O PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMO) NO DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR

Autores

  • Fabiana Martins Pinto Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v5n1a2016-44578

Resumo

A pesquisa buscou compreender como o Project Management Office (PMO) pode atuar no desenvolvimento dos projetos das Instituições Federais de Ensino Superior quanto às variáveis de risco envolvidas no seu aspecto financeiro. A metodologia consistiu no levantamento bibliográfico e na análise documental sobre o tema, e abordou o gerenciamento de projetos do Project Management Body of Knowledge (PMBOK); o uso dos projetos na nova gestão pública; a organização, a estrutura administrativa e o funcionamento das Universidades Públicas Federais, bem como a adoção do PMO nos seus projetos. Diante das principais variáveis de risco apontadas e da ausência da gerência de risco observada, conclui-se que PMO pode atuar no monitoramento, no controle e na construção de um plano contingência de risco.

Palabras-chave: Projetos. Gerenciamento de Risco. PMO. Universidades.

THE PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMO) IN THE DEVELOPMENT OF HIGHER EDUCATION FEDERAL INSTITUTIONS PROJECTS

Abstract: The research in question aimed to understand how the Project Management Office (PMO) can act in the development of Tertiary Educational Institutions projects in relation to risk variables in the financial area. The research methodology involved bibliographic survey and analysis of documents on the topic in question and addressed the project management of the Project Management Body of Knowledge (PMBOK); the use of projects in the new public management; the organization, the administrative structure, the functioning of the Public Federal Universities, as well as the adoption of PMO in their projects. In the face of the main risk variables pointed out and the lack of risk management observed, we concluded that the PMO can act in the monitoring, control and the construction of a contingency plan for risk management.

Keywords: Projects. Risk Management. PMO. Universities.

LE PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMO) DANS LE DÉVELOPPEMENT DES PROJETS DES INSTITUTIONS FÉDÉRALES D'ENSEIGNEMENT SUPÉRIEUR

Resumé: Cette recherche essaie de comprendre comment le Project Management Office (PMO) peut influer dans le développement des projets des Institutions Fédérales d'Enseignement Supérieur quant aux variables de risque concernant l'aspect financier. La méthodologie de ce travail est constituée d'un recueil bibliographique et l'analyse de documents sur le sujet. Elle porte sur la gérance de projets du Project Management Body of Knowledge (PMBOK); l'utilisation des projets dans la nouvelle gestion publique; l'organisation, la structure administrative et le fonctionnement des Universités Publiques Fédérales et l'adoption du PMO au sein de leurs projets. En face des principales variables de risque signalées et de l'absence de gestion de risque remarquée, on conclue que le PMO peut agir dans la surveillance, le contrôle et la construction d'un plan contingent de risque. 

Mots-clés: Projets. Gestions des risques. PMO. Universités.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fabiana Martins Pinto, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Pedagoga pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Pós-graduanda em Gerenciamento de Projetos pela Universidade Candido Pimentel (UCAM) e Servidora Técnica-administrativa em educação na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

 

Referências

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, 03 out. 1988. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/ConstituicaoCompilado.htm>. Acesso em: 01 abri. 2016.

BRASIL. Lei nº 8666 de 21 de Junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública. Diário Oficial da União, Brasília, 22 jun. 1993. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8666cons.htm>. Acesso em: 25 abr. 2016.

BRASIL. Lei nº 8958 de 20 de dezembro de 1994. Dispõe sobre as relações entre as instituições federais de ensino superior e de pesquisa científica e tecnológica e as fundações de apoio. Diário Oficial da União, Brasília, 21 dez. 1994. <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1994/lei-8958-20-dezembro-1994-348596-normaatualizada-pl.html>. Acesso em: 25 abr. 2016.

BRASIL. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 dez. 1996. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 20 abr. 2016.

BRASIL. Decreto-lei nº 6170 de 25 de Julho de 2007. Dispõe sobre as normas relativas às transferências de recursos da União mediante convênios e contratos de repasse. Diário Oficial da União, Brasília, 26 jul. 2007. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6170.htm>. Acesso em: 25 abr. 2016.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Relatório TC 017.1772008-2. Acordão nº 2731/2008. Fiscalização de orientação centralizada. Tema de maior significância “educação”. Avaliação do relacionamento das instituições de ensino superior com suas fundações de apoio. Relatório de consolidação. Diversas falhas. Determinações. Recomendações. Grupo I, Classe VII. Brasília: TCU, nov. 2008. Disponível em <http://www.andifes.org.br/wp-content/files_flutter/acordao_2731_2008-TCU.pdf>. Acessado em: 12 abr. 2016.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Modelo do planejamento governamental 2012-2015. Disponível em:<http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/arquivo/spi-/ppa1/2012/mp_003_modelo_planeja_gov.pdf/view>. Acesso em: 1 abr. 2016.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Projeto de Lei Orçamentária Anual – PLOA 2015. Brasília, 2014. Disponível em <http://www.orcamentofederal.gov.br/orcamento-cidadao/ofat-2015/mp_ofat2015_web.pdf>. Acesso em: 1 abr. 2016.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Manual Técnico de Orçamento – MTO 2016. Brasília, 2015. Disponível em <http://www.orcamentofederal.gov.br/informacoes-orcamentarias/manual-tecnico/mto_2016_1aedicao-200515.pdf >. Acesso em: 1 abr. 2016.

