Educação a distância no Brasil: a regulamentação como falácia da democratização e acesso ao ensino superior de qualidade / Distance education in Brazil: regulation as a fallacy of democratization and access to quality higher education

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v9n1a2020-54796

Palavras-chave:

Educação a Distância, Legislação, Neoliberalismo, Organismos Internacionais

Resumo

Este trabalho tem como objetivo apresentar a evolução da Educação a Distância (EaD) e de suas diretrizes legais no Brasil. Utilizou-se pesquisa bibliográfica e análise documental para evidenciar tal evolução. As políticas públicas de EaD e sua expansão no país foram influenciadas sobremaneira pelas orientações de organismos internacionais, a evolução da Internet, a mudança no processo de acumulação capitalista, a aceleração da globalização e a transição do estado de bem-estar social para o neoliberalismo. Concluiu-se que a regulamentação da EaD no país travestiu-se da falácia da promoção da democratização e acesso ao ensino superior de qualidade, ao passo que foi flexibilizando-se ao longo do tempo, promovendo ambiente propício para os negócios educacionais por meio da mercantilização e internacionalização da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Vicente Batista dos Santos Neto, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - IFTM - Campus Uberaba - Minas Gerais - Brasil

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do IFTM Campus Uberaba. Doutor em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia. Mestre em Administração pela Universidade Federal de Uberlândia. E-mail: vicente@iftm.edu.br; Lattes: http://lattes.cnpq.br/3375351463359641; Orcid: https://orcid.org/0000-0002-5207-7275.

Maria Célia Borges, Universidade Federal de Uberlândia - UFU - Minas Gerais - Brasil

Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia. Doutorado pela PUCSP no Programa de Educação/Currículo. Mestrado em Educação pela UFU. Pós-doutorado em Educação pela FEUSP, no programa do Dpto. Filosofia da Educação e Ciências da Educação. E-mail: marcelbor@gmail.com; Lattes: http://lattes.cnpq.br/5826866488560826; Orcid: https://orcid.org/0000-0002-5445-023X.

Referências

ABRAMIDES, Maria Beatriz Costa. Mercantilização do ensino e ensino a distância: Editorial. Revista PUC Viva, São Paulo, v. 35, maio-agosto de 2009. Disponível em: http://www.apropucsp.org.br/apropuc/index.php/revista-puc-viva. Acesso em: 30 out 2018.

BRASIL. Decreto 1.917, de 27 de maio de 1996. Cria a Secretaria Especial de Educação a Distância. Brasília, Presidência da República, 1996a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1996/D1917.htm. Acesso em: 05 nov 2018.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 14 maio 2018.

BRASIL. Decreto Presidencial n.º 2.306, de 19 de agosto de 1997. Regulamenta, para o Sistema Federal de Ensino, as disposições contidas no art. 10 da Medida Provisória nº 1.477-39, de 8 de agosto de 1997, e nos arts. 16, 19, 20, 45, 46 e § 1º, 52, parágrafo único, 54 e 88 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e dá outras providências. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 1997. Disponível em: https://legis.senado.leg.br/norma/396268/publicacao/15754978. Acesso em: 08 mar 2020.

BRASIL. Decreto Presidencial n.º 2.494, de 10 de fevereiro de 1998. Regulamenta o Art. 80 da LDB (Lei n.º 9.394/96). Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 1998a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/D2494.pdf. Acesso em: 21 out 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria n.º 301, de 7 de abril de 1998. Credenciamento para cursos graduação e educação profissional em nível tecnológico a distância. Brasília: Ministério da Educação, 1998b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/port301.pdf. Acesso em: 05 nov 2018.

BRASIL. Lei n° 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Brasília, DF: Senado Federal, Unesco, 2001a. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001324/132452porb.pdf. Acesso em: 22 out 2018.

BRASIL. Decreto nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 2005a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5622.htm. Acesso em: 15 maio 2017.

BRASIL. Decreto nº 5.800, de 08 de junho de 2006. Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil - UAB. Brasília, DF: Presidência da República, 2006d. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5800.htm. Acesso em: 03 maio 2018.

BRASIL. Decreto nº 6.316, de 20 de dezembro de 2007. Aprova o Estatuto e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, e dá outras providências. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 2007a. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2007/decreto-6316-20-dezembro-2007-567267-publicacaooriginal-90650-pe.html. Acesso em: 06 nov 2018.

BRASIL. Decreto nº 6.301, de 12 de dezembro. Institui o Sistema Escola Técnica Aberta do Brasil – e-Tec Brasil. Brasília, DF: Presidência da República, 2007c. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Decreto/D6301.htm. Acesso em: 10 mar 2020.

BRASIL. Decreto nº 7.589, de 26 de outubro de 2011. Institui a Rede e-Tec Brasil. Brasília, DF: Presidência da República, 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7589.htm.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 09 nov 2018.

BRASIL. Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 2017a. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2017/decreto-9057-25-maio-2017-784941-publicacaooriginal-152832-pe.html. Acesso em: 10 mar 2018.

BRASIL. Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017. Dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação das instituições de educação superior e dos cursos superiores de graduação e de pós-graduação no sistema federal de ensino. Brasília, DF: Presidência da República, 2017b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=78741-d9235-pdf&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 08 nov 2018.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Portaria nº 275, de 18 de dezembro de 2018. Dispõe sobre programas stricto sensu a distância. Brasília, DF: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, 2018. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/20122018-Portaria-CAPES-n-275-PPG-a-Distancia.pdf. Acesso em: 22, mai 2019.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Portaria nº 90, de 24 de abril de 2019. Dispõe sobre programas stricto sensu a distância. Brasília: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, 2019. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/novo_portal/portarias/26042019-PORTARIA-N-90.pdf. Acesso em: 22 maio 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 2.253, de 18 de outubro de 2001. Inclusão de disciplinas nas IES com método não presencial. Brasília: Ministério da educação, 2001b. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/marg/portar/2001/portaria-2253-18-outubro-2001-412758-norma-me.html. Acesso em: 05 nov 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 355, de 06 de fevereiro de 2002. Cria Comissão Assessora na SESU para elaboração de proposta de alteração das normas que regulamentam a oferta de educação a distância no nível superior. Brasília: Ministério da educação, 2002a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/P335.pdf. Acesso em: 05 nov 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Relatório da comissão assessora para educação superior a distância. Brasília: Ministério da Educação, 2003a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/EAD.pdf. Acesso em: 06 nov 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Referenciais de Qualidade para educação a distância. Brasília, DF: Ministério da educação, 2003b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/referenciaisead.pdf. Acesso em: 05 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 4.059, de 13 de dezembro de 2004. Introduz na organização pedagógica e curricular de cursos superiores reconhecidos, a oferta de disciplinas integrantes do currículo que utilizem modalidade semi-presencial. Brasília: Ministério da Educação, 2004a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/nova/acs_portaria4059.pdf. Acesso em: 06 nov 2018.

BRASIL. Lei nº 11.273, de 06 de fevereiro de 2006. Autoriza a concessão de bolsas de estudo e de pesquisa a participantes de programas de formação inicial e continuada de professores para a educação básica. Brasília, DF: Presidência da República, 2006a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11273.htm. Acesso em: 04 nov 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Referenciais de Qualidade para educação a distância. Brasília: Ministério da educação, 2007b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/referenciaisead.pdf. Acesso em: 06 nov 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 318, de 02 de abril de 2009. Transfere à Capes a operacionalização da UAB. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2009a. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria318_de020409_UABparaCapes.pdf. Acesso em: 07 nov 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Corona vírus - COVID-19. Brasília, DF: MEC, 2020. Disponível em: http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-343-de-17-de-marco-de-2020-248564376. Acesso em: 25 mar 2020.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (Brasil). Resolução CNE/CES nº 01, de 03 de abril de 2001. Estabelece normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação. Brasília: Conselho Nacional de Educação, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/CES0101.pdf. Acesso em 07 out 2018.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (Brasil). Texto orientador para a audiência pública sobre educação a distância: diretrizes para EaD na educação superior -versão preliminar audiência pública 7/11/14. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação, 2014. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16558-texto-referencia-educacao-distancia-ead-pdf&category_slug=outubro-2014-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 10 out 2018.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (Brasil). Resolução CNE/CP nº 1, de 11 de março de 2016. Estabelece diretrizes e normas nacionais para a oferta de programas e cursos de educação superior na modalidade a distância. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação, 2016. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/marco-2016-pdf/35541-res-cne-ces-001-14032016-pdf/file. Acesso em: 10 mar 2018.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (Brasil). Parecer CNE/CES nº 5, de 28 de abril de 2020. Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação, 2020. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=145011-pcp005-20&category_slug=marco-2020-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 29 abr 2020.

