MICROSCOPIA ELETRÔNICA DO EPITÉLIO DAS VIAS RESPIRATÓRIAS DE PINTAINHOS Gallus gallus SOB EFEITO DO VAPOR DE FORMALDEÃ?DO

Autores

  • FREITAS, A.G. FAMEV - UFU
  • GUSTIN, P.C. GRANJA PLANALTO
  • NEVES, A.C.R.S. GRANJA PLANALTO
  • BORGES, M.S. GRANJA PLANALTO
  • ROCHA, J.V. FAMEV - UFU
  • SILVA, P.L. FAMEV - UFU
  • BELETTI, M.E. ICBIM - UFU

Palavras-chave:

Formaldeído, pulmões, traquéia, microscopia eletrônica, Gallus gallus.

Resumo

Objetivou-se avaliar o efeito do vapor de formaldeído sobre a integridade epitelial das vias respiratórias em pintainhos. Na fase de eclosão, o experimento foi realizado no incubatório Europa, Granja Planalto, Uberlândia-MG. A microscopia eletrônica foi realizada no Centro de Microscopia Eletrônica do ICBIM-UFU. Foram utilizados 57.600 ovos férteis com 52 a 60 g oriundos de matrizes pesadas, divididas igualmente em 4 tratamentos: T1 co troca de solução de formalina de 6 em 6 horas; T2, com troca a cada 9 horas; T3, com troca a cada 24 horas e T4, que não recebeu formalina. Esses receberam fumigação de formaldeído de 12 em 12 horas nos 18 primeiros dias de incubação. Na máquina de eclosão, o vapor do formaldeído foi obtido pela exposição de recipientes contendo formalina. Foram utilizados dois recipientes de cada vez, cada um contendo 90 mL de solução 36%. As medições das concentrações de formaldeído foram feitas trinta minutos após cada introdução deste nas máquinas de eclosão. Ao final das setenta e duas horas foram coletadas oito amostras de traquéia e oito de pulmões de cada tratamento, que foram processadas para avaliação em microscopia eletrônica de transmissão. Para a análise estatística utilizou-se o teste de Kolmogorov-Smirnov, para verificar se os dados obtidos possuíam distribuição normal. Possíveis diferenças entre os tratamentos foram verificadas pelo teste não paramétrico de Wilcoxon com p dâ€? 0,05. A análise em microscopia revelou presença de alterações patológicas em todos os tratamentos, porém não houve diferenças estatísticas entre eles. As alterações encontradas com maior freqüência na traquéia foram áreas de deciliação, aglutinação ciliar e áreas de descamação no epitélio. Nos pulmões, lesões no epitélio dos alvéolos, presença de heterófilos interalveolares, grande quantidade de muco e substância surfactante no interior dos alvéolos. Portanto, a utilização de vapor de formaldeído durante todo o processo de incubação e de eclosão, causa alterações ultra-estruturais no trato respiratório das aves. Assim mesmo, quando não se utiliza vapor na fase de eclosão, as alterações continuam sendo encontradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-02-12

Como Citar

A.G., F., P.C., G., A.C.R.S., N., M.S., B., J.V., R., P.L., S., & M.E., B. (2008). MICROSCOPIA ELETRÔNICA DO EPITÉLIO DAS VIAS RESPIRATÓRIAS DE PINTAINHOS Gallus gallus SOB EFEITO DO VAPOR DE FORMALDEÃ?DO. Veterinária Notícias, 12(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18770

Edição

Seção

Artigos