Internacionalização da educação: tendências globais e desafios nacionais

Apresentação do dossiê

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v13n2a2024-73275

Palavras-chave:

Internacionalização da educação, Tendências globais, Desafios nacionais

Resumo

Na atualidade, especialistas em educação têm se dedicado ao debate relativo à existência de políticas educacionais nacionais à luz de padrões e conceitos trazidos pela globalização. Este dossiê temático mostra que apesar das pressões e orientações exercidas pela globalização neoliberal e pelas Organizações Internacionais (OIs), ainda existe espaço para as políticas educacionais nacionais que levam em conta a vinculação histórica da educação, as relações de força no espaço educacional e as dinâmicas específicas dos atores educacionais (professores, pesquisadores, técnico-administrativos, gestores, etc.). Em nível nacional e internacional os pesquisadores têm se debruçado, a partir de diferentes quadros teóricos e abordagens metodológicas, em compreender o fenômeno que neste dossiê denominaremos de internacionalização da educação. A diversidade de enfoques, perspectivas de análises e terminologias adotadas refletem a complexidade do tema, como podemos observar nos estudos desenvolvidos por Bourdon (2002); Laval e Weber (2002); Dale (2004); Robertson e Dale (2002); Beech (2006, 2009, 2012); Akkari (2011); Lauwerier e Akkari (2011); Costa (2015); Oliveira (2020); Ball (2020); Verger (2019); Shiroma (2020), entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ana Sheila Fernandes Costa, Universidade de Brasília - Brasil

Doutorado em Ciências da Educação.  Universidade de Brasília (UnB), Brasília, Distrito Federal, (DF) Brasil.

Abdeljalil Akkari, Universidade de Genebra - Suíça

Doutorado em Ciências da Educação. Universidade de Genebra, Genebra, Suíça.

Joiciane Aparecida de Souza, Haute Ecole Francisco Ferrer - Bélgica

Doutorado em Ciências da Educação. Haute Ecole Francisco Ferrer, Bruxelas, Bélgica.

Referências

AKKARI, Abdeljalil. Internacionalização das políticas educacionais: transformações e desafios. Petrópolis: Editora Vozes, 2011.

ALLAIS, S.; UNTERHALTER, E. ; MOLEBATSI, P. ; POSHOLI, L. ; HOWELL, C. Universities, the public good, and the SDG 4 vision. Grading goal four (pp. 135-155). Brill, 2020.

ALSAWAHA, A. M.. AL-ALAWI, A. I. ; AL-JAYYOUSI, O. A Critical Literature Review of World-Class Universities: Characteristics, Enablers, and Strategies. International Journal of Innovative Science and Research Technology, v.6, n.3, p.505-513, 2021.

BALL, Stephen. Educação Global S.A: novas redes políticas e o imaginário neoliberal. Ponta Grossa: UEPG, 2020.

BEECH, J. . Las agencias internacionales, el discurso educativo y las reformas de la formación docente en Argentina y Brasil (1985-2002): un análisis comparado. (Documento de Trabajo n° 20). Argentina: Escuela de Educación de la Universidad de San Andrés, 2006.

BEECH, J. (2012). Quem está passeando pelo jardim global? In: COWEN, R. KAZAMIAS, A.M.; ULTERHALTER, E. Educação comparada: panorama internacional e perspectivas Brasília: UNESCO, 2012. p.413-434.

BEECH, Jason. A internacionalização das políticas educativas na América Latina. Currículo sem Fronteiras, v. 9, n. 2, jul/dez 2009. p. 32-50.

BOURDON, J. La Banque mondiale et l’éducation, ou: est-il plus simple de construire de grands barrages que de petites écoles ?. Économies et Sociétés, n. 40, p. 501-532, 2002.

CANTOR, N. Transforming the Academy: The Urgency of Recommitting Higher Education to the Public Good. Liberal Education, v.106, n.1-2. 2020.

COSTA, A. S. F. La formation et la professionnalisation des enseignants au brésil: entre politiques éducatives, formation et travail. 2015. Thèse (Doctorat en sciences de l’éducation) - Faculté de Psychologie et Sciences de l’Éducation, Université de Genève, Genève, 2015.

COX, R. W. Gramci, hegemonia e relações internacionais: um ensaio sobre o método. In: Gill, S. (Org.). Gramsci, materialismo histórico e relações internacionais. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007, p. 101-124.

DALE, R. Globalização e educação: demonstrando a existência de uma “Cultura Educacional Mundial Comum” ou localizando uma “Agenda Globalmente Estruturada para a Educação”? Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 87, p. 423-460, maio/ago. 2004.

DALE, R.; ROBERTSON, S.L. The Varying Effects of Regional Organisations as Subjects of Globalisation of Education. Comparative Education Review, [Special Issue on Globalisation and Regionalisation], v. 10, n.1, p.37-66, 2002. Disponível em: https://www.journals.uchicago.edu/doi/abs/10.1086/324052?journalCode=cer. Acesso em: 15 abr. 2023. DOI: https://doi.org/10.1086/324052

DE WIT, H. ; ALTBACH, P. G. Internationalization in higher education: Global trends and recommendations for its future. In:____ Higher Education in the Next Decade. Leiden: Brill, 2021, p. 303-325.

FARIAS, C. A. P. Organizações internacionais: entre a governança global e as políticas públicas nacionais. In: ____. Políticas públicas e relações internacionais. Brasília: Enap, 2018. p. 47-60.

FELDFEBER, M. La docencia en la agenda global. Una lectura desde las propuestas de los organismos internacionales. Voces en el Fénix, Revista del Grupo Fénix, n.75, p. 18-25. 2019.

JONES, E. ; LEASK, B., BRANDENBURG, U. ; DE WIT, H. Global social responsibility and the internationalisation of higher education for society. Journal of Studies in International Education, v.2, n. 4, p.330-347. 2021.

LANGE, M. F; HENAFF, N. Politiques, acteurs et systèmes éducatifs entre internationalisation et mondialisation. Revue Tiers Monde, v. 223, n. 3, 2015, p. 11-28. Disponível em: http://www.cairn.info/revue-tiers-monde-2015-3-page-11.htm. Acesso em: 06 jun. de 2021

LAUWERIER, T.; Akkari, A. Repenser l’influence de la Banque mondiale sur les politiques d’éducation, McGill Journal of Education/Revue des sciences de l’éducation de McGill, v. 46, n. 3, p. 343-362. 2011.

LAVAL, C.; WEBER, L. (coord.). Le nouvel ordre éducatif mondial OMC, Banque mondiale, OCDE, Commission européenne. Paris: Syllepse, 2002.

LEE, J.; LIU, K.; WU, Y. Does the Asian catch-up model of world-class universities work? Revisiting the zero-sum game of global university rankings and government policies. Educational Research for Policy and Practice, v.19, p.319-343. 2020.

OLIVEIRA, D. Da promessa de futuro à suspensão do presente: a teoria do capital humano e o PISA na educação brasileira. Petrópolis: Editora Vozes, 2020.

OLIVEIRA, D.; FELDFEBER, M. La docencia en la agenda de los organismos internacionales. La formación del capital humano y la pandemia como catalizador. In: THISTED, S. I.; BARTOLOZZI, E.; MARTINEZ, M. E. Trabajo docente en pandemia y pospandemia: lecturas desde América Latina. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Libro digial, p.17 - 41. 2023. Disponível em: file:///C:/Users/Adm/Downloads/Estrado_TrabajoDocenteenpandemiaypospandemia.LecturasdesdeAmricaLatina.pdf. Acesso em: 02 dez. 2023.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Objetivos de desenvolvimento sustentável. Disponível em: https://brasil.un.org/pt-br/sdgs. Acesso em: 23 fev. 2024.

SHIROMA, E. O. Redes, experts e a internacionalização de políticas educacionais. Revista de Estudios Teóricos y Epistemológicos en Política Educativa, Buenos Aires, v. 5, p. 1-22. 2020.

TIGHT, M. Internationalisation of higher education beyond the West: challenges and opportunities–the research evidence. Educational Research and Evaluation, v. 27, n.3-4, 239-259. 2022.

VERGER, A. A política educacional global: conceitos e marcos teóricos chave. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 14, n. 1, p. 9-33, jan./abr. 2019.

Downloads

Publicado

2024-04-29

Como Citar

COSTA, A. S. F.; AKKARI, A.; SOUZA, J. A. de. Internacionalização da educação: tendências globais e desafios nacionais: Apresentação do dossiê. Revista Educação e Políticas em Debate, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 1–13, 2024. DOI: 10.14393/REPOD-v13n2a2024-73275. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/73275. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ - “INTERNACIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO: TENDÊNCIAS GLOBAIS E DESAFIOS NACIONAIS”