Reassentamento rural coletivo na Amazônia

estudo da desterritorialização das famílias afetadas pelas Hidrelétricas Santo Antônio (RO) e Belo Monte (PA)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT174409

Resumo

A desterritorialização da população afetada com a construção das hidrelétricas Santo Antônio em Porto Velho/RO e Belo Monte entre os municípios de Altamira e Vitória do Xingu-PA transforma o modo de vida das famílias que viviam nas áreas que foram inundadas com o enchimento dos reservatórios. Neste sentido, objetivo geral é analisar dois reassentamentos construído por hidrelétricas: um em Porto Velho, chamado Santa Rita, e o outro no Pará, denominado RRC, de modo a demonstrar as principais dificuldades para reintegração ao novo território. Os reassentamentos foram construídos como ação mitigadora das condicionantes, para amenizar, segundo o empreendedor, o impacto causado às famílias afetadas que foram deslocadas. As informações foram coletadas com revisão bibliográfica, documental, coleta de campo com fotos e dados obtidos com aplicação de formulários e entrevistas. Os reassentados convivem com as mudanças impostas pelo empreendedor que alteraram seu modo de vida e estão buscando constantemente recriar novos meios de produzir e de sobreviver longe do rio, tendo que se adequar a essas mudanças, que são rodeadas de desinformações, descaso e revoltas, sendo que a questão principal é a produção de energia e não a melhoria da qualidade de vida das pessoas envolvidas.

Palavras-chave: Território. Desterritorialização. Territorialidade. Reassentamento. Amazônia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

20-05-2022

Como Citar

SILVA, D. C. da; CAVALCANTE, M. M. Reassentamento rural coletivo na Amazônia: estudo da desterritorialização das famílias afetadas pelas Hidrelétricas Santo Antônio (RO) e Belo Monte (PA). Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 17, n. 44 Abr., p. 204–229, 2022. DOI: 10.14393/RCT174409. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/62258. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos