A relação dos professores das escolas do campo com o Programa Escola da Terra no contexto da gestão educacional no município de Dianópolis – Tocantins

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v12n1a2023-67493

Palavras-chave:

Escola do Campo, Gestão Educacional, Atuação de professores na Educação do Campo, Programa Escola da Terra

Resumo

A educação brasileira é como uma pirâmide que tem sua construção e designação estrutural, e pode ser entendida como ideias sistêmicas cuja operacionalização ocorre na figura do gestor educacional. Assim sendo, o estudo propõe o diálogo com aprofundamento sobre a gestão escolar, ao contextualizar a relação entre os professores das escolas do campo e a gestão da educação municipal. Pretende-se examinar o modelo do ensino posto para as escolas do campo, bem como as relações do gestor com os professores que atuam nas escolas rurais. Assim, o presente artigo tem cunho descritivo de informações com relato da capacitação de professores da escola da terra, em 2018, no município de Dianópolis-TO. A disciplina Legislação da Educação do Campo desperta várias indagações referentes à temática aprofundada neste estudo. Propõe-se, então, estabelecer algumas ponderações das relações dos professores das escolas do campo com o Programa Escola da Terra, situando o nosso foco na gestão educacional. Tem-se, como resultados, as demandas que aparecem por meio dos trabalhos realizados com os cursistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Daniel Barbosa dos Santos, Universidade Federal do Tocantins - Brasil

Mestrando Profissional em Educação pela Universidade Federal do Tocantins/Campus de Palmas e membro do Fórum Estadual de Educação do Campo do Tocantins, Palmas, Tocantins, Brasil.

Roberto Francisco de Carvalho, Universidade Federal do Tocantins - Brasil

PhD em Políticas Públicas e Formação Humana (Universidade Estadual do Rio de Janeiro). Doutor e mestre em Educação pela Universidade Federal de Goiás. Professor Associado da Universidade Federal do Tocantins (UFT) /Campus de Palmas, cursos de Filosofia e Teatro. Membro do corpo docente do Mestrado Profissional em Educação da UFT (PPPGE). Participa, como membro, da Associação Nacional de Política e Administração da Educação (ANPAE) e da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED). Compõe o quadro de formadores da Rede Colaboração Tocantins (RCT). É pesquisador na área de Sociedade, Política e Gestão Educacional e Currículo, vinculado ao: Grupo de Estudo e Pesquisa Práxis Socioeducativa e Cultural; ao Núcleo de Pesquisa em Educação, Desigualdade Social e Políticas Públicas (NEPED); e à Rede Universitas/Br, Palmas, Tocantins, Brasil.

Referências

ALMEIDA, M. L. Gestão e administração escolar: algumas aproximações. Campinas: Câmara Brasileira do Livro, 2011.

BERTOLETTI, E. N. M. Lourenço Filho e a Literatura infantil e Juvenil (1942-1968): fundação de uma tradição. Leitura: teoria & prática, n. 53, p. 10-16, 2009.

BRASIL. Congresso Nacional. Constituição Federal de 1988. Brasília, DF, 1988.

BRASIL. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 1996.

BUSH, T. Teorias de liderança e gestão educacional. 4. ed. Londres: Publicações SAGE, 2011.

CALDART, R. S. Sobre educação do campo. In: SANTOS, C. A. (Org.). Por uma educação do campo: campo, políticas públicas, educação. Brasília, DF: Incra/MDA, 2008, p. 67-86. (Por uma Educação do Campo, n. 7).

CALDART, R. S. Pedagogia do Movimento Sem Terra. São Paulo: Expressão Popular, 2001.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB 1, de 3 de abril de 2002. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Brasília: Câmara de Educação Básica, 2002.

DOURADO, L. F. Plano Nacional de Educação: política de Estado para à educação brasileira. Brasília: Inep, 2016.

ENGESTRÖM, Y. Non scolae sed vitae discimus: toward overcoming the encapsulation of school learning. Learning and Instruction, v. 1, n. 3, p. 243-259, 1991.

ENGESTRÖM, Y.; ENGESTRÖM, R.; SUNTIO, A. Uma comunidade escolar pode aprender a dominar seu próprio futuro? Um estudo teórico-ativo de aprendizagem expansiva entre professores do ensino médio. In: WELLS, G.; CLAXTON, G. (Eds.). Aprendizagem para a vida no século 21: perspectivas socioculturais sobre o futuro da educação. Oxford: Blackwell Publishers, 2002, p. 50-73.

ENGESTRÖM, Y. O futuro da teoria da atividade: um esboço. In: SANNINO, A.; DANIELS, H.; GUTIERREZ, K. D. (Orgs.). Learning and expanding with activity theory. Cambridge: Cambridge University Press, 2009, p. 75-87.

ENGESTRÖM, Y.; ENGESTROM, Y.; PASANEN, A.; TOIVIAINEN, H.; HAAVISTO, V. Aprendizagem expansiva como formação colaborativa de conceitos no trabalho. In: YAMAZUMI, K.; ENGESTROM, Y.; DANIELS, H. (Orgs.). Novos desafios de aprendizagem: indo além do sistema de escola e trabalho da era industrial. Osaka, Japão: Kansai University -Press, 2010, p. 70-90.

ENGESTRÖM, Y.; SANNINO, A. Studies of expansive learning: Foundations, findings and future challenges. Educational Research Review, v. 5, n. 1, p. 1-24, 2010.

FENWICK, T.; EDWARDS, R.; SAWCHUK, P. Emerging approaches to educational research: tracing the socio-material. Londres: Routledge, 2011.

FENWICK, T. Re‐thinking the “thing”: sociomaterial approaches to understanding and researching learning in work. Journal of Workplace Learning, v. 22, n. 1-2, p. 104-116, 2010.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. New York: Herder and Herder, 1970.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. 49. ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2014.

HOY, W.; MISKEL, C. Educational administration: theory, research, and practice. 9. ed. Nova York: McGraw-Hill, 2013.

LEMOS, M. F. Agência colaborativa na gestão educacional: um objeto conjunto para a transformação da escola e da comunidade. Revista de Administração de Empresas, v. 57, n. 6, p. 555-566, 2017.

LEMOS, M. F.; ENGESTRÖM, Y. Collective concept formation in educational management: an intervention study in São Paulo, Brazil. 2015. No prel.

LEONTYEV, A. N. Activity, consciousness, and personality. New Jersey: Prentice Hall, 1978.

LIBERALI, F. C. Gestão escolar em cadeias criativas. Brasília: CNPq, 2012a.

LIBERALI, F. C. Gestão escolar na perspectiva da teoria da atividade sócio-histórico-cultural. In: LIBERALI, F.; MATEUS, E.; DAMIANOVIC, M. C. (Eds.). A teoria da atividade sócio-histórico-cultural e a escola: recriando realidades sociais. Campinas: Pontes, 2012b.

LÜCK, H. Dimensões da gestão escolar e suas competências. Curitiba: Positivo, 2009.

MOLINA, M. C.; SÁ, L. M. Escola do campo. In: CALDART, R. S. et al. Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012, p. 324-331.

RANTAVUORI, J.; ENGESTRÖM, Y.; LIPPONEN, L. T. Learning actions, objects and types of interaction: a methodological analysis of expansive learning among pre-service teachers. Frontline Learning Research, v. 4, n. 3, p. 1-27, 2016.

SAHLBERG, P. Aulas de finlandês: o que o mundo pode saber sobre a mudança educacional na Finlândia? Nova York: Teachers College Press, 2011.

SILVEIRA, L. P. C.; LAGARES, R. Educação e gestão democrática: dilemas e chances. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPED, 38., 2017, São Luís. Anais [...]. São Luiz: Universidade Federal do Maranhão, 2017.

SOUZA, A. R. O perfil da gestão escolar no Brasil. 2006. 331 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.

TEIXEIRA, A. Que é administração escolar? Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, v. 36, n. 84, p. 84-89, 1961.

VIEIRA, S. L. Política educacional no Brasil: introdução histórica. 3. ed. Brasília: Liber Livro, 2011.

VIEIRA, S. L. Política(s) e gestão da Educação Básica: revisitando conceitos simples. RBPAE, v. 23, n. 1, p. 53-69, jan./abr. 2007.

Downloads

Publicado

2022-12-02

Como Citar

SANTOS, D. B. dos; CARVALHO, R. F. de. A relação dos professores das escolas do campo com o Programa Escola da Terra no contexto da gestão educacional no município de Dianópolis – Tocantins . Revista Educação e Políticas em Debate, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 80–94, 2022. DOI: 10.14393/REPOD-v12n1a2023-67493. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/67493. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ - POLÍTICA PÚBLICA EM CONTEXTO PANDÊMICO EM ESCOLAS RURAIS: O PROGRAMA ESCOLA DA TERRA COMO AFIRMAÇÃO DO DIREITO À EDUCAÇÃO