IDEB DA ESCOLA: A AFERIÇÃO DA QUALIDADE DO ENSINO TEM SIDO REFERENCIAL PARA SE (RE) PENSAR A EDUCAÇÃO MUNICIPAL

Autores

  • Fernanda Ferreira Belo Universidade Federal de Goiás
  • Nelson Amaral Cardoso Universidade Federal de Goiás (UFG)

Resumo

Este texto objetiva problematizar a utilização do IDEB das escolas como referencial para se (re) pensar a educação básica de qualidade. O uso desse índice pelo MEC/Inep ocorre desde o ano de 2007 e indica o estabelecimento de padrões e critérios para monitorar o sistema educacional brasileiro. Ele está inserido na cultura das avaliações externas em larga escala com foco no rendimento do aluno e das redes de ensino. O IDEB tem potencial para revigorar a escola pública desde que não se esgote na superficialidade dos dados, uma vez que eles não retratam as condições socioeconômicas dos alunos e professores, nem as condições de infraestrutura das escolas avaliadas, o que pode comprometer a universalização da educação de qualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fernanda Ferreira Belo, Universidade Federal de Goiás

Professora da Universidade Federal de Goiás, Campus Catalão. Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Goiás

Nelson Amaral Cardoso, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Doutor em Educação pela UNIMEP. Professor na Universidade Federal de Goiás 

Referências

ADRIÃO, T, ARELARO, Lisete; BORGHI, Raquel; GARCIA, Teise; BORGHI, Raquel. Uma modalidade peculiar de privatização da educação pública: a aquisição de “sistemas de ensino” por municípios paulistas. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 30, n. 108, p. 799-818, out. 2009.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9394 de 1996.

CATALÃO, Contrato de Prestação de Serviços n.º 0111/2009, firmado entre a Prefeitura Municipal de Catalão e a Editora Positivo Ltda. 2009.

CATALÃO, Material de Campanha Publicitária, ano de divulgação 2011.

FERNANDES, Reynaldo. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2007.

MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. SP: Boitempo, 2005.

SAVIANI, Dermeval. PDE - Plano de Desenvolvimento da Educação: análise crítica da política do MEC. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2009.

BRASIL, Poder Executivo. Projeto de Lei N.º 8.035, 20 de dezembro de 2010. Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020, e dá outras providências. Câmara dos Deputados, Brasília, 2010. Disponível em: <http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=490116>. Acesso em 15 de fevereiro de 2013.

BRASIL, IDEB/INEP. Disponível em <http://IDEB.inep.gov.br/resultado/resultado/resultado.seam?cid=694337>. Consulta em fevereiro de 2013.

Disponível em: <http://IDEB.inep.gov.br/resultado/resultado/resultado.seam?cid=693573>. Consulta em fevereiro de 2013.

Disponível em: http://IDEB.inep.gov.br/resultado/resultado/resultado.seam?cid=693573. Consulta em fevereiro de 2013.

BRASIL. TODOS PELA EDUCAÇÃO. Disponível em <http://www.todospelaeducacao.org.br/educacao-no-brasil/dados-das-5-metas/>. Consulta em fevereiro de 2013.

BELO, Fernanda Ferreira Belo. Placar do IDEB das escolas públicas estaduais de Catalão. Catalão, 2012 e 2013.

Downloads

Publicado

2014-02-18

Como Citar

Belo, F. F., & Cardoso, N. A. (2014). IDEB DA ESCOLA: A AFERIÇÃO DA QUALIDADE DO ENSINO TEM SIDO REFERENCIAL PARA SE (RE) PENSAR A EDUCAÇÃO MUNICIPAL. Revista Educação E Políticas Em Debate, 2(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/24781

Edição

Seção

Dossiê: Políticas e Práticas de Avaliação