Movimentos socioterritoriais, mulheres e doação de alimentos no Brasil

as campanhas de solidariedade como resistência durante a pandemia da COVID-19

Autores

  • Aline Albuquerque Jorge Universidade Estadual Paulista (UNESP)
  • Lara Dalperio Buscioli Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho
  • Silmara Oliveira Moreira Bitencourt Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho
  • Janaina Francisca de Souza Campos Vinha Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Roberta Oliveira da Fonseca Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho https://orcid.org/0000-0003-2672-2258
  • Larissa Araújo Coutinho de Paula Universidade Federal do Espírito Santo
  • Hellen Carolina Gomes Mesquita da Silva Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT174709

Resumo

Resumo

 

No Brasil, durante a pandemia de Covid-19, o aprofundamento da questão da insegurança alimentar grave e da violência contra a mulher tornaram-se uns dos principais impactos potencializados pela postura adotada pelo governo de Jair Messias Bolsonaro. Diante disso, diferentes sujeitos, organizados em movimentos socioterritoriais do campo e da cidade, realizaram ações de resistência para mitigação destes problemas, tendo a solidariedade como elemento nucleador. Este trabalho analisa as ações das mulheres camponesas nas campanhas de doação de alimentos a partir do debate paradigmático, por meio de levantamentos bibliográficos, sistematização de dados quantitativos e da realização de entrevistas. As mulheres ocupam a centralidade nas ações voltadas para as campanhas, caracterizadas pela diversidade de identidades dos sujeitos participantes, com doações de marmitas, cestas, produtos de higiene/limpeza, etc. Esta centralidade coloca-se tanto nas produções dos alimentos quanto na gestão, preparação, estrutura de funcionamento/articulação e no campo paradigmático de discussões. Tais ações estão alicerçadas no Paradigma da Questão Agrária, pois buscam superar os problemas estruturantes do capital e propor mudanças socioterritoriais para um novo modelo de sociedade, pautado na justiça social e na promoção da Reforma Agrária Popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Albuquerque Jorge, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Universidade Estadual Paulista, Doutoranda em Geografia, Presidente Prudente, SP, Brasil.

Lara Dalperio Buscioli, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho

Universidade Estadual Paulista, Doutoranda em Geografia, Presidente Prudente, SP, Brasil.

Silmara Oliveira Moreira Bitencourt, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho

Universidade Estadual Paulista, Doutoranda em Geografia, Presidente Prudente, SP, Brasil.

Janaina Francisca de Souza Campos Vinha, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Docente da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial na América Latina e Caribe (TerritoriAL-UNESP). Coordenadora do Núcleo de Estudos Territoriais e Agrários (NaTERRA).

Roberta Oliveira da Fonseca, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho

Universidade Estadual Paulista, Doutoranda em Geografia, Presidente Prudente, SP, Brasil.

Larissa Araújo Coutinho de Paula, Universidade Federal do Espírito Santo

Docente do curso de Licenciatura em Educação do Campo da Universidade Federal do Espírito Santo.

Hellen Carolina Gomes Mesquita da Silva , Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho

Universidade Estadual Paulista, Doutoranda em Geografia, Presidente Prudente, SP, Brasil.

Downloads

Publicado

04-10-2022

Como Citar

ALBUQUERQUE JORGE, A.; DALPERIO BUSCIOLI, L.; OLIVEIRA MOREIRA BITENCOURT, S.; FRANCISCA DE SOUZA CAMPOS VINHA, J.; OLIVEIRA DA FONSECA, R.; ARAÚJO COUTINHO DE PAULA, L.; CAROLINA GOMES MESQUITA DA SILVA , H. Movimentos socioterritoriais, mulheres e doação de alimentos no Brasil: as campanhas de solidariedade como resistência durante a pandemia da COVID-19. Revista Campo-Território, Uberlândia-MG, v. 17, n. 47 Out., p. 179–206, 2022. DOI: 10.14393/RCT174709. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/65896. Acesso em: 29 nov. 2022.