DESEMPENHO DE BEZERROS LEITEIROS ALIMENTADOS COM SUCEDÂNEO DE LEITE

Autores

  • Silvia Resende de Albuquerque França EV - UFMG
  • Sandra Gesteira Coelho Escola de Veterinária - UFMG

Palavras-chave:

bezerros, sucedâneo, desempenho.

Resumo

Trinta bezerros machos da raça holandeza foram utilizados para avaliação de duas dietas líquidas utilizadas na nutrição desta categoria animal, sendo uma constituída basicamente por leite integral e a outra por sucedâneo comercial formulado com uso de soro de leite em pó, leite em pó integral e soja micronizada. Os animais chegavam ao campo experimental ao primeiro dia de vida, onde eram avaliados clinicamente e zootecnicamente. No primeiro dia de vida todos recebiam colostro fornecido em duas vezes, e durante os três dias subsequentes recebiam dois litros de leite integral pela manhã e dois pela tarde. A partir do quinto dia, os bezerros foram designados aos grupos experimentais, onde passavam a receber a dieta líquida testada, um grupo recebia quatro litros de leite e o outro quatro litros de sucedâneo em um único horário de fornecimento. Ambos os grupos recebiam ainda concentrado inicial e sal mineral ad libitum, os quais eram previamente pesados, e tinham água à disposição. Diariamente era feita a determinação de consumo de concentrado e minerais. Os animais foram submetidos semanalmente a pesagem e mensuração de altura de ísquio, quando era realizada simultaneamente avaliação de escore corporal e escore fecal. Cinco bezerros de cada grupo foram selecionados para serem submetidos à avaliação de nível de glicose sangüínea a cada dez dias. Foram sacrificados cinco animais de cada grupo com idades de 30, 56 e 90 dias para avaliação morfológica e histológica do sistema digestivo. Os consumos de concentrado foram semelhantes entre os grupos, durante os dois primeiros meses de vida (até o desaleitamento). No entanto houve menor consumo pelo grupo sucedâneo no terceiro mês de vida (após o desaleitamento). Quando este parâmetro foi relacionado ao peso corporal, os resultados foram bastante semelhantes. Os consumos de minerais não diferiram (p<0,05) durante o segundo mês de vida, ao contrário do que aconteceu para o primeiro e terceiro meses. Este foi superior durante o primeiro mês de vida e inferior no terceiro mês de vida, para animais alimen- 0tados com leite. O sucedâneo não apresentou perfil de coagulação no abomaso durante o período de uma hora pós ingestão. A média de glicose sangüínea foi inferior apenas no décimo dia de vida, apresentando o pico à sexta hora após alimentação, embora tenha havido diferença para os bezerros em jejum ao vigésimo e trigésimo dias. A curva de glicose diária traçada ao longo do quadragésimo dia também apresentou o pico de glicemia à sexta hora após a ingestão da dieta líquida, sendo que nesta idade, a glicemia apresentou-se inferior para os animais que recebiam sucedâneo na segunda, na sexta (no pico), e na décima hora após a alimentação. Os escores fecais demonstraram fezes menos consistentes durante os dois primeiros períodos experimentais e mais consistentes no terceiro para ambos os grupos. Os ganhos de peso para o grupo sucedâeno foram inferiores a partir de trinta dias de vida, embora tenha sido semelhante durante o primeiro mês. O desenvolvimento em estatura foi similar ao longo do experimento, embora as alturas dos animais alimentados com sucedâneo fosse inferior aos 49 e 56 dias de vida. A única diferença que ocorreu quanto ao peso dos compartimentos estomacais, foi para o abomaso dos animais sacrificados aos 30 dias de vida. Não foram encontradas alterações histológicas na mucosa do jejuno ou do rúmen. Assim esta prática pode proporcionar uma diminuição nos custos alimentares desta categoria animal, variável conforme a estação do ano e os preços praticados no comércio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-10

Como Citar

Resende de Albuquerque França, S., & Gesteira Coelho, S. (2007). DESEMPENHO DE BEZERROS LEITEIROS ALIMENTADOS COM SUCEDÂNEO DE LEITE. Veterinária Notícias, 11(1). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18649

Edição

Seção

Artigos