“Desenvolvimento” para quem? As (re)esistências das juventudes ativistas frente a expansão capitalista na Amazônia paraense – Altamira/Pará/Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT185069487

Palavras-chave:

juventudes, ativismo, (des)envolvimento, Amazônia, Pará

Resumo

Trata-se de um estudo sobre as visões das juventudes ativistas da Amazônia Paraense, localizadas em Altamira, acerca do (des)envolvimento que foi imposto à localidade, levando em consideração os processos de que são desencadeados na realidade da expansão do capitalismo. Tem como pressuposto de que, é possível trilhar novas perspectivas sobre a temática em conjunto com estes sujeitos, oportunizando articular conhecimentos de áreas distintas em rumo à compreensão da complexidade de contribuição de vivência da juventude de Altamira para levantar questionamentos acerca do modelo de desenvolvimento.  Utilizou-se de entrevistas semiestruturadas e observação participante para a coleta de dados, sendo possível, por meio dos resultados, afirmar que as juventudes da localidade compõem o cenário de enfrentamento à expansão dos mecanismos de ampliação do modelo de (des)envolvimento hegemônico, que desconsidera realidades e essências na Amazônia Paraense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanderson Viana Rodrigues, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP

Doutorando em Geografia pelo Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGEO) da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Campus Campinas/SP, Mestre em Geografia pelo Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGG) da Universidade do Estado do Pará - UEPA, campus Belém/PA, Pós-graduando em Geografia do Brasil, pela Faculdade Venda Nova do Imigrante - FAVENI, Espírito Santo/ES, Pós-graduado em Meio Ambiente, Desenvolvimento e Sustentabilidade, pela Universidade Cândido Mendes - UCAM, Rio de Janeiro/RJ, Graduado em Geografia Licenciatura pela Universidade Estadual do Maranhão - UEMA, campus São Luís/MA. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Sobre a Questão Agrária e Movimentos Sociais - GEPQAM/UEMA/CNPQ e do Grupo de Pesquisa Territorialização camponesa na Amazônia GPTECA/UEPA/CNPQ. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Ensino da Geografia, Análise Regional e Análise Territorial atuando principalmente nos seguintes temas: Educação, Educação do/no campo, Modernização Agrícola, Conflitos agrários, Questão Agrária e Reforma Agrária, Planejamento e Gestão de Politicas Publicas.

Ana Rosa Calado Cyrus, Universidade do Estado do Pará - UEPA

Mestra em Geografia pelo Programa de Pós- Graduação em Geografia- PPGG/UEPA. Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade do Estado do Pará. Membro do Grupo de Pesquisa em Educação e Meio Ambiente (GRUPEMA). Atuou como bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID)-UEPA/CAPES do Subprojeto de Pedagogia-Belém e estagiária do projeto CEAJU- Cidadania, Educação Ambiental e Juventude, vinculado ao Ministério da Educação através do Programa de Extensão Universitária (ProExt). Interesse em temas sobre Educação e Meio Ambiente, movimentos socioambientais e sujeitos amazônidas.

Downloads

Publicado

18-08-2023

Como Citar

RODRIGUES, V. V.; CYRUS, A. R. C. “Desenvolvimento” para quem? As (re)esistências das juventudes ativistas frente a expansão capitalista na Amazônia paraense – Altamira/Pará/Brasil. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 18, n. 50, p. 1–10, 2023. DOI: 10.14393/RCT185069487. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/69487. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Relato de experiência