A organização das quebradeiras de coco babaçu e sua produção do território

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT153909

Resumo

Este artigo foi elaborado no intuito de estabelecer a compreensão acerca da importância da existência dos movimentos sociais do campo, especialmente aqueles que deram espaço para que quebradeiras de coco se unissem e se reconhecessem enquanto agentes de transformação de sua realidade. Produzindo seu território estritamente ligado à luta junto a grupos que fortaleceram o enfrentamento de conflitos desses camponeses muitas vezes marginalizados pela sociedade capitalista e assim contribuem para que se garanta a justiça social frente às adversidades impostas.

.

Palavras-chave: Quebradeiras de coco babaçu. Território. Organização. PGPM. Maranhão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayara Karla Silva Montenegro, Universidade Federal do Maranhão

Graduada em Licenciatura em Ciências Humanas - História pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Sávio José Dias Rodrigues, Universidade Federal do Maranhão

Professor do Curso de Estudos Africanos e Afro-Brasileiros da UFMA  e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFMA

Downloads

Publicado

30-12-2020

Como Citar

MONTENEGRO, M. K. S. .; RODRIGUES, S. J. D. . A organização das quebradeiras de coco babaçu e sua produção do território. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 15, n. 39 Dez., p. 145–161, 2020. DOI: 10.14393/RCT153909. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/60277. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

Território e Resistências no Campo Brasileiro