DOMINGUES, Maria do Amparo Cardoso; SANTANA, Érica Dias de Paula; LEITE FILHO, Domingos Lima. A evolução da oferta de educação profissional e superior no IFPR de 2009 a 2014. III Colóquio nacional a produção do conhecimento em educação profissional, 2015. Natal, RN. Anais [...] Natal, RN, 2015. Disponível em: https://ead.ifrn.edu.br/portal/wp-content/uploads/2016/02/Artigo-39.pdf. Acesso em: 10 mar 2020.

DOURADO, Luiz Fernandes. Reforma do estado e as políticas para a educação superior no Brasil nos anos 90. Revista Educação e Sociedade. Campinas, vol. 23, n. 80, set. 2002, p. 234-252. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v23n80/12931. Acesso em: 16 ago 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302002008000012.

DOURADO, Luiz Fernandes. Políticas e gestão da educação superior a distância: novos marcos regulatórios? Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 29, n. 104, Especial, p. 891-917, out. 2008. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em 30, set. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302008000300012.

FREITAS, Helena Costa Lopes de. A (nova) política de formação de professores: a prioridade postergada. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, Especial, p. 1203-1230, out. 2007. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/es/v28n100/a2628100. Acesso em: 17 ago. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302007000300026.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETO Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo de Afonso. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília, DF: UNESCO, 2011.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS (Brasil). Censo escolar 2003: Sinopse estatística da educação superior. Brasília, DF: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, 2004. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 07 mar 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS (Brasil). Censo da educação superior de 2016: sinopse estatística. Brasília, DF: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, 2017. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2016/notas_sobre http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 07 mar 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS (Brasil). Censo da educação superior 2018: notas estatísticas. Brasília, DF: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, 2019. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2019/censo_da_educacao_superior_2018-notas_estatisticas.pdf. Acesso em: 20 mar 2020.

LIMA, Katia. Ensino a distância, organismos internacionais e mercantilização da educação superior. Revista puc viva, São Paulo, n. 35, mai.-ago. 2009. Disponível em: http://www.apropucsp.org.br/apropuc/index.php/revista-puc-viva. Acesso em: 30 out 2018.

MILL, Daniel Ribeiro da Silva. Educação a Distância: cenários, dilemas e perspectivas. Revista Educação Pública, Cuiabá. v. 25, nº 59/2, p. 432-454, maio-ago. 2016.

MILL, Daniel; FERREIRA, Marcello; FERREIRA, Deise Mazzarella Goulart. Gestão da Educação a Distância na universidade pública como campo de disputa: da instituição social à academia líquida. Revista brasileira de política e administração da educação, Rio Grande, v. 34, n. 1, p. 143 - 166, jan.- abr. 2018. DOI: https://doi.org/10.21573/vol34n12018.82469.

MOORE, Michael G.; KEARSLEY, Greg. Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2007.

SANTOS NETO, Vicente Batista dos. A formação inicial de professores a distância no Brasil: os contornos e trajetórias do Sistema Universidade Aberta do Brasil na região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba no período de 2013 a 2018. 2019. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019

SANTOS NETO, Vicente Batista dos; SILVA, Terezinha Severino da; BORGES, Maria Célia. Educação a distância e agenda neoliberal: a privatização da formação de professores no estado de Minas Gerais. In: MIRANDA, Pedro Fauth Manhães. Análise e Financiamentos das Políticas Públicas. Ponta Grossa: Atena editora, 2019. (recurso eletrônico). DOI: https://doi.org/10.22533/at.ed.5971905.

SGUISSARDI. Valdemar. Educação superior no Brasil: democratização ou massificação mercantil? Educação e Sociedade, Campinas, v. 36, n. 133, p. 867 - 889, out.- dez. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/ES0101-73302015155688.

SILVA, Solonildo Almeida da. Educação à Distância e Universidade Aberta do Brasil: quando a mercantilização do ensino e a precarização da docência alcançam um novo ápice? 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.

UNESCO. Educação um tesouro a descobrir: relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. Brasília, DF: UNESCO, 1997.

UNESCO. Política de mudança e desenvolvimento no ensino superior. Rio de Janeiro: Garamound, 1999. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000129768. Acesso em: 05 mar 2020.

Downloads

Publicado

2020-05-15

Como Citar

Santos Neto, V. B. dos ., & Borges, M. C. (2020). Educação a distância no Brasil: a regulamentação como falácia da democratização e acesso ao ensino superior de qualidade / Distance education in Brazil: regulation as a fallacy of democratization and access to quality higher education. Revista Educação E Políticas Em Debate, 9(1), 53–72. https://doi.org/10.14393/REPOD-v9n1a2020-54796

Edição

Seção

Dossiê: Políticas públicas de educação a distância: desafios atuais