O contexto de implementação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Educação Infantil em municípios do interior paulista

Autores

  • Eliza Maria Barbosa Universidade Estadual Paulista (UNESP)
  • Júlia Inês Pinheiro Bolota Pimenta Universidade de Araraquara (UNIARA).

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD.issn.2238-8346.v6n1a2017-05

Palavras-chave:

Formação de Professores, Educação Infantil, Leitura, Escrita

Resumo

O texto aborda a experiência de formadora do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa dirigido aos professores da Educação Infantil. Nossas reflexões dirigem-se pelas especificidades do observado durante as formações deste programa, mas articulam-se com os desafios impostos no âmbito geral das políticas de formação docente, em particular apontando aqueles que se caracterizam no interior dos municípios, contexto em que as ações empreendidas por essas políticas adquirem materialidade e exigem aperfeiçoamento. Reiteramos a necessidade de promover práticas sistemáticas de formação dos professores, indicando-as como meio para atingir os fins da escola, independentemente de seu nível, que é assegurar aos indivíduos suas máximas possibilidades de desenvolvimento.

Palavras-chave: Formação de Professores. Educação Infantil. Leitura. Escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Eliza Maria Barbosa, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Doutora em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Professora do Departamento de Psicologia da Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação Escolar da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Júlia Inês Pinheiro Bolota Pimenta, Universidade de Araraquara (UNIARA).

Mestre em Educação Escolar  pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Professora do curso de Pedagogia da Universidade de Araraquara (UNIARA)

Referências

ALARCÃO. I. (Org.). Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto: Porto, 1996.

BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 20 de dezembro de 1996. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf >. Acesso em: 10 out. 2010.

BRASIL. Portaria nº 826, de 07 de junho de 2017 que dispõe sobre o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - PNAIC, suas ações, diretrizes gerais e a ação de formação no âmbito do Programa Novo Mais Educação - PNME. Disponível em: < http://www.lex.com.br/legis_27464570_PORTARIA_N_826_DE_7_DE_JULHO_DE_2017.aspx>. Acesso em: 27 nov. 2017.

BRASIL. Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008. Regulamenta a alínea “e” do inciso III do caput do art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 16 de julho de 2008. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11738.htm>. Acesso em: 26 março. 2018.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997. 126p. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Livro.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2014.

CANDAU, V. M. F. A formação continuada de professores: tendências atuais. In: REALI, A. M. R.; MIZUKAMI, M. G. N. (Orgs). Formação de professores: tendências atuais. São Carlos: EDUFSCar, 1996. p. 139-152.

DANGIÓ, M. C. S. A alfabetização sob o enfoque histórico-crítico: contribuições didáticas. 2017. 355f. Tese (Doutorado em Educação Escolar) - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2017.

GARCÍA, C. M. A formação de professores: novas perspectivas baseadas na investigação sobre o pensamento do professor. In: NÓVOA, A. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995. p. 51-76.

IMBERNÓN, F.Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

KRAMER, S. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: educação Infantil e/é fundamental. Revista Educação e Sociedade, Campinas, vol. 27,n. 96 – Especial, p.797-818, out. 2006.

KRAMER, S. Gestão pública, formação e identidade de profissionais de educação infantil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, vol. 37, n. 131, p. 452-453, maio/ago. 2007.

KRAMER, S.Profissionais de educação infantil: gestão e formação. São Paulo: Ática, 2005.

MUNDIM, J. S. M., SARAMAGO, G; O trabalho com a matemática na educação infantil, Revista Encontro de Pesquisa em Educação, Uberaba, vol. 1, n.1, p. 202-213, 2013.

NÓVOA, A. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

SACCOMANI, M. C. S.; COUTINHO, L. C. S. Da formação inicial de professores à formação continuada: contribuições da pedagogia histórico-crítica na busca de uma formação emancipadora. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, vol. 7, n. 1, p. 233-242, jun. 2015.

SAVIANI, D. História das Ideias Pedagógicas no Brasil. 1. ed. Campinas: Autores Associados, 2007.

SMOLE. K. C. S. A matemática na educação infantil: a teoria das inteligências múltiplas na prática escolar. Porto Alegre: Artmed, 2000.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 12. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

VIGOTSKI, L. S. Psicologia Pedagógica. Tradução de Paulo Bezerra. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

Downloads

Publicado

2019-01-23

Como Citar

Barbosa, E. M., & Pimenta, J. I. P. B. (2019). O contexto de implementação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Educação Infantil em municípios do interior paulista. Revista Educação E Políticas Em Debate, 6(1). https://doi.org/10.14393/REPOD.issn.2238-8346.v6n1a2017-05

Edição

Seção

Dossiê: Políticas educacionais para a educação infantil: dilemas atuais