SUSCETIBILIDADE A PROCESSOS GEODINÂMICOS E APTIDÃO À URBANIZAÇÃO NA BACIA DO RIO MARACUJÁ, OURO PRETO, MG

Conteúdo do artigo principal

Tatiane Robaina Rangel de Carvalho
Frederico Garcia Sobreira

Resumo

O trabalho está inserido no contexto do programa do governo federal intitulado Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais, criado em 2012 como instrumento para o enfrentamento dos desastres naturais ocorridos no Brasil, nos últimos anos, como, recentemente, na Região Serrana do Rio de Janeiro, que levou a morte mais de 900 pessoas. A pesquisa teve como tema central o mapeamento geotécnico voltado para o planejamento urbano, em escala 1:25.000. O objetivo principal do trabalho consistiu no desenvolvimento de método para a elaboração de carta geotécnica de aptidão urbana, com a finalidade de fornecer a gestão pública diretrizes de mapeamento para a expansão urbana dos municípios, de forma a prevenir os desastres naturais. O estudo foi desenvolvido na bacia hidrográfica do rio Maracujá, em uma área de 120 km2, no município de Ouro Preto. O método baseou-se na análise de suscetibilidade do meio físico aos processos geodinâmicos e no comportamento geotécnico do terreno e propõe o critério de exclusão para a definição das unidades geotécnicas, que leva em consideração aspectos geológicos, geomorfológicos, ambientais, legais e geotécnicos. O resultado foi o zoneamento da área em três unidades: alta aptidão à urbanização; média aptidão à urbanização; e baixa aptidão à urbanização. O método apresentou como principais vantagens: o fato de ser direto, portanto, passível de replicação, sem a necessidade de procedimentos mais complexos; a execução de todo o procedimento em tempo relativamente curto; e a facilidade de obtenção das principais informações para a elaboração da carta geotécnica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
DE CARVALHO, T. R. R.; SOBREIRA, F. G. SUSCETIBILIDADE A PROCESSOS GEODINÂMICOS E APTIDÃO À URBANIZAÇÃO NA BACIA DO RIO MARACUJÁ, OURO PRETO, MG. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 68, n. 2, 2016. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44401. Acesso em: 18 maio. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Tatiane Robaina Rangel de Carvalho, Universidade Federal de Ouro Preto

Graduada em geologia pela Universidade Federal do Espírito Santo e mestre em geotecnia pela Universidade Federal de Ouro Preto.

Frederico Garcia Sobreira, Universidade Federal de Ouro Preto

Professor associado da Universidade Federal de Ouro Preto.