Oficial [da] União, Brasília, DF, 25 abr. 2007.Disponível em: <https://www.fnde.gov.br>. Acesso em: 2 fev. 2014.

MÉSZÁROS, I. Atualidade e ofensiva socialista: uma alternativa radical ao sistema parlamentar. Tradução de Paulo Cezar Castanheira. In: LUCENA, C.; PREVITALI, F. S.; LUCENA, L. (Org.). A crise da democracia brasileira. Uberlândia: Navegando Publicações, 2017. p. 43-52. v. 1.

MÉSZÁROS, I. A montanha que devemos conquistar: reflexões acerca do Estado. Tradução de Maria Izabel Lagoa. São Paulo: Boitempo, 2015.

NUNES, M. F.; KRAMER, S. Educação Infantil e expansão da escolaridade obrigatória: questões para a política, a formação e a pesquisa. In: KRAMER, S.; NUNES, M. F.; CARVALHO, M. C. (Org.). Educação infantil: formação e responsabilidade. Campinas: Papirus, 2013. p. 31-47.

NUNES, M. F. R.; CORSINO, P.; KRAMER, S. Educação Infantil e políticas públicas: um estudo longitudinal. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 148, p. 152-175, 2013.

PAULANI, L. M. O projeto neoliberal para a sociedade brasileira: sua dinâmica e seus impasses. In: LIMA, J. C. F.; NEVES, L. M. W. Fundamentos da educação escolar do Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Fiocruz: EPSJV, 2006. p. 69-108.

PERONI, V. M. Política educacional e papel do Estado: no Brasil dos anos 1990. São Paulo: Xamã, 2003.

SAVIANI, N. Educação Infantil versus educação escolar: implicações curriculares de uma (falsa) oposição. In: ARCE, A.; JACOMELI, M. R. M. (Org.). Educação Infantil versus educação escolar?: entre a (des)escolarização e a precarização do trabalho pedagógico nas salas de aula. Campinas: Autores Associados, 2012. p. 53-79.

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO E CULTURA (SEDUC). Documento Referência – Diagnóstico: Plano Estadual de Educação do Estado do Tocantins – PEE (2015-2025). Palmas, 2015. Não paginado. v. 1.

SILVA, M. S. P.; KLINKE, K. O Fundeb e o Proinfância no contexto das políticas educacionais para a Educação Infantil. In: SILVA, M. V.; MEDINA, S. (Org.). Trabalho docente e políticas educacionais para a educação infantil: desafios contemporâneos. Uberlândia: Edufu, 2014. p. 47-76.

STEMMER, M. R. G. S. Educação infantil e pós-modernismo: a abordagem Reggio Emilia. 2006. 182 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

TOCANTINS. Lei nº 1.859, de 6 de dezembro de 2007. Aprova o Plano Estadual de Educação – PEE e adota outras providências. Diário Oficial [do] Estado do Tocantins, Palmas, 7 dez. 2007.

TOCANTINS. Portaria-Seduc nº 1.739, de 26 de setembro de 2014. Diário Oficial [do] Estado do Tocantins, Palmas, 2 out. 2014.

TOCANTINS. Lei nº 2.977, de 08 de julho de 2015. Aprova o Plano Estadual de Educação do Tocantins – PEE/TO (2015-2025), e adota outras providências. Diário Oficial [do] Estado do Tocantins, Palmas, 9 jul. 2015.

Downloads

Publicado

2019-01-23

Como Citar

Carrijo, M. B. (2019). O direito à educação infantil e a estruturação de planos de educação: desafios e perspectivas. Revista Educação E Políticas Em Debate, 6(1). https://doi.org/10.14393/REPOD.issn.2238-8346.v6n1a2017-07

Edição

Seção

Dossiê: Políticas educacionais para a educação infantil: dilemas atuais