Editorial - Política de Ações Afirmativas em Instituições do Ensino Superior: em debate a Lei de Cotas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v11n1a2022-64890

Palavras-chave:

Política de Ações Afirmativas, Instituições do Ensino Superior, Debate, Lei de Cotas

Resumo

A conjuntura brasileira atual tem sido cenário de intensos retrocessos democráticos, acionada e contextualizada por políticas neoliberais e ultraconservadoras que passaram a fazer parte da agenda governamental, especialmente, desde o Governo Temer e agudizadas no governo Bolsonaro. Essa agenda governamental nega o Estado Democrático de Direito, as instituições e os mecanismos que garantem a democracia, conduzindo a um aprofundamento da crise institucional e da restrição de direitos. Em estudo publicado no relatório The Global State Of Democracy 2021: Building Resilience in a Pandemic Era, divulgado pelo Instituto Internacional para a Democracia e a Assistência Eleitoral (IDEA Internacional ), em 22 de novembro de 2021, o Brasil consta como um dos países que apresenta a democracia com mais aspectos enfraquecidos. De acordo com os dados do relatório, o Brasil apresentou queda em oito de dezesseis indicadores relativos ao funcionamento condizente de regimes democráticos, incluindo a qualidade de controle de seu governo como um dos aspectos importantes para as democracias. Tais dados evidenciam que o “Brazil was the democracy with the largest number of declining attributes in 2020” (IDEA, 2021, p. 9).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Vilma Aparecida de Souza, Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Editora adjunta da Comissão Editorial da Revista Educação e Políticas em Debate. Doutora em Educação pela UFU. Professora adjunta da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia.

Leonice Matilde Richter, Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Presidente da Comissão Editorial da Revista Educação e Políticas em Debate. Doutora em Educação pela UFU. Professora associada de Políticas e Gestão da Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia.

Raquel Aparecida Souza , Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Editora adjunta da Comissão Editorial da Revista Educação e Políticas em Debate. Doutora em Educação pela Universidade de Brasília. Professora adjunta da Universidade Federal de Uberlândia, campus Pontal, no curso de Pedagogia.

Referências

BRASIL. Lei nº. 10.639 de 09 de janeiro de 2003. Inclui a obrigatoriedade da

temática “História e Cultrura Afro-Brasileira” no currículo oficial da rede de

ensino. Diário Oficial da União, Brasília, 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm. Acesso em: 27 dez. 2021.

BRASIL. Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010. “Institui o Estatuto da Igualdade Racial; altera as Leis n.os 7.716, de 5 de janeiro de 1989, 9.029, de 13 de abril de 1995, 7.347, de 24 de julho de 1985, e 10.778, de 24 de novembro de 2003”. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12288.htm. Acesso em: 03 jan. 2022.

BRASIL. Lei nº. 12.711. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Brasília, 29 de ago. 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso em: 27 dez. 2021.

BRASIL. Lei nº 12.990, de 9 de junho de 2014. “Dispõe sobre a reserva aos negros 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas nos concursos públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da administração pública federal, das autarquias, das fundações públicas, das empresas públicas e das sociedades de economia mista controladas pela União”. Brasília, 2014a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l12990.htm. Acesso em: 03 jan. 2022.

FERREIRA, Renato. Uma História Afirmativa. As Cotas Raciais 20 Anos Depois. Revista da ABPN: 2021, v. 13, n. 38, p. 422-442. DOI: https://doi.org/10.31418/2177-2770.2021.v13.n.38.p422-442.

GOMES, Nilma Lino, SILVA, Paulo Vinícius Baptista da; BRITO, José Eustáquio de. AÇÕES AFIRMATIVAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL NA EDUCAÇÃO: LUTAS, CONQUISTAS E DESAFIOS. Educação & Sociedade [online]. 2021, v. 42 [Acessado 23 Janeiro 2022] , e258226. Disponível em: https://doi.org/10.1590/ES.258226. Epub 13 Dez 2021. ISSN 1678-4626. DOI: https://doi.org/10.1590/ES.258226.

IDEA. International Institute for Democracy and Electoral Assistance. The Global State Of Democracy 2021: Building Resilience in a Pandemic Era. Sweden: 2021. Disponível em: https://www.idea.int/gsod/sites/default/files/2021-11/global-state-of-democracy-2021-summary.pdf. Acesso em: 27 jan. 2022. DOI: https://doi.org/10.31752/idea.2021.91.

OLIVEIRA, J. A. N. D.; SILVA, P. B. G. A. Estudantes negros ingressantes na universidade por meio de reserva de vagas. Cadernos Cenpec: Pesquisa e Ação Educacional, São Paulo, v. 9, n. 1, p. 28-53, jan./jul. 2019.

SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIENCIA. SBPC saúda a lei de cotas. São Paulo, 21 fev. 2022. Portal: SBPC. Disponível em: http://www.jornaldaciencia.org.br/wp-content/uploads/2022/02/NOTA-SBPC-SA%C3%9ADA-LEI-DE-COTAS.pdf. Acesso em: 22 fev. 2022.

VIEIRA, Cleber Santos. POLÍTICAS DE AÇÕES AFIRMATIVAS: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE DE APRIMORAMENTO. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 13, n. 36, p. 361-364, maio 2021. ISSN 2177-2770. Disponível em: https://abpnrevista.org.br/index.php/site/article/view/1254. Acesso em: 23 jan. 2022.

anos da lei de cotas: vigência, avaliação e revisão. Apresentador: VIEIRA, Cleber Santos. Moderadora: Maria Cristina Souza. Uberaba: IELACHS UFTM, 22 fev. 2022. 1 vídeo (120 min). Live. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=7X5A5xr8zuk. Acesso em: 22 fev. 2022.

Downloads

Publicado

2022-03-01

Como Citar

Souza, V. A. de, Richter, L. M. ., & Souza , R. A. . (2022). Editorial - Política de Ações Afirmativas em Instituições do Ensino Superior: em debate a Lei de Cotas . Revista Educação E Políticas Em Debate, 11(1), 5–12. https://doi.org/10.14393/REPOD-v11n1a2022-64890

Edição

Seção

EDITORIAL