ORIGENS E DISTRIBUIÇÕES DAS ARTÉRIAS MESENTÉRICAS CRANIAL E CAUDAL EM MARRECOS (ANAS PLATYRHYNCHOS PLATYRHYNCHOS)

Autores

  • FREDERICO OZANAM CARNEIRO SILVA
  • GABRIELLE GON RESENDE
  • BRUNO GOMES VASCONCELOS
  • ANDREA REGINA ABRANTES GOMES
  • FERNANDO ANT FERREIRA

Palavras-chave:

irrigação, anseriformes, vascularização, aves.

Resumo

O hábito de comer carne de marreco está cada vez mais popular no país, promovendo um avanço médio de 10% ao ano nas vendas de matrizes, filhotes, ovos e animais vivos. Intimamente relacionado à produtividade está o aparelho digestório, e dentre os importantes vasos responsáveis pela nutrição, estão as artérias mesentéricas. Foram estudados em 30 exemplares de marrecos (Anas platyrhynchos) as origens e distribuições das artérias mesentéricas cranial e caudal, que foram cedidos por núcleos criatórios do estado de São Paulo. Após a morte natural das aves, foram realizadas a injeção do sistema vascular arterial, via artéria isquiática, de solução marcadora de vasos sanguíneos, constiuida de 50% Neoprene latex "450��? e corada com pigmento específico, em seguida fixada em formol a 10% para posteriores dissecações. As artérias mesentéricas craniais originaram-se da aorta descendente, caudal à artéria celíaca e irrigaram o jejuno, íleo, ceco direito, porção cranial do ceco esquerdo, junção ileocecocólica e colonreto. Já as artérias mesentéricas caudais surgiram da aorta descendente à altura das porções caudais dos rins e irrigaram o reto, a cloaca e a bolsa cloacal. Ocorreram anastomoses entre os ramos das artérias celíacas e mesentéricas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-04-20

Como Citar

SILVA, F. O. C., RESENDE, G. G., VASCONCELOS, B. G., GOMES, A. R. A., & FERREIRA, F. A. (2011). ORIGENS E DISTRIBUIÇÕES DAS ARTÉRIAS MESENTÉRICAS CRANIAL E CAUDAL EM MARRECOS (ANAS PLATYRHYNCHOS PLATYRHYNCHOS). Veterinária Notícias, 15(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18931

Edição

Seção

Artigos