A juventude do campo e a disputa de projetos de escolarização: relações entre capital, trabalho e educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v12n1a2023-67552

Palavras-chave:

Juventude do campo, Trabalho, Educação, Pedagogia Histórico-Crítica, Escola da Terra

Resumo

O presente artigo trata da educação do campo, especificamente a escolarização dos jovens, destacando as condições do projeto de escolarização hegemônico nas escolas do campo e, também, o processo de inserção socialmente produtiva da juventude do campo submetida à lógica do capital. Trata de questões vitais acerca das necessidades educacionais da população do campo como: a permanência dos jovens no campo, o currículo escolar e a elevação da capacidade teórica para o enfrentamento das problemáticas do campo. Apontamos as contribuições da pedagogia histórico-crítica a partir da experiência da Ação escola da Terra FACED/UFBA para enfrentar as contradições na escolarização de jovens trabalhadores do campo, reafirmando a necessidade de políticas públicas para assegurar o direito a educação no e do campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Celi Nelza Zülke Taffarel , Universidade Federal da Bahia / Universidade Federal de Alagoas - Brasil

Pós-doutorado em Educação Física pela Universitat Oldenburg (UOL), em Oldenburg, Alemanha. Professora Dra. Titular Participante Especial da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil e Professora Visitante da Universidade Federal de Alagoas, Maceió, Alagoas, Brasil.  

Sicleide Gonçalves Queiroz, Universidade Federal da Bahia – Brasil

Doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia. Membra do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia e professora da educação básica na rede municipal de Teofilândia e Barrocas, Bahia, Brasil.

Referências

ABRANTES, A. A., BULHÕES, L. Idade adulta e o desenvolvimento psíquico na sociedade de classes: juventude e trabalho. In: MARTINS, L., ABRANTES, A. A. e FACCI, M. G. D. Periodização Histórico-Cultural do desenvolvimento psíquico: do nascimento à velhice. Campinas: Autores Associados, 2016, p. 241-265.

ALVES, M. Formação de Professores e crise estrutural do capital: a necessidade histórica de uma formação para a transição de modo de produção e reprodução da vida. 2015. 349f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015.

CALDART, R. S.; VILLAS BÔAS, R. L. (Org.) Pedagogia Socialista: Legado da Revolução de 1917 e desafios atuais. São Paulo: Expressão popular, 2017.

DELORS, J. (coord.). Educação: um tesouro a descobrir: Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. Tradução de José Carlos Eufrázio. São Paulo: Cortez Editora. Brasília: Unesco, 1998.

DUARTE, N. Fundamentos da Pedagogia histórico-crítica: a formação do ser humano na sociedade comunista com referência para a educação contemporânea. In: MARSÍGLIA. Ana Carolina Galvão (org.). Pedagogia Histórico-Crítica: 30 anos. Campinas/SP: Autores Associados, 2011.

FREITAS. L. C. de. A Reforma empresarial da Educação: Nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão popular, 2018.

FRIGOTTO, G. Juventude, trabalho e educação no Brasil: perplexidades, desafios e perspectivas. In: NOVAES, Regina; VANUCCI, Paulo (Orgs.). Juventude e Sociedade: trabalho, educação, cultura e participação. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 2004. p. 180-216.

JANATA, N. E. Juventude que ousa lutar! Trabalho, educação e militância de jovens assentados do MST. 2012. 278f. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

LÊNIN, V. I. O imperialismo, fase superior do capitalismo. Tradução José Eudes Baima Bezerra. Brasília: Nova Palavra, 2007. 200 p.

LEHER. R. Entrevista. Disponível em: http://antigo2.mst.org.br/2016/09/21/ha-uma-politica-obvia-de-apagamento-da-memoria-de-que-existe-educacao-no-campo.html. Acesso em: 16 jul. 2022.

LEONTIEV, A. N. Desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

MANACORDA, M. A. História da Educação: Da Antiguidade aos nossos dias. São Paulo, Cortez, Autores Associados, 1989.Páginas 1 a 8 e, páginas 311 a 361.

MARTINS; L. M. O que ensinar? O patrimônio cultural humano como conteúdo de ensino e a formação da concepção de mundo no aluno. In: PAUSQUALINI, Juliana Campregher; TEIXEIRA, Lucas André; AGUDO, Marcela de Moraes. Pedagogia histórico-crítica: Legado e perspectivas. Uberlândia: Navegando Publicações, 2018, p. 83-98.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Livro 01. São Paulo: Boitempo, 2013.

MÉSZÁROS. I. Educação para além do Capital. São Paulo/SP: 2005.

PONCE, A. Educação e luta de classes. 23ª ed. São Paulo: Cortez, 2000.

QUEIROZ, S. G. Educação escolar da juventude do campo: contribuições da Pedagogia Histórico-Crítica para o trato com o conhecimento no currículo dos trabalhadores do campo. 191 f. il. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019.

SANTOS; E. Formação continuada de professores para a educação do campo: contribuições da ANFOPE e do Curso de Especialização em Pedagogia Histórico-Crítica para as Escolas do Campo/Ação Escola da Terra/PRONACAMPO/SECADI/MEC/UFBA. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2020.

SANTOS, M. G. dos. Implementação da Pedagogia Histórico-critica na educação do campo de municípios baianos por meio da Ação Escola da Terra: Limites e Possibilidades. Tese (Doutorado). Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2020.

SANTOS, R. Os desafios da meta 8 do PNE: juventude, raça/cor, renda e territorialidade. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2016.

SFORNI, M. S. de F. Aprendizagem e Desenvolvimento: o papel da mediação. In: CAPELLINI, Vera Lúcia Fialho; MANZONI, Rosa Maria. (Org.). Políticas públicas, práticas pedagógicas e ensino-aprendizagem: diferentes olhares sobre o processo educacional. 1 ed. Bauru UNESP/FC/São Paulo: Cultura Acadêmica, 2008.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 10. ed. Campinas-SP: Autores Associados, 2008.

SAVIANI, Dermeval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Espaço Aberto. Revista Brasileira da Educação, Vol. 12, n. 34, p. 152-165, abr. 2007.

RUMMERT, S. M; ALGEBAILE, A; VENTURA, J. Educação da classe trabalhadora brasileira: expressão do desenvolvimento desigual e combinado Revista Brasileira de Educação v. 18 n. 54, p. 717-799, jul.-set. 2013.

TAFFAREL, C. et al. Círculos de estudos, esporte, lazer e artes com a juventude em áreas de reforma agrária: a experiência com jovens do Recôncavo da Bahia e a elevação do pensamento teórico. In LEÃO, Geraldo; ANTUNES-ROCHA. Juventudes do campo. Belo Horizonte: Autêntica Editora. 2015.

TAFFAREL, C. et al. Contribuições da Pedagogia Histórico-Crítica na Formação Continuada de Professores do Campo na Bahia: ação Escola da Terra – Pronacampo. In: RAFANTE, Heulalia; ZIENTARSKI, Clarice (Org.). Ação Escola da Terra no Ceará: formação continuada de professores. Fortaleza: Edições UFC, 2018.

TAFFAREL, C. N. Z. Relatório Bolsa Produtividade em Pesquisa. CNPq. Educação do campo: avaliação de propostas para a formação de professores para a escola do campo – realidade, contradições e possibilidades p.01, 2021.

VENDRAMINI; C. O trabalho e a escolar para jovens migrantes. In: http://www.anpedsul2016.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2015/11/eixo21_CÉLIA-REGINA-VENDRAMINI.pdf. Acesso em: 10 jul. 2022.

Downloads

Publicado

2022-12-02

Como Citar

TAFFAREL , C. N. Z.; QUEIROZ, S. G. A juventude do campo e a disputa de projetos de escolarização: relações entre capital, trabalho e educação. Revista Educação e Políticas em Debate, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 363–382, 2022. DOI: 10.14393/REPOD-v12n1a2023-67552. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/67552. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ - POLÍTICA PÚBLICA EM CONTEXTO PANDÊMICO EM ESCOLAS RURAIS: O PROGRAMA ESCOLA DA TERRA COMO AFIRMAÇÃO DO DIREITO À EDUCAÇÃO