Reforma Agrária como política de reparação histórica para a população negra no Brasil

Autores

  • Yamila Goldfarb Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (UNESP)

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT184968890

Palavras-chave:

Reforma Agrária, Reparação, População negra, Lei de Terras, Escravismo colonial

Resumo

Este trabalho busca construir a argumentação de defesa da Reforma Agrária enquanto reparação histórica para a população negra brasileira frente a três principais marcos da história do país, a saber: a Lei de Terras de 1850 que ao instituir a propriedade privada da terra impede o seu acesso à população que estava por ser emancipada; a interdição do acesso ao ensino público para a população escravizada e mesmo recém liberta e; a expulsão do campo sistemática que se perpetra com a ditadura cívico-militar e sua modernização conservadora e violenta. O trabalho busca mostrar que para se superar o racismo no país é preciso compreender a indissociabilidade da origem deste com a questão agrária, logo, sua superação requer também a própria superação da questão agrária. Para tanto, a reparação à população negra por meio do acesso à terra se torna fundamental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yamila Goldfarb, Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (UNESP)

Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial da América Latina e Caribe – Pós doutorado.

Associação Brasileira de Reforma Agrária – ABRA

Downloads

Publicado

27-04-2023

Como Citar

GOLDFARB, Y. Reforma Agrária como política de reparação histórica para a população negra no Brasil . Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 18, n. 49, p. 330–344, 2023. DOI: 10.14393/RCT184968890. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/68890. Acesso em: 16 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos