Políticas públicas na educação do campo: campo, formação de educadores e marcos legais

Autores

  • Maria Aparecida Afonso Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG - Minas Gerais - Brasil
  • Ataliane Pereira dos Santos Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG - Minas Gerais - Brasil https://orcid.org/0000-0002-5471-0839

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD.issn.2238-8346.v7n1a2018-09

Palavras-chave:

Campo, Educação do Campo, Formação de Educadores, Marcos Legais

Resumo

No presente artigo, pontuamos algumas reflexões sobre o campo e seus diversos contextos e sujeitos. E, ao abarcar as diversas especificidades presentes nos territórios campesinos, problematizamos questões como: que projeto educativo e de campo construir neste lugar entremeado por diversas lutas por direitos sociais, por histórias de resistências, produção de saberes e fazeres que, por vezes são subalternizados e/ou invisibilizados no âmbito de uma sociedade capitalista e de classes. No bojo das reflexões, abarcamos apontamentos sobre a formação de educadores para atuarem no campo, bem como Marcos Legais que amparam e legitimam a luta 'por uma Educação do Campo'.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Aparecida Afonso Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG - Minas Gerais - Brasil

Educadora e Comunicadora Popular. Mestranda em Educação e Docência/Linha Educação do Campo, Faculdade de Educação/UFMG. Coordenadora Pedagógica do Projeto Cisterna nas Escolas/Cáritas Diocesana de Almenara

Ataliane Pereira dos Santos, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG - Minas Gerais - Brasil

Professora de Geografia na Rede Estadual de Minas Gerais. Mestranda em Educação e Docência/Linha Educação do Campo, Faculdade de Educação/UFMG.

Referências

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 2006.

BRASIL. Resolução nº. 1, de 3 de abril de 2002. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Grupo Permanente de Trabalho de Educação do Campo. Brasília: MEC/SECAD, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Referências para uma política nacional de Educação do Campo. Caderno de Subsídios. Grupo Permanente de Trabalho de Educação do Campo, Outubro de 2003. Disponível em:<http://www.inep.gov.br/download/imprensa/Miolo_Seminario_Ed_Campo.pdf>. Acesso em 04 de maio 2018.

CALDART, Roseli, S. Por Uma Educação do Campo: traços de uma identidade em construção. In: KOLLING, E. J.; CERIO-LI, P. R.; CALDART, R. S. (Org.). Educação do Campo: identidade e políticas públicas. Brasília, 2002. p. 18 –25.

CALDART, Roseli, S. Sobre Educação do Campo. In: FERNANDES, Bernardo M.; SANTOS, Clarice A. dos (Org.). Por uma educação do Campo: campo – políticas públicas – educação. Brasília: INCRA; MDA, 2008.

CALDART, Roseli S.; FERNANDES, Bernardo M.; CERIOLI, Paulo R. Primeira Conferência Nacional Por uma Educação Básica do campo: texto preparatório. In: ARROYO, Miguel G.; CALDART, Roseli Salete; MOLINA, Mônica C. (Org.). Por uma Educação do Campo. Petrópolis: Vozes, 2005.

GOMES, Nilma Lino. Relações Étnicos-Raciais, Educação e Descolononização dos Currículos. Currículo sem Fronteiras, v.12, n.1, pp. 98-109. Belo Horizonte. Jan/Abr. 2012.

MARX, K. ENGELS, F.A ideologia alemã. Trad. Luis Cláudio de Castro e Costa. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MENDES, Maria Aparecida Colares. Profissão professor: História e os desafios do professor. In: MEIRA, José Normando Gonçalves (Org.). Educação, Escola e Sociedade. Montes Claros: Unimontes, 2007. p. 63.

MOLINA, M.C.; SÁ, L. M.Licenciatura em Educação do Campo. In: Dicionário da Educação do campo.Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz. Expressão Popular: Rio de Janeiro/ São Paulo, 2012. p. 466-474.

MOLINA, M.C.; SÁ, L. M.Escola do campo. In: Dicionário da Educação do campo. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz. Expressão Popular: Rio e Janeiro/São Paulo, 2012. p.327.

MOLINA, M.C.; SÁ, L. M.Políticas públicas. In: Dicionário da Educação do campo. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz. Expressão Popular: Rio e Janeiro/São Paulo, 2012. p.587 -596.

MOLINA, M.C.; SÁ, L. M.SÁ, Laís Mourão (Org.). Licenciaturas em Educação do Campo: Registros e Reflexões a partir das Experiências Piloto. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

NÉRI, Ângelo Custódio et al. Reflexões sobre a Formação Continuada de Professores na perspectiva da Educação para a Convivência com o Semi-árido. Educação para a convivência com o Semi-árido. 2.ed. Juazeiro/BA: Selo Editorial-RESAB, 2006. p. 97-112.

NÓVOA, A. O passado e o presente dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor.2. ed. Porto: Porto Editora, 1992.

OLIVEIRA, L.M. T; CAMPOS, M.Educação Básica do Campo. In: Dicionário da Educação do campo. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz. Expressão Popular: Rio e Janeiro/ São Paulo, 2012. p.237-246.

SÁ. Lais Maria B. de Mourão. Ciência e sociedade: a educação em tempos de fronteiras paradigmáticas. Linhas Críticas, Brasília,v. 12, n. 23, p. 217-228, jul./dez. 2006.

TAFFAREL, C.Z.; MOLINA, M. C. Política Educacional e Educação do Campo. In: Dicionário da Educação do campo.Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz. Expressão Popular: Rio e Janeiro/São Paulo, 2012. p.571 –578.

TARDIF, M. LESSARD. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Revista Brasileira de Educação. nº 13. jan-abril. 2000.

TARDIF, M. LESSARD. Saberes docentes e formação profissional. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

Downloads

Publicado

2018-04-30

Como Citar

OLIVEIRA, M. A. A.; SANTOS, A. P. dos. Políticas públicas na educação do campo: campo, formação de educadores e marcos legais. Revista Educação e Políticas em Debate, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 113–131, 2018. DOI: 10.14393/REPOD.issn.2238-8346.v7n1a2018-09. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/47049. Acesso em: 18 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Políticas de Educação do Campo