Política de Ações Afirmativas da UFBA: a experiência da Secretaria Administrativa da Comissão Permanente de Heteroidentificação complementar à autodeclaração como pessoa negra/CPHA

Autores

  • Eveline Pena da Silva Universidade Federal da Bahia – Brasil
  • Adriana Guimarães Prates Universidade Federal da Bahia – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v11n1a2022-63918

Palavras-chave:

Política de Ações Afirmativas, Universidade Federal da Bahia, Reserva de Vagas com recorte racial, Comissão Permanente de Heteroidentificação

Resumo

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) foi a terceira universidade federal do país a implantar um sistema de cotas, em maio de 2004. No que tange às vagas com recorte racial, de 2005 até 2018, a UFBA exigia apenas o preenchimento da autodeclaração de raça/cor, documento que era preenchido no ato da matrícula. A partir do ano de 2019, sete anos após a implementação da Lei de Cotas, a autodeclaração passou a ser aferida a partir de procedimentos complementares de heteroidentificação. Neste relato de experiência discutiremos a prática da atuação das autoras na Secretaria Administrativa da Comissão Permanente de Heteroidentificação complementar à autodeclaração como pessoa negra (preta ou parda) da UFBA (CPHA), priorizando uma apresentação técnica da estruturação e do papel desempenhado pelas mesmas junto à CPHA a partir do primeiro procedimento, para ingresso via SiSU, realizado em fevereiro de 2019, sua estruturação e consolidação, no ano de 2020, e a necessidade de adaptar os procedimentos para o contexto telepresencial em função da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2)/COVID-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Eveline Pena da Silva, Universidade Federal da Bahia – Brasil

Doutora em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil.

Adriana Guimarães Prates, Universidade Federal da Bahia – Brasil

Especialista em Metodologia do Ensino Superior pelas Faculdades Integradas Olga Mettig. Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil.

Referências

BRASIL. Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. O ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e outras providências. Brasília, DF.

BRASIL. Lei nº 12.990, de 09 de junho de 2014. Reserva aos negros 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas nos concursos públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da administração pública federal, das autarquias, das fundações públicas, das empresas públicas e das sociedades de economia mista controladas pela União. Brasília, DF.

BRASIL. Portaria Normativa nº 04, de 06 de abril de 2018. Regulamenta o procedimento de heteroidentificação complementar à autodeclaração dos candidatos negros, para fins de preenchimento das vagas reservadas nos concursos públicos federais. Brasília, DF.

BRASIL. Resolução do Conselho Acadêmico de Ensino nº 07, de 19 de dezembro de 2018. Reserva de vagas na seleção para os cursos de graduação da UFBA. Salvador, BA.

BRASIL. Portaria nº 169, de 05 de dezembro de 2019. Criação da Comissão Permanente de Heteroidentificação, complementar à autodeclaração, nos processos seletivos da UFBA. Salvador, BA.

BRASIL. Portaria nº 077, de 09 de março de 2020. Nomeação de membros para compor a Comissão Permanente de Heteroidentificação, complementar à autodeclaração, nos processos seletivos da UFBA. Salvador, BA.

BRASIL. Controladoria-Geral da União (CGU). Corregedoria-Geral da União (CRG). Manual de Processo Administrativo Disciplinar [versão atual, atualizada até setembro de 2020]. Distrito Federal, DF.
BRASIL. Instrução Normativa nº 01, de 03 de novembro de 2020. Apuração das denúncias de fraudes na autodeclaração racial (pretos e pardos) para ingresso em processo seletivo/concurso formalizadas na UFBA. Salvador, BA.

GUIMARAES, Antonio Sérgio Alfredo. Acesso de negros às Universidades Públicas. Cadernos de Pesquisa, n. 118, março/2003.

SANTOS, Jocélio Teles dos; QUEIROZ, Dolcele Mascarenhas. As cotas na Universidade Federal da Bahia: história de uma decisão inédita. In: SANTOS, Jocélio Teles dos (org). Cotas nas universidades: análises dos processos de decisão. Salvador: CEAO, 2012.

SOUZA, Marcilene Garcia de. Avaliação do formato da banca presencial de aferição de pessoa negra do concurso público para servidor técnico da Universidade Federal da Bahia - UFBA. Edital 02/2016. Salvador, 2018.

VAZ, Lívia Maria Santana e Sant'Anna. As comissões de verificação e o direito à (dever de) proteção contra a falsidade de autodeclarações raciais. In: DIAS, Gleidson Renato Martins, TAVARES JUNIOR, Paulo Roberto Faber. Heteroidentificação e cotas raciais: dúvidas, metodologias e procedimentos. Canoas: IFRS campus Canoas, 2018.

Downloads

Publicado

2022-03-01

Como Citar

Silva, E. P. da ., & Prates, A. G. . (2022). Política de Ações Afirmativas da UFBA: a experiência da Secretaria Administrativa da Comissão Permanente de Heteroidentificação complementar à autodeclaração como pessoa negra/CPHA. Revista Educação E Políticas Em Debate, 11(1), 195–214. https://doi.org/10.14393/REPOD-v11n1a2022-63918

Edição

Seção

DOSSIÊ - POLÍTICA DE AÇÕES AFIRMATIVAS EM INSTITUIÇÕES DO ENSINO SUPERIOR (IES): EM DEBATE O ACESSO E A EQUIDADE