Reassentamento rural coletivo km-27 (RRC-27), Vitória do Xingu/PA, por famílias ribeirinhas impactadas pela UHE-Belo Monte

Autores

  • Nathany Melo Machado Arcanjo Universidade Federal do Pará - UFPA https://orcid.org/0000-0002-7600-2657
  • José Antonio Herrera Universidade Federal do Pará - UFPA. Programa de Pós Graduação em Geografia - PPGEO - UFPA - Belém / Faculdade de Geografia - Campus Universitário de Altamira.
  • Darlene Costa da Silva Universidade Federal do Pará - UFPA https://orcid.org/0000-0001-5345-7117

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT174865974

Palavras-chave:

Amazônia, Belo Monte, Deslocamento, Espaço agrário, Grandes Projetos

Resumo

O Brasil tem seu crescimento econômico pautado na exploração dos recursos naturais, dispostos principalmente na região Amazônica, por meio das implantações de grandes projetos, os quais proporcionam transformações nas dinâmicas espaciais do sujeito local. A exemplo, tem-se a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte (UHEBM) na Volta Grande do Xingu – PA, suas edificações geraram o deslocamento compulsório de diversas famílias que residiam nas áreas de influência do empreendimento, acarretando deformações nos modos de vida tradicionais dos sujeitos ribeirinhos, descaracterizando suas origens e, obrigatoriamente, transformando-os em indivíduos da cidade ou em agricultores familiares. Tendo em vista estas transformações dadas na região, objetivou-se em pesquisa compreender a produção do espaço do Reassentamento Rural Coletivo do km 27, localizado em Vitória do Xingu – PA (RRC-27), o qual surge com o intuito de fornecer condições equivalentes ou melhores àquelas que as famílias possuíam antes da implantação da Usina. Para o levantamento dos dados primários foram realizadas entrevistas semiestruturadas com as famílias moradoras do Reassentamento nos anos de 2017, 2018 e 2019, permitindo a apreensão da realidade das famílias realocadas, além da inserção em campo, foram analisados os documentos oficiais referentes ao objeto de estudo. Constatou-se que as famílias deslocadas compulsoriamente buscam estabelecer novos modos de produção, novas estratégias e novas dinâmicas espaciais no novo espaço, tentando se adequar ao que os agentes externos impõem como auxílio à reprodução de seus novos modos de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathany Melo Machado Arcanjo, Universidade Federal do Pará - UFPA

Mestre no Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGeo) e graduada no curso de bacharelado em Geografia da Universidade Federal do Estado do Pará. Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, membro ativo do Laboratório de Estudos da Dinâmica Territorial na Amazônia - LEDTAM, pesquisador voluntário da Rede de Pesquisa do Xingu - REDEX, Centro de Treinamento e Informação do Xingu - CEFORM e Fundação Amazonense de Estudos e Pesquisas de Testes - Fapespa.

José Antonio Herrera, Universidade Federal do Pará - UFPA. Programa de Pós Graduação em Geografia - PPGEO - UFPA - Belém / Faculdade de Geografia - Campus Universitário de Altamira.

Professor/pesquisador da Universidade Federal do Pará - UFPA / Campus de Altamira, lotado na Faculdade de Geografia. Possui graduação em Licenciatura Plena Em Ciências Agrárias pela Universidade Federal do Pará (2001) e mestrado em Agriculturas Amazônicas pela Universidade Federal do Pará (2003). Doutorado em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente pelo Instituto de Economia da UNICAMP. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Desenvolvimento Econômico, atuando principalmente nos seguintes temas: Dinâmicas Agrárias; Economia Agrária e dos Recursos Naturais; Produção Agropecuária Familiar; Gestão dos Recursos Naturais.

Darlene Costa da Silva, Universidade Federal do Pará - UFPA

Graduada em Geografia pela Universidade Federal do Pará (2013). Mestra em Geografia pela Universidade Federal do Pará/PPGEO (2016). Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Rondônia (2020).Atualmente é bolsista de Pós-Doutorado do Projeto Uso e garantia do território, com práticas sustentáveis na reserva Verde para Sempre/Porto de Moz-PA, parte do Projeto Clima e o Uso da Terra (CLUA), firmado com a Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (FADESP) e a Universidade Federal do Pará (UFPA).Concentra suas pesquisas na área de Geografia, principalmente nos seguintes temas: população tradicional, hidrelétricas, território, Amazônia, reassentamento rural.Cursando especialização Historia e cultura afro-brasileira pelo instituto Nacional de ensino. Graduada em Pedagogia pela Faculdade Maranhense(2020). Cursando Especialização em Atendimento Educacional Especializado e Educação Especial pela UNOPAR. Cursando especialização Gestão escolar integrada com enfase em administração, supervisão, orientação e inspeção escolar pela EDUCAMAIS. Cursando ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESCOLAR INTEGRADA E PRATICAS PEDAGÓGICAS PELA EDUCAMAIS. Trabalhou em escola do ensino básico, atuando como alfabetizadora e no ensino de Geografia para alunos do ensino fundamental e médio. Atuação no ensino Superior em turmas de graduação de Geografia e Pedagogia. Pesquisadora do Laboratório de Estudos das Dinâmicas Territoriais na Amazônia (LEDTAM) e do Grupo de Ordenamento territorial da Amazônia. (GOT)

Downloads

Publicado

28-11-2022

Como Citar

ARCANJO, N. M. M.; HERRERA, J. A.; SILVA, D. C. da. Reassentamento rural coletivo km-27 (RRC-27), Vitória do Xingu/PA, por famílias ribeirinhas impactadas pela UHE-Belo Monte. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 17, n. 48, p. 81–108, 2022. DOI: 10.14393/RCT174865974. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/65974. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos