AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA UNIVERSIDADE PÚBLICA: MECANISMO DE MEDIAÇÃO ENTRE A GESTÃO E O PLANEJAMENTO

Autores

  • Iria Brzezinski Universidade Católica de Goiás

Resumo

O presente artigo é um recorte de uma pesquisa de mestrado em andamento realizada nos anos de 2012 a 2014. Buscamos por meio de levantamento bibliográfico, apresentar os percursos da avaliação educacional destacando as diferentes concepções que tem norteado essa temática, bem como as especificidades e contribuições da Avaliação Formativa. A prática da avaliação formativa contribui para o fortalecimento de relações mais dialógicas, problematizadoras e emancipatórias. Ou seja, possui um forte potencial includente como modalidade avaliativa e, deveria se instituir como política pública para a Educação Básica e Superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Iria Brzezinski, Universidade Católica de Goiás

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo. Professora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Referências

BARBIER, J-M. Lévaluation em formation. Paris: Presses Universitaires de France, 1985.

BARBIER, R. A pesquisa-ação. Brasília: Líber Livro, 2002.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004.

BOGDAN, R. ; BICKLEN, S. Investigação qualitativa em educação. Uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL.PR. Lei n. 9.394, de 20/12/1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. In: BRZEZINSKI, I. (org.). LDB dez anos depois: reinterpretação sob diversos olhares. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2010, p. 265-309.

BRASIL.PR. Lei n. 10.861, de 14/4/2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação e dá outras providências. Brasília: D.O.U., 15/4/2004.

BRASIL. PR. Decreto n. 5.773, de 9/5/2006. Dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação de instituições de educação superior e cursos superiores de graduação e sequenciais no sistema federal de ensino. Brasília: D.O.U., 10/5/2006.

BRZEZINSKI, I. Programa de Avaliação Institucional da UEG. Reformulado. Goiânia: UEG: CAAE, 2005. Impresso.

CHAUÍ, M. Ideologia e educação. (1980) Educação e Sociedade, n. 5. São Paulo: Cortez/Autores Associados/ CEDES, p. 24-40.

DIAS SOBRINHO, J. Campos e caminhos da avaliação: a avaliação da educação superior no Brasil. In: Universidade e avaliação: entre a ética e o mercado. Florianópolis: Insular, 2002. p. 31-82.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira/Graal, 1979.

HADJI, C. Avaliação desmistificada. Trad. Patrícia C. Ramos. Porto Alegre: Artmed, 2001.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre. Artes Médicas/UFMG, 1999.

LEFORT, C. Esboço de uma gênese da ideologia nas sociedades modernas. In: LEFORT, Claude. As formas da história: ensaios de Antropologia Política. São Paulo: Brasiliense, 1979.

RAVICH, D. Vida e morte do grande sistema escolar americano: como os testes padronizados e o modelo de mercado ameaçam a educação. Porto Alegre: Sulina, 2011.

Downloads

Publicado

2014-02-18

Como Citar

Brzezinski, I. (2014). AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA UNIVERSIDADE PÚBLICA: MECANISMO DE MEDIAÇÃO ENTRE A GESTÃO E O PLANEJAMENTO. Revista Educação E Políticas Em Debate, 2(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/24784

Edição

Seção

Dossiê: Políticas e Práticas de Avaliação