BACIA HIDROGRÁFICA DO RIBEIRÃO DO CARMO: ATRIBUTOS MORFOMÉTRICOS, EQUAÇÃO DE CHUVA INTENSA E TEMPO DE CONCENTRAÇÃO, E ANÁLISE DA SUSCETIBILIDADE A INUNDAÇÃO

Conteúdo do artigo principal

Leonardo Andrade de Souza
Frederico Garcia Sobreira

Resumo

A avaliação da composição e forma da rede de drenagem em uma bacia hidrográï¬ca permite a caracterização dos aspectos geométricos e de composição dos sistemas ambientais, possibilitando através de estudos comparativos de cenários utilizar os parâmetros como elementos de suporte à deï¬nição e elaboração de indicadores para a gestão ambiental. Nesse sentido, a análise dos atributos morfométricos da Bacia Hidrográï¬ca do Ribeirão do Carmo (BHRC) teve como pressuposto estabelecer as relações entre os parâmetros mensuráveis da bacia e os seus condicionantes. Já a avaliação do padrão de comportamento das chuvas intensas no interior da bacia foi realizada juntamente com a determinação do tempo de concentração, a partir do início de uma determinada chuva, para que toda a área da bacia hidrográï¬ca passe a contribuir com água para a vazão que se estabelece em seu exutório. Como análise ï¬nal foi cartografada a suscetibilidade à deflagração de processos de inundação ao longo da BHRC, a partir da utilização de métodos qualitativos baseados nos atributos morfométricos e na análise geomorfológica, e na superposição e atribuição de pesos para mapas de fatores, associados ao conhecimento especialista de campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
SOUZA, L. A. de; SOBREIRA, F. G. BACIA HIDROGRÁFICA DO RIBEIRÃO DO CARMO: ATRIBUTOS MORFOMÉTRICOS, EQUAÇÃO DE CHUVA INTENSA E TEMPO DE CONCENTRAÇÃO, E ANÁLISE DA SUSCETIBILIDADE A INUNDAÇÃO. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 69, n. 7, 2017. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/43993. Acesso em: 22 maio. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Leonardo Andrade de Souza, Universidade Federal de Ouro Preto

Programa de Pós-Graduação em Geotecnia

Frederico Garcia Sobreira, Universidade Federal de Ouro Preto

Escola de Minas