Cyberbullying, mulheres e violência digital: política educacional direcionada ao Ensino Médio em análise

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v11n3a2022-64986

Palavras-chave:

Política educacional, Cyberbullying, Ensino Médio, Mulheres

Resumo

Apresentamos uma discussão sobre a prática de discriminação via rede/tecnologias digitais, direcionada às mulheres, problematizando a política educacional ligada à temática no Ensino Médio, em um contexto de reestruturação. Comportamentos agressivos são também oriundos da herança da sociedade que oprime os corpos que frustram o padrão estabelecido e são vivenciados nas diferentes etapas da vida das mulheres. Apoiamo-nos em estudos que abordam o fenômeno do cyberbullying e na análise do documento normativo Base Nacional Comum Curricular - Ensino Médio. Os resultados indicam que há referência ao combate das formas de violência no documento, embora persista a carência de políticas educacionais, o que potencializaria o debate com a juventude no escopo da educação brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BANDEIRA, C. de M.; HUTZ, C. S. Bullying: prevalência, implicações e diferenças entre os gêneros. Psicologia Escolar e Educacional, v. 16, n. 1, p. 35-44, jun. 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-85572012000100004.

BOURDIEU, P. A Dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

BOZZA, T. C. L.; VINHA, T. P. Quando a violência virtual nos atinge: os programas de educação para a superação do cyberbullying e outras agressões virtuais. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v.12, n.3, p. 1919-1939, jul./set. 2017. DOI:

http://dx.doi.org/10.21723/riaee.v12.n.3.2017.10369.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília, 13 de julho de 1990. DOI: https://doi.org/10.36599/cflu-caraeca.002.

BRASIL. Lei n 12.852, de 5 de agosto de 2013. Estatuto da Juventude e dispõe sobre os direitos dos jovens, os princípios e diretrizes das políticas públicas de juventude e o Sistema Nacional de Juventude - SINAJUVE. Brasília, 5 de agosto de 2013. DOI: https://doi.org/10.22477/rjpp.v1i2.48.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis n º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Diário Oficial da União, Brasília, 17 de fevereiro de 2017. DOI: https://doi.org/10.22420/rde.v11i20.773.

BRASIL. Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres. Ministério da mulher, da família e dos direitos humanos. Enfrentando a violência on-line contra adolescentes no contexto da pandemia de Covid-19. Brasília, 2020. Disponível em: https://www.gov.br/mdh/pt-br/navegue-por-temas/politicas-para-mulheres/publicacoes-1/68ENFRENTANDO_VIOLENCIA_ONLINE.pdf. Acesso em: 21 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.11606/d.100.2017.tde-29092016-192652.

BRITO, R. Estilos de mediação do uso de tecnologias digitais por crianças até aos 6 anos. Da Investigação às Práticas, v.8, n.2, p. 21-46, 2018. Disponível em: https://repositorio.ipl.pt/bitstream/10400.21/9854/1/155-664-2-PB.pdf. Acesso em: 10 mar. 2022.

CURY, C. R. J.; REIS, M.; ZANARDI, T. A. C. Base Nacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2018.

DEBARBIEUX, E.; BLAYA, C. Violência nas escolas: dez abordagens europeias. Brasília: UNESCO, 2002. Disponível em: https://www.faecpr.edu.br/site/documentos/violencias_escolas_abordagens_europeias.pdf. Acesso em: 07 fev. 2022.

EMCKE, C. Contra o ódio. Belo Horizonte: Editora Âyiné, 2020.

FERREIRA, T. R. S. C; DESLANDES, S. F. Cyberbullying: Conceituações, dinâmicas, personagens e implicações à saúde. Cien. Saúde Colet., jun. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/WJYc64dg9Rjxh8k4rJc53gL/abstract/?lang=pt. Acesso em: 16 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-812320182310.13482018.

GOMES, M. C. A.; CARVALHO, A. B. de. Pandemia de COVID-19 e violência doméstica na conjuntura sociopolítica brasileira. Revista Estudos Feministas, v. 29, n. 3, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/74781. Acesso em: 16 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/1806-9584-2021v29n374781.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora 34, 1999.

LIMA, M. I. L.; CARVALHO, A. F. Docência e suas práticas pedagógicas: ações de enfrentamento de casos de bullying na escola municipal de Ensino Fundamental “Joaquim Vicente Rondon”. Revista Psicologia & Saberes, v. 9, n. 19, p. 98-122, 2020. Disponível em: https://revistas.cesmac.edu.br/index.php/psicologia/article/view/1261. Acesso em: 04 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.9788/tp2014.1-13.

MEC (Ministério da Educação). Base Nacional Comum Curricular - Educação é a base: Ensino Médio. Documento homologado pela Portaria n° 1.570, publicada no D.O.U. 21 dez., Seção 1, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/historico/BNCC_EnsinoMedio_embaixa_site_110518.pdf. Acesso em 03 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.33054/abem2019a4203.

MURARO, R. M.; BOFF, L. Feminino e masculino: uma nova consciência para o encontro das diferenças. 5.ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2002.

OEA - Organização dos Estados Americanos. Combate à violência online: um chamado por proteção. White paper series, n.07, 2019. Disponível em: https://www.oas.org/pt/ssm/cicte/docs/20191125-PORT-White-Paper-7-VIOLENCE-AGAINST-WOMEN.pdf. Acesso em 27 fev. 2022.

SALES, G. L.; CUNHA, J. L. L.; GONÇALVES, A. J.; SILVA, J. B.; SANTOS, R. L. Gamificação e ensinagem híbrida na sala de aula de Física: metodologias ativas aplicadas aos espaços de aprendizagem e na prática docente. Conexões-Ciência e Tecnologia, v. 11, n. 2, p. 45-52, 2017. Disponível em: http://conexoes.ifce.edu.br/index.php/conexoes/article/view/1181. Acesso em: 16 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v11i2.1181.

SANTOMAURO, B. Três ideais sobre aprendizagem. Revista Nova Escola, São Paulo, v. 25, n. 237, p. 78-81, 2010.

SOUZA, S. B.; VEIGA SIMÃO, A. M.; CAETANO, A. P. Cyberbullying: percepções acerca do fenômeno e das estratégias de enfrentamento. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 27, p. 582-590, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/prc/a/cX5c9QsyyXhsm8wpDQM9MQf/abstract/?lang=pt. Acesso em: 16 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/1678-7153.201427320.

TOGNETTA, L. R. P.; BOZZA, T. C. L. Cyberbullying: um estudo sobre a incidência do desrespeito no ciberespaço e suas relações com as representações que adolescentes tem de si. Nuances: estudos sobre Educação, ano XVIII, v. 23, n. 24, p. 162-178, set./dez. 2012. DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v23i24.1896.

WENDT, G. W.; LISBOA, C. S. de M. Compreendendo o fenômeno do cyberbullying. Temas psicol. Ribeirão Preto, v. 22, n. 1, p. 39- 54, abr. 2014. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-389X2014000100004. Acesso em: 15 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.9788/tp2014.1-04.

Downloads

Publicado

2022-07-13

Como Citar

Velozo, A. D., Casagrande, A. L., & Santos , A. F. dos. (2022). Cyberbullying, mulheres e violência digital: política educacional direcionada ao Ensino Médio em análise. Revista Educação E Políticas Em Debate, 11(3), 1018–1033. https://doi.org/10.14393/REPOD-v11n3a2022-64986

Edição

Seção

DOSSIÊ - POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO EM TEMPOS DE CRISE DO CAPITALISMO GLOBAL