Política de desenvolvimento territorial rural no Brasil: limites da concepção de ruralidade e de territórios rurais

Autores

  • Agripino Souza Coelho Neto Universidade do Estado da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT81619867

Palavras-chave:

Relação campo-cidade, Ruralidade, Política de Desenvolvimento Territorial, Territórios Rurais, Brasil

Resumo

O propósito imediato deste texto é realizar uma reflexão preliminar sobre o conteúdo da política territorial do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), mais especificamente, no que concerne a definição dos "territórios rurais" como categoria que permitiu propor as delimitações espaciais de operação do Programa Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais (PNDSTR). Para cumprir esta empreitada nos debruçamos na realização de uma sistematização do debate sobre a noção de ruralidade no campo das humanidades, considerando sua centralidade para subsidiar a tarefa proposta. Em linhas gerais, a análise do conteúdo dos documentos oficiais aponta uma secundarização da discussão sobre a ruralidade, o negligenciamento das leituras que propugnam a conformação de novas ruralidades no território brasileiro e o limite da metodologia de delimitação dos "territórios rurais".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Agripino Souza Coelho Neto, Universidade do Estado da Bahia

Doutorando em Geografia pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestre em Geografia pela Universidade Fedreal da Bahia (UFF), professor assistente da Universidade Estadual da Bahia (UNEB)

Downloads

Publicado

19-08-2013

Como Citar

COELHO NETO, A. S. Política de desenvolvimento territorial rural no Brasil: limites da concepção de ruralidade e de territórios rurais . Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 8, n. 16 Ago., p. 152–169, 2013. DOI: 10.14393/RCT81619867. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/19867. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)