ADOLESCÊNCIA HETERONORMATIVA MASCULINA: UM ENFRENTAMENTO COM POSSIBILIDADE DE SUICÍDIO

Autores

  • Welson Barbosa Santos Universidade Federal de São Carlos - UFSCar
  • Marisa Borges Universidade Federal de São Carlos - UFSCar
  • Juliano da Silva Martins de Almeida Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Resumo

O presente artigo tem como proposição compreender os processos sociais de constituição de identidades masculinas em relação a heteronormatividade. Parte-se do pressuposto que aqueles comportamentos de adolescentes masculinos que estão fora do que a sociedade aceita e impõe como condutas, contêm os conflitos e as tensões que podem estimular o suicídio entres esses adolescentes. A investigação inicial realizada em rede virtual envolveu 200 meninos adolescentes, alunos de duas instituições de ensino e, destes, foram coletados os relatos de 17 sujeitos apreendendo suas experiências culturais e também suas masculinidades inscritas no discurso da hetoronormatividade.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Welson Barbosa Santos, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Doutorando do Programa de Pós-graduação da Faculdade de Educação

Marisa Borges, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Doutoranda do Programa de Pós-graduação da Faculdade de Educação

Juliano da Silva Martins de Almeida, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Pós-graduação da Faculdade de Engenharia Química

Referências

BRITZMAN, D. P. O que é essa coisa chamada amor: identidade homossexual, educação e currículo. Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 21, p. 71-96, jan./jun. 1996.

BADINTER, E. XY: sobre a identidade masculina. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira. 1999.

COONEL, R. Políticas da Masculinidade. Educação & Realidade. Porto Alegre. V.20, n. 2, jul./dez., 1995.

DINIS. N. F. Educação, relações de gênero e diversidade sexual. In: Revista Educação & Sociedade. v.29. n.103.mai/ago, Campinas, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sciarttext&pid=S010101-733.

DINIS. N. F.; MADLENER. F. A homossexualidade e a perspectiva Foucaultiana. In: Revista do Departamento de Psicologia, UFF, v.19. n.1, Niterói, 2007. Disponível em: http:// www.scielo.br/scielo.php?.script=sci-arttext&pid=S0104-802.

DINIS, N. F. Homofobia e educação: quando a omissão também é signo de violência. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 39, p. 39-50, jan./abr. Editora UFPR, 2011.

FOUCAULT, M. História da Sexualidade, vol. I – A vontade de saber. 18ª edição, Rio de Janeiro, Ed. Graal, 2007.

FOUCAULT, M História da Sexualidade, vol. II: o uso dos prazeres.Rio de Janeiro: Graal, 2010.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. 21. Ed. São Paulo: Ed. Loyola, 2011.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987.

FOUCAULT, M. As palavras e as coisas. Tradução de Salma Tannus Muchail. 8. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FOUCAULT, M. “Verdade, poder, self”. in M. F. EIZIRIK, Michel Foucault, um pensador do presente. Ijuí, Unijuí, 2002.

FREITAS, H.; JANISSEK-MUNIZ, R.; ANDRIOTTI, F. K.; FREITAS, P.; COSTA, R. S. Pesquisa via Internet: características, processo e interface. Revista Eletrônica GIANTI, Porto Alegre, 2004.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Ed. Vozes, 1997.

LOURO, G. L. (Org) O Corpo Educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Ed. Autêntica, 1999.

LOURO, G. L.; NECKEL, F.J.; GOELLNER, V.S. (Org.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis: Ed. Vozes, 2003.

LOURO, G; L. Um corpo estranho: ensaios sobre LOURO, G. L. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Ed. Autêntica, 2004.

LOURO, G. L. Gênero, Sexualidade e Educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 10.ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 2008.

LOURO, G. L.. Foucault e os estudos queer. In: RAGO, Margareth. VEIGA-NETO, Alfredo. Para uma vida não-fascista. Belo Horizonte: Ed. Autêntica, 2009. p. 135-142.

JUNQUEIRA, R. D. Homofobia nas escolas: um problema de todos in: Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas / Rogério D. J. (organizador). – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009.

MANN, C.; STEWART, F. Internet Communication and Qualitative Research: a handbook for researching online. London: SAGE Publications, 2000.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais emergentes no contexto da tecnologia digital. In: MARCUSCHI, L. A. XAVIER, A. C.s (Orgs.). Hipertexto e Gêneros Digitais. Rio de Janeiro: Ed. Lucerna, 2004.

MISKOLSI, R Não somos, queremos: reflexões queer sobre a política sexual brasileira contemporânea. In: COLLING, Leandro (Org.). Stonewall 40 + o que no Brasil? Salvador: UFBA, 2011. p. 37-56, MISKOLSI, R. O Armário Ampliado – Notas sobre sociabilidade homoerótica na era da internet. Niterói: Gênero, 2009.

MISKOLSI, R Corpos Elétricos: do assujeitamento à estética da existência. Revista Estudos Feministas. Florianópolis: Ed. IEF, 2006.

MISKOLCI. R. A Teoria Queer e a Questão das Diferenças: por uma analítica da normalização. 2007. Disponível em http://www.alb.com.br/anais16/prog_pdf/prog03_01.pdf.

Mundial De La Salud – OMS. Prevenção do Suicídio: um recurso para conselheiros, Genebra, 2006.

RUBIN, Gayle. The Traffic in women: Notes on the „political economy‟ of sex. In: R. Reiter (ed.), Toward an

Anthropology of Women, New York: Monthly Review Press, 1975.

SCOTT, J. W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 20, n. 2, jul./dez., 1995.

SCOTT, J. W. La citoyenne paradoxale. Les féministes françaises et les droits de h‟homme. Paris: Editions Albin Michel, 1998.

SEDGWICK, E. K. A epistemologia do armário. Cadernos Pagu Vol. 28, Campinas, São Paulo, jan./jun., 2007.

WEEKS, J. Sexuality. New York: Routdledge, 1986.

Downloads

Publicado

2014-02-18

Como Citar

Santos, W. B., Borges, M., & Almeida, J. da S. M. de. (2014). ADOLESCÊNCIA HETERONORMATIVA MASCULINA: UM ENFRENTAMENTO COM POSSIBILIDADE DE SUICÍDIO. Revista Educação E Políticas Em Debate, 2(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/24804

Edição

Seção

Ensaios, Debates e Polêmicas