CAMPELLI, G. R. A Integração do Gerenciamento de Projetos com Balanced Scorecard em Projetos Públicos: uma contribuição para a efetividade no gerenciamento de convênios. 2011. 214 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2011.

CARNEIRO, F. S. et al. PMO como instrumento de Viabilização Governamental. In: _______. (Org.). Gestão pública: o papel do planejamento estratégico, gerenciamento de portfólio, programas e projetos e dos escritórios de projetos na modernização da gestão pública. Rio de Janeiro: Brasport, 2010.

CRAWFORD, K; CARNEIRO, M.F. PMO (Project Management Office) porque implantar? In: CARNEIRO, F. S. (Org.). Gestão pública: o papel do planejamento estratégico, gerenciamento de portifólio, programas e projetos e dos escritórios de projetos na modernização da gestão pública. Rio de Janeiro: Brasport, 2010.

FERREIRA, L. R. O Público e o privado nas Universidades públicas: análises da Fundação de apoio privada FADESP no gerenciamento dos recursos para a UFPA (2004 a 2008). 2010. 215 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Instituto de Ciências da Educação, Universidade Federal do Pará, Belém. 2010.

HILARIO, M. A. S. Gestão por resultados na administração pública. 2009. 60 f. Trabalho de conclusão de curso – Universidade do Estado do Amazonas, Manaus. 2009. Disponível em <http://www.seplancti.am.gov.br/arquivos/download/arqeditor/monografia_marcia.pdf>. Acesso em: 25 maio 2016.

KERZNER, H. Gestão de Projetos: as melhores práticas. 2ª Ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

LIMA, E. F.; ALMEIDA, V. L.; MAIA, G. A. S. A Implantação do Escritório de Projetos (PMO) da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS): uma iniciativa inovadora na gestão pública sul-mato-grossense. Revista GUAL, Florianópolis, v. 8, n. 4, p. 38-56, Edição Especial. 2015. Disponível em <https://periodicos.ufsc.br/index.php/gual/article/view/1983-4535.2015v8n4p38/30862>. Acesso em: 19 abr 2016.

REZENDE, F. C. Desafios gerenciais para a reconfiguração da administração burocrática brasileira. Revista Sociologias, Porto Alegre, ano 11, n. 21, jan./jun.2009. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/soc/n21/14.pdf>. Acesso em: 19 abr. 2016.

RINALD, R. N. Adaptação estratégica em universidades públicas: o caso da Unioeste. Cascavel: Edunioeste, 2002.

SGUISSARDI, V. O Banco Mundial e a educação superior: revisando teses e posições. Universidade & Sociedade, Brasília, DF, v. 10, n. 22, p. 66-77, 2000.

SAVI, E. M. S. Gerenciamento de projetos apoiando a gestão pública: uma análise do Estado de Minas Gerais. 2011. 334 f. Tese de Doutorado (Engenharia de produção) – Escola de Engenharia, Universidade de São Paulo, São Carlos. 2011.

TRIGUEIRO, M.G.S. Universidades públicas: desafios e possibilidades no Brasil contemporâneo. In: RINALD, R. N. Adaptação estratégica em universidades públicas: o caso da Unioeste. Cascavel: edunioeste, 2002.

VALERIANO, D. L. Gerenciamento estratégico e administração por projetos. Editoa Pearson, 2001.

VIEIRA, E. F.; VIEIRA, M. M. F. Funcionalidade burocrática nas Universidades Federais: conflito em tempos de mudança. Rev. Adm. Contemp. v.8, n. 2, abr./jun. 2004. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/rac/v8n2/v8n2a10.pdf>. Acesso em 25 abr.2016.

Downloads

Publicado

2018-09-17

Como Citar

PINTO, F. M. O PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMO) NO DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR. Revista Educação e Políticas em Debate, [S. l.], v. 5, n. 1, 2018. DOI: 10.14393/REPOD-v5n1a2016-44578. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/44578. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos