Thinking and doing otherwise with ELLA

A virtual laboratory for EFL learning

Autores

  • Cristiane Brito UFU
  • Simone Tiemi Hashiguti
  • Giselly Tiago Ribeiro Amado
  • Isabella Zaiden Zara Fagundes
  • Fabiano Silvério Ribeiro Alves

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v35nEsp2019-11

Palavras-chave:

Conversação em inglês como língua estrangeira, Tecnologia de linguagem, Linguística Aplicada Crítica, Cuidado, Dignidade

Resumo

Este artigo discute como uma abordagem crítica ao ensino de idiomas está sendo traduzida em conteúdo e programação computacional para criação de um laboratório virtual para aprender inglês como língua estrangeira. O laboratório compreende material didático, tais como videoaulas, animações e exercícios, e um sistema de inteligência artificial que fornece feedback aos usuários. Começamos explicando o contexto em que o laboratório foi concebido e seus objetivos. Seguimos com uma discussão sobre nossa abordagem crítica no ensino e aprendizagem de idiomas. Em seguida, descrevemos alguns de seus conteúdos e listamos as aplicações da inteligência artificial em laboratório. No final, apontamos desenvolvimentos futuros para pesquisas. O laboratório ainda está sendo desenvolvido e é um projeto de inovação financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMADO, G. T. R. EAD - entre a ferramenta e a língua perfeita: um estudo discursivo sobre aprendizagem de língua inglesa como língua estrangeira a distância. 2018. Thesis (M.A. in Linguistic Studies) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018.

BAKHTIN, M. (Voloschinov). (1929). Marxismo e filosofia da linguagem. 9. ed. São Paulo: Hucitec, 2002.

BAPTISTA, L. M. T. R.; LÓPEZ-GOPAR, M. Educação crítica, decolonialidade e educação linguística no Brasil e no México: questões epistemológicas e metodológicas traçadas por um paradigma-outro. (This volume)

BOLOGNINI, C. Z.; OLIVEIRA, Ê.; HASHIGUTI, S. T. Línguas estrangeiras no Brasil: história e histórias. Ministério da Educação; CEFIEL/UNICAMP, 2005.

BRITO, C. C. P.; HASHIGUTI, S. T. Aspectos discursivos sobre/no ensino-aprendizagem de língua inglesa e na formação de professores em um curso EaD. Horizontes de Linguística Aplicada, ano 13, n. 2, p. 89-114, 2014. https://doi.org/10.26512/rhla.v13i2.1365

CABALUZ-DUCASSE, J. F. Pedagogías críticas latinoamericanas y filosofía de la liberación: potencialidades de un diálogo teórico-político. Educación y Educadores, Bogotá, v. 19, n. 1, p. 67-88, 2016. https://doi.org/10.5294/edu.2016.19.1.4

CANAGARAJAH, S. Resisting linguistic imperialism in English teaching. Oxford: Oxford University Press, 1999.

CANAGARAJAH, S. Translingual practices and neoliberal policies: Attitudes and strategies of African skilled migrants in anglophone workplaces. Switzerland: Springer, 2017. https://doi.org/10.1007/978-3-319-41243-6

CANAGARAJAH, S. English as a spatial resource and the claimed competence of Chinese STEM professionals. World Englishes, n. 37, p. 34-50, 2018. https://doi.org/10.1111/weng.12301

CAVALCANTI, M. Educação linguística na formação de professores de línguas: intercompreensão e práticas translíngues. In: MOITA LOPES, L. P. (Ed.) Linguística Aplicada na modernidade recente. Festschrift para Antonieta Celani. São Paulo: Parábola; Cultura Inglesa, 213. p. 211-226.

CAVALCANTI, M.; MAHER, T. M. (Ed.) Multilingual Brazil: Language resources, identities and ideologies in a globalized world. New York: Routledge, 2018. https://doi.org/10.4324/9781315623870

COURTINE, J. J. Análise do discurso político: o discurso comunista endereçado aos cristãos. Translated by Cristina Campos de Velho Birck et al. São Carlos: Edufscar, 2009.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. A thousand plateaus. Capitalism and schizophrenia. Translated by Brian Massumi. Minnesota: University of Minnesota Press, 2003.

DELEUZE, G. Foucault. Translated by Cláudia Sant´Anna Martins. São Paulo: Brasiliense, 2005.

DODIGOVIC, M. Artificial intelligence in second language learning: raising error awareness. Clevendon: Multilingual Matters Ltd, 2005. https://doi.org/10.21832/9781853598319

FANON, F. Pele negra máscaras brancas. Trad. de Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008. https://doi.org/10.7476/9788523212148

FERREIRA DE SOUZA, P. H. G.; MEDEIROS, M. The concentration of income at the top in Brazil, 2006-2014. Brasília: International Policy Centre for Inclusive Growth (IPC-IG), 2017. Available at: https://ipcig.org/pt-br/brasil-est%c3%a1-entre-os-cinco-pa%c3%adses-do-mundo-em-que-o-1-mais-rico-recebe-mais-de-15-da-renda-total. Accessed on: 31 May 2019.

FRANZONI, P. Nos bastidores da “Comunicação Autêntica”. Uma reflexão em Lingüística Aplicada. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Translated by Luiz Felipe Baeta Neves. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

GARCÍA, O.; WEI, L. Translanguaging: Language, bilingualism and education. London: Palgrave Macmillan, 2014. https://doi.org/10.1057/9781137385765

HASHIGUTI, S. T. Can we speak English: Reflections on the unspoken EFL in Brazil. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, v. 56, n. 1, p. 213-233, jan./abr. 2017. https://doi.org/10.1590/010318135150200431

HASHIGUTI, S. T. A questão de gêneros: masculino e feminino em livros didáticos de língua inglesa como língua estrangeira. In: CORACINI, M. J.; CAVALLARI, J. S. (Org.). (Des)Construindo verdade(s) no/pelo material didático: discurso, identidade, ensino. Campinas: Pontes, 2016. p. 137-154.

HASHIGUTI, S. T. O corpo nas imagens em livros didáticos de língua inglesa. In: HASHIGUTI, S. T. Linguística Aplicada e ensino de línguas estrangeiras: práticas e questões sobre e para a formação docente. Curitiba: CRV, 2013. p. 35-58.

KONAR, Amit. Artificial intelligence and soft computing: behavioral and cognitive modeling of the human brain. Boca Raton: CRC Press LLC, 2000. https://doi.org/10.1201/9781420049138

KRISHNAMURTHI, S.; LERNER, B. S.; POLITZ, J. G. Programming and programming languages. 2018. Available at: https://papl.cs.brown.edu/2018/. Access on: 15 June 2019.

KUBOTA, R.; MILLER, E. R. Re-examining and re-envisioning criticality in language studies: Theories and praxis. Critical Inquiry in Language Studies, year 0, p. 1-29, 2017.

KUBOTA, R. The multi/plural turn, postcolonial theory, and neoliberal multiculturalism: Complicities and implications for Applied Linguistics. Applied Linguistics, p. 1–22, 2014. https://doi.org/10.1093/applin/amu045

KUMARAVADIVELU, B. Individual identity, cultural globalization, and teaching English as an international language: The case for an epistemic break. In: Alsagoff, L. (Ed.). Principles and practices for teaching English as an international language. New York: Routledge, 2012. p. 9-27.

LAZZARATO, M. Signs, machines, subjectivities. São Paulo: SESC/n-1, 2014.

LAZZARATO, M. The making of the indebted man: An essay on the neoliberal condition. Los Angeles: Semiotext(e), 2012.

MASSINI-CALIARI, G. Language policy in Brazil: monolingualism and linguistic prejudice. Language Policy, v. 3, p. 3-23, 2004. https://doi.org/10.1023/B:LPOL.0000017723.72533.fd

MELO, M. A. V. Inteligência artificial e ensino de inglês como língua estrangeira: inovação tecnológica e metodológica/de abordagem? 2019. Thesis (MA) – Instituto de Letras e Linguística, Universidade Federal de Uberlândia, 2019.

MOITA LOPES, L. Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

MOUFFE, C. Por um modelo agonístico de democracia. Rev. Sociol. Polít., v. 25, p. 11-23, nov. 2005. https://doi.org/10.1590/S0104-44782005000200003

PAIVA, V. L. M. O. História do material didático. In: DIAS, R.; CRISTÓVÃO, V. L. L. (Ed.) O livro didático de língua estrangeira: múltiplas perspectivas. Campinas: Mercado de Letras: 2009. p. 17-56.

PEIXOTO, M. R. B. S.; HASHIGUTI, S. T. Disponibilização de materiais didáticos alternativos na sala de aula de língua estrangeira. In: HASHIGUTI, S. T. Linguística Aplicada e ensino de línguas estrangeiras: práticas e questões sobre e para a formação docente. Curitiba: CRV, 2013. p. 25-34. https://doi.org/10.24824/978858042755.4

PENNYCOOK, A. Critical applied linguistics and language education. In: MAY, S.; HORNBERGER, J. (Ed.) Encyclopedia of language and education. 2. ed. [s.l.]: Language policy and political issues in education, 2008. v., p. 169-181. https://doi.org/10.1007/978-0-387-30424-3_13

PENNYCOOK, A. Uma linguística aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, L. P. Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006. p. 67-84.

PENNYCOOK, A. Critical applied linguistics: a critical introduction. London: Routledge, 2001. https://doi.org/10.4324/9781410600790

RAJAGOLAPAN, K. The identity of “World English”. New challenges in language and literature, FALE/UFMG, p. 97-107, 2009.

REAGAN, T. The conceptualization of language legitimacy. Critical Inquiry in Language Studies, v. 13, n. 1, p. 1-19, 2016. https://doi.org/10.1080/15427587.2015.1116950

REVUZ, C. A língua estrangeira entre o desejo de um outro lugar e o risco do exílio. In: SIGNORINI, I. (Org.). Lingua(gem) e identidade: elementos para uma discussão no campo aplicado. Campinas: Mercado de Letras, 1998. p. 213-230.

RIBEIRO, D. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017.

RUSSELL, S. J.; NORVIG, P. Inteligência artificial. Translated by Regina Célia Simille. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

SANTOS, F. OLIVEIRA. Corpo visível e invisível na formação do professor de língua inglesa na educação a distância: um estudo discursivo. 2019. Thesis (MA) – Institute of Languages and Lingustics, Universidade Federal de Uberlândia, 2017. Available at: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/21151. Accessed on 17 Oct. 2019.

SERRANI-INFANTE, S. M. Identidade e segundas línguas: as identificações no discurso. In: SIGNORINI, I. (Org.). Língua(gem) e identidade: elementos para uma discussão no campo aplicado. Campinas: Mercado de Letras, 1998.

SOUZA, L. T. M. M. Cultura, língua e emergência dialógica. Letras & Letras, v. 26, n. 2, p. 289-306, jul.-dez. 2010.

SOUZA, L. T. M. M. O professor de inglês e os letramentos no século XXI: métodos ou ética? In: JORDÃO, C.; MARTINEZ, J. Z.; HALU, R. C. Formação “desformatada”. Práticas com professores de língua inglesa. Campinas: Pontes, 2011. p. 279-303.

SPIVAK, G. C. A Critique of postcolonial reason: Toward a history of the vanishing present. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 1999. https://doi.org/10.2307/j.ctvjsf541

WANG, Y. et al. Tacotron: towards end-to-end speech synthesis. arXiv:1703.10135v2 [cs.CL] 6 Apr 2017. Available at: https://arxiv.org/pdf/1703.10135.pdf. Accessed on: 22 June 2019.

Downloads

Publicado

2019-10-23

Como Citar

BRITO, C.; TIEMI HASHIGUTI, S. .; TIAGO RIBEIRO AMADO, G. .; ZAIDEN ZARA FAGUNDES, I. .; SILVÉRIO RIBEIRO ALVES, F. . Thinking and doing otherwise with ELLA: A virtual laboratory for EFL learning. Letras & Letras, [S. l.], v. 35, n. especial, p. 223–245, 2019. DOI: 10.14393/LL63-v35nEsp2019-11. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/49537. Acesso em: 20 maio. 2022.