Evasão escolar no ensino médio sob a perspectiva dos docentes

Autores

  • Bernarda Elane Madureira Lopes Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD.issn.2238-8346.v6n3a2017-05

Palavras-chave:

Ensino Médio, Evasão escolar, Professores, Precarização do trabalho

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir, a partir da perspectiva de professores do Ensino Médio, o fenômeno evasão escolar. Optou-se por uma abordagem qualitativa, do tipo estudo de caso. Os participantes da pesquisa foram 33 professores do Ensino Médio. Verifica-se que, mesmo diante dos avanços na legislação brasileira em relação a essa etapa, o problema da evasão escolar persiste entre os jovens e adolescentes brasileiros. Nesse sentido, conclui-se que as condições socioeconômicas dos alunos contribuem para o abandono escolar e, ainda, aspectos voltados para questões pessoais e subjetivas. Isso posto, a precarização do trabalho docente, como baixos salários, falta de recursos didáticos, dentre outros, contribuem, segundo os professores, para a evasão escolar no Ensino Médio uma vez que influenciam a performance docente.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Bernarda Elane Madureira Lopes, Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG)

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia. Professora da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Minas Gerais.

Referências

ALMEIDA, M. I. Profissionalização do professor: problemas e perspectivas. In: MENIN, A. M. S.; GOMES, A. A.; LEITE, Y. U. F. (Orgs.). Políticas públicas: diretrizes e necessidades da educação básica. Presidente Prudente, SP: FCT/UNESP, 2002. p. 21-28.

ALVARENGA, V. C. A profissionalização do trabalho docente: um estudo das condições de trabalho de professoras de pré-escola. 2009. 168 f. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, SP: 2009.

APPLE, M. W. Relações de classe e de gênero e modificações no processo do trabalho docente. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva. Cad. Pesq., São Paulo (60): 3-14, fev. 1987. Disponível em: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/cp/arquivos/768.pdf. Acesso em 09/03/2017.

ASSUNÇÃO, A. A.; OLIVEIRA, D. A. Intensificação do trabalho e saúde dos professores. Educ. Soc., Campinas, SP: vol. 30, n. 107, p. 349-372, maio/ago. 2009.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituição.htm.

BRASIL. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 23 dez. 1996, p. 27.833.

BRASIL. Emenda Constitucional Nº 59, de 11 de novembro de 2009 – Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc59.htm. Acesso em 12/12/2016.

DORE, R. Evasão e repetência na rede federal de educação profissional-XXXVII RediTec - Reunião dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica – Maceió, Alagoas: Setembro 2013. Disponível em: http://www.reditec.ifal.edu.br/arquivos-1/apresentacoes/dia-04-09/Tema%2005%20-%20Evasao%20e%20Repetencia%20na%20Rede%20Federal%20de%20Educacao%20Profissional.pdf/.

DOURADO, L. F. Retratos da Escola/Escola de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (Esforce) – V. 5, n. 8, jan./jun.2011 – Brasília, DF: CNTE, 2011 – Semestral.

ESTEVE, J. M. Mudanças sociais e função docente. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1991. p. 95-108.

FRANCO, L. L. M. M.; MORAES, K. N. Trabalho na educação básica A condição docente em sete estados brasileiros. Retratos da Escola / Escola de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (Esforce) – v.6, n.11, jul./dez. 2012. – Brasília, DF: CNTE, 2007.

FRITSCH, R., VITELLI, R. F., ROCHA, C. S.Para que jovens? Que políticas? – perfil de alunos ingressantes no ensino médio e políticas educacionais. Brasília, DF: IFB/CEPROTEC/RIMEPES, 2014.

GATTI, B. A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação v. 13 n. 37 jan./abr. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v13n37/06.pdf.

MARCHESI, A.; PÉREZ, E. M. A compreensão do fracasso escolar - Fracasso escolar: uma perspectiva multicultural/organizado por Álvaro Marchesi e Carlos Hernandez Gil: trad. Ernani Rosa. P. 17-33. Porto Alegre: Artmed, 2004.

OLIVEIRA, D. A. Ensino médio noturno em Minas Gerais: democratização e diversidade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

OLIVEIRA, D. A.; HYPÓLITO, A. M. In: SILVA, M. V. Trabalho Docente na América Latina: Desafios ao campo da pesquisa e às políticas educacionais. Revista Educação e Políticas em Debate, Uberlândia, vol. 2, n. 2, p. 277-303, jul./dez. 2012. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/21897/12107.

SAMPAIO, M. M. F.; MARIN, A. J. Precarização do trabalho docente e seus efeitos sobre as práticas curriculares. Educação e Sociedade, Campinas,SP, vol. 25, n. 89, p. 1203-1225. set./dez. 2004.

TEIXEIRA. I. A. C.; LEAL, A. A. A. Fios e desafios da docência no ensino médio - Revista Outro Olhar - Ensino Médio - Agosto de 2011, Ano 10, nº 7 – Belo Horizonte, MG.

VOLPI, M., SILVA, M. S., RIBEIRO, J. 10 desafios do ensino médio no Brasil: para garantir o direito de aprender de adolescentes de 15 a 17 anos.1. ed. – Brasília, DF: UNICEF, 2014.

Downloads

Publicado

2017-12-30

Como Citar

Lopes, B. E. M. (2017). Evasão escolar no ensino médio sob a perspectiva dos docentes. Revista Educação E Políticas Em Debate, 6(3). https://doi.org/10.14393/REPOD.issn.2238-8346.v6n3a2017-05

Edição

Seção

Dossiê: Políticas educacionais, trabalho docente e desempenho discente