MIELOGRAFIA CERVICAL COM IOHEXOL HIPEROSMOLAR EM CÃES

Autores

  • RIGUEIRA, F.D.L. FAMEV - UFU
  • BORGES, A.P.B. DVT-UFV
  • LANA, L.M. SADIA
  • FARIA, A.B. Autonomo.
  • WELTER, B.M. FAMEV - UFU

Palavras-chave:

Mielografia, iohexol, hiperosmolar, cervical, cão.

Resumo

A mielografia é um exame radiográfico contrastado utilizado para diagnosticar lesões compressivas da medula espinhal. Diferentes contrastes podem ser utilizados neste exame. O objetivo deste trabalho foi verificar os possíveis efeitos colaterais e a avaliar a qualidade radiográfica provocados pelo contraste iohexol em apresentação hiperosmolar (300mgI/ml) em cães sadios. Foram utilizados dez cães sadios, adultos, machos e fêmeas, SRD, pesando entre 5 e 10kg. Todos os cães foram pré-medicados com diazepam (0.5mg/ Kg) e induzidos com tiopental (12.5mg/Kg). Em seguida, os animais foram posicionados em decúbito lateral para punção da região atlanto-occipital que foi feita com agulha hipodérmica 25x7, por onde foi drenado o líquor e injetado o contraste. Foram injetados lentamente 0.3ml/kg de iohexol 300mgI/ ml no espaço subaracnóide e imediatamente após a injeção do contraste a cabeça foi elevada em 30º em relação ao corpo do animal. Foram realizadas radiografias látero-laterais da coluna logo após a injeção de contraste e a cada cinco minutos até o completo desaparecimento do contraste. Os animais foram observados até o completo retorno da anestesia. Em todos os animais as radiografias tiveram a linha de contraste muito bem visualizadas nas colunas cervical e torácica, no entanto, na lombar a linha de contraste tornou-se menos radiopaca, porém permitiu ainda o delineamento da medula espinhal de forma satisfatória. Aos cinco e dez minutos, a linha de contraste já havia alcançado as porções torácica e lombar da coluna, respectivamente. Aos quinze minutos, o contraste chegou na cauda eqüina e aos 50 minutos o contraste já havia desaparecido completamente em todos os cães. Nenhum animal teve convulsão, mas todos vocalizaram, sete (70%) tiveram movimentos de pedalagem e quatro (40%) vomitaram durante o retorno anestésico. Nenhum outro efeito colateral foi observado durante o período de avaliação. Apesar dos efeitos colaterais durante o retorno anestésico, o iohexol hiperosmolar mostrou-se seguro e forneceu boa radiopacidade da linha de contraste nas colunas cervical e torácica, sendo necessário, talvez, uma dose maior para mielografias lombares com punção cervical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-02-12

Como Citar

F.D.L., R., A.P.B., B., L.M., L., A.B., F., & B.M., W. (2008). MIELOGRAFIA CERVICAL COM IOHEXOL HIPEROSMOLAR EM CÃES. Veterinária Notícias - Vet Not, 12(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18771

Edição

Seção

Artigos