OCORRÊNCIA DO LEITE INSTÁVEL NÃO ÁCIDO EM VACAS LEITEIRAS NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA- AL.

Autores

  • Pamella Polyane Monteiro de Souza Universidade Federal de Alagoas
  • Karla Danielle Almeida Soares Universidade Federal de Alagoas
  • Cantidio Francisco de Lima Filho Universidade Federal de Alagoas
  • Rinaldo Aparecido Mota Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Maria Cristina Delgado da Silva Universidade Federal de Alagoas
  • Elizabeth Sampaio de Medeiros Universidade Federal de Alagoas

Palavras-chave:

Leite instável não ácido, Estabilidade ao álcool, Acidez de Dornic.

Resumo

Objetivou-se com o presente estudo avaliar a ocorrência do Leite Instável não Ãcido em propriedades leiteiras que fornecem leite para um laticínio situado no município de Viçosa-AL. Foram coletadas 276 amostras de leite obtidas da ordenha completa de cada animal, sendo armazenadas em tubos de ensaio esterilizados e identificados com o nome ou número do animal, as amostras foram imediatamente encaminhadas em caixas isotérmicas contendo gelo reciclável ao laboratório para análise da estabilidade ao álcool e a determinação da acidez em graus Dornic. Foram encontradas 119 amostras com instabilidade ao teste do álcool, sendo 93 (78%) amostras positivas para LINA e 26 (22%) amostras positivas para leite ácido. Conclui-se, com este estudo, que há uma ocorrência elevada de leite instável não ácido (LINA) nas fazendas leiteiras estudadas. Sugere-se o monitoramento da ocorrência do LINA para minimizar as alterações das características físico-químicas, preservar a qualidade nutricional do leite e, dessa forma, diminuir a rejeição por parte das indústrias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizabeth Sampaio de Medeiros, Universidade Federal de Alagoas

Inspeção de produtos de origem animal Universidade Federal de Alagoas Unidade Educacional Viçosa

Downloads

Publicado

2013-05-23

Como Citar

Monteiro de Souza, P. P., Almeida Soares, K. D., de Lima Filho, C. F., Mota, R. A., Delgado da Silva, M. C., & Medeiros, E. S. de. (2013). OCORRÊNCIA DO LEITE INSTÁVEL NÃO ÁCIDO EM VACAS LEITEIRAS NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA- AL. Veterinária Notícias, 17(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/19597