Autonomia controlada e adoecimento do professor / Controlled autonomy and its effect on teachers' health

Autores

  • Eduardo Pinto e Silva UFSCar
  • José Roberto Heloani UNICAMP
  • Evaldo Piolli UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v1n2a2012-21901

Resumo

RESUMO: Analisamos neste artigo as reformas educacionais que se dão no contextoda Reforma do Estado e as medidas e metas que influenciam a gestão escolar e asrelações de trabalho no âmbito das escolas e universidade públicas. Apontamos para atransposição de alguns conceitos da empresa para as instituições educacionais, taiscomo os de autonomia, qualidade, metas e produtividade, entre outros. Nossapreocupação central foi a de analisar o atual modelo de gestão, baseado nos princípiosda eficácia empresarial e de avaliações heterônomas que, do nosso ponto de vista,tendem a provocar individualismo e competitividade nas relações de trabalho. Propõe-seuma reflexão crítica sobre a relação entre as metas de qualidade e as condições objetivasde trabalho dos trabalhadores da educação nos distintos sistemas e instituições deensino, de modo a considerar seus efeitos não somente nas relações de trabalho, mastambém na saúde e na qualidade de vida dos trabalhadores. A autonomia controlada éapontada como uma dimensão patogênica do modelo avaliativo, o que propiciaria oadoecimento do professor.

PALAVRAS-CHAVE: Reforma do Estado; trabalho do professor; adoecimento.

ABSTRACT:We analyze in this article the educational reforms that take place in the context of the State Reform and the measures and goals that influence the school management and labor relations within public schools and universities. We point out the transposition of some concepts of enterprise for educational institutions, such as autonomy, quality, and productivity goals, among others. Our main concern was to analyze the current management model, based on the principles ofbusiness effectiveness and of heteronomousreviews that, from our point of view, tend to cause individualism and competitiveness in work relations.It is proposeda critical reflection on the relationship between quality goals and objective work conditionsof workers in the different systems of education and educational institutions in order to consider its effects not only in labor relations, but also in the health and quality of life for workers. Controlled autonomy is seen as a pathogenicdimension of theevaluative model, which would propitiateillness on teachers.

KEYWORDS: State Reform; teacher's work; illness.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BRASIL - CAMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de lei – Plano Nacional de Educação -

PNE. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/pne.pdf. Acesso em: 25/03/2011.

CONAE. Construindo o Sistema Nacional Articulado de Educação: o Plano Nacional de

Educação, diretrizes e estratégias de ação. Brasília, DF: MEC, 2010.

DEJOURS, Christophe. A banalização da injustiça social. 4ª ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV,

_________.Conferências brasileiras: identidade, reconhecimento e transgressão no trabalho. São Paulo:

FGV, 1998.

FREITAS, L. C. Políticas de avaliação no Estado de São Paulo: o controle do professor

como ocultação do descaso. Educação e Cidadania, v.8, n.1, 2009.

Revista Educação e Políticas em Debate – v. 2, n. 2 – jul./dez. 2012

HELOANI, R; PIOLLI, E. Educação, economia e Reforma do Estado: algumas reflexões

sobre a gestão e o trabalho na educação. Revista Apase, n.11, p.14-21, maio 2010.

LINHART, Danièle. “O indivíduo no centro da modernização das empresas: um

reconhecimento esperado mas perigoso”, Trabalho & Educação (NETE), no 7, jul./dez.,

p.24-37, /2000.

LIMA, L. C. A escola como organização educativa. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2003.

OLIVEIRA, D. Gestão democrática da educação no contexto da reforma do Estado. In

AGUIAR, Márcia A da S e FERREIRA, Naura S C (orgs). Gestão da Educação: impasses,

perspectiva e compromisso. São Paulo: Cortez, 2004

PAGÈS, M., et. all. O poder nas organizações. São Paulo: Atlas, 1987.

PIOLLI, E. Identidade e trabalho do diretor de escola: reconhecimento e sofrimento. Campinas,

SP: Tese de Doutorado, Faculdade de Educação, UNICAMP, 2010.

SGUISSARDI, V.; SILVA JÚNIOR, J. dos R. O trabalho intensificado na Federais: pósgraduação e produtivismo acadêmico. São Paulo: Xamã, 2009.

Downloads

Publicado

2013-03-06

Como Citar

SILVA, E. P. e; HELOANI, J. R.; PIOLLI, E. Autonomia controlada e adoecimento do professor / Controlled autonomy and its effect on teachers’ health. Revista Educação e Políticas em Debate, [S. l.], v. 1, n. 2, 2013. DOI: 10.14393/REPOD-v1n2a2012-21901. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/21901. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê