Uma Nova Prática Pedagógica surge a partir da Mediação:

o Diálogo Transforma Divergência em Aprendizagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OT2022v24.n.2.66517

Palavras-chave:

Prática pedagógica; Aprendizagem; Conflito; Mediação; Interdisciplinar;

Resumo

 Uma nova prática pedagógica surge a partir da mediação: o diálogo transforma divergência em aprendizagem, é uma proposta interdisciplinar provocada do exercício dialógico como método subsidiário de tratamento dos conflitos provenientes do convívio escolar. O objetivo desse artigo propõe uma transformação cultural nas práticas pedagógicas, empregando uma metodologia renovada atinente as técnicas. Utilizou-se de uma pesquisa bibliográfica, descritiva, interdisciplinar e qualitativa, de abordagem do conflito, que venha pacificar a violência no âmbito escolar. Para dar conta da temática proposta, faz–se uma reflexão a qual vem conjugar fontes de saberes múltiplos: Gadotti (2004); Nunes (2019); Freire (2011); Delfino (2017); Chrispino; Almeida (2016; Síveres; Lucena, (2019); e Legislação. São fontes necessárias para discussão dessa temática, que é de grande relevância acadêmica e social. O presente artigo traz à discussão temas que serão divididos em três sessões. A primeira apresenta Cenário conflitante: oportunidade de aprendizagem; a segunda aborda o Diálogo na e da escola: ultrapassa os muros escolares; e a terceira propõe Mediação de conflitos e prática dialógica. Os resultados dessa pesquisa mostram a necessidade da criação de espaços para práticas, onde possa haver escuta e diálogo educativo como alternativa, para a pacificação de conflito na escola contemporânea.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

MARIA BERNADETE DE SOUSA CARVALHO MONTE, Faculdade Unida de Vitória,

Mestra em Ciências das Religiões pela Faculdade Unida de Vitória/ES. Possui Graduação em Direito pela Christus Faculdade do Piaui-CHRISFAPI. Pós Graduação em Gestão Pública Municipal pela Universidade Estadual do Piaui-UESPI. Graduação em Normal Superior pela Universidade Estadual do Piauí-UESPI. Pós Graduação em Supervisão Escolar pela Universidade Cândido Mendes- UCAM. Atualmente é Advogada escrita na Ordem dos Advogados do Brasil nº 13932. Professora -SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO PIAUÍ E PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRACURUCA. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS.

DARIELY DE CARVALHO MONTE AMARAL, CHRISFAPI

Mestre em Administração pela Fundação Pedro Leopoldo, possui MBA-Administração Acadêmica e Universitária pela Faculdade dos Pinhais,pós graduação em SUPERVISÃO ESCOLAR pela Universidade Cândido Mendes,graduada em NORMAL SUPERIOR pela Universidade Estadual do Piauí (2004). Cursando Administração pela Faculdade Unicesumar.Atualmente é ativo - UNIDADE ESCOLAR CHRISTUS como Coordenadora de Educação Infantil .Secretária Acadêmica, Procuradora Institucional, Membro do Conselho Diretor e Membro do Núcleo de Apoio Pedagógico - CHRISTUS FACULDADE DO PIAUÍ. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando como Secretária Acadêmica e Coordenadora .

 

LUANA DA CUNHA LOPES, Faculdade Unida de Vitória

Mestra em Ciências das Religiões na FACULDADE UNIDA (2021).Possui graduação em FORMAÇÃO PARA O ENSINO RELIGIOSO pelo CENTRO ECUMÊNICO DE ESTUDOS RELIGIOSOS SUPERIORES DO ESTADO DO MARANHÃO (2010) e graduação em BACHARELADO EM DIREITO - CRISTO FACULDADE DO PIAUÍ (2011). Atualmente é professora - CRISTO FACULDADE DO PIAUÍ desde 2014 e professor da PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRIPIRI desde 2012. Especialista em Docência Superior (2014) e Direito Penal e Processo Penal (2018) pela CRISTO FACULDADE DO PIAUÍ. Advogada OAB/PI 9152. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Civil e Processo Civil, Direito e Processo do Trabalho e na Prática Jurídica, atuando principalmente nos seguintes temas: relações contratuais, acesso à justiça, efetividade jurídica, direito processual e prática jurídica.

Referências

ALMEIDA, Diogo A. Rezende de; PANTOJA, Fernanda Medina. Princípios da mediação de conflitos. In: ALMEIDA, Tania. Mediação de conflitos para iniciantes, praticantes e docentes. Salvador: Juspodivm, 2016.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 11 jul. 2022.

BRASIL, LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Lei nº 13.140, de 26 de junho de 2015. Dispõe sobre a mediação entre particulares como meio de solução de controvérsias e sobre a autocomposição de conflitos no âmbito da administração pública. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13140.htm. Acesso em: 18 mai. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.105, de 16 de março de 2015. Código de Processo Civil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm. Acesso em: 18 mai. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.185, de 6 de novembro de 2015. Institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying). Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano CLII 213, p. 1, 9 nov. 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato20152018/2015/Lei/L13185.htm. Acesso em: 15 mai. 2022.

BRASIL, Lei nº 13.663, de 14 de maio de 2018. Altera o art. 12 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para incluir a promoção de medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz entre as incumbências dos estabelecimentos de ensino. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2018/Lei/L13663.htm. Acesso em: 10 mai. 2022.

BRASIL, Ministério da educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC, versão final) 2018. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 2018. P.600. [pdf]. Disponível em:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em 11 mai. 2022.

CANEZIN, Thays Cristina Carvalho; CANEZIN, Claudete Carvalho; CACHAPUZ, Rozane da Rosa. Mediação nos Casos de Violência contra a Mulher. Revista do Direito Público, Londrina, v.12, n.1, p. 287-310, mai. 2017. DOI: https://doi.org/10.5433/1980-511X.2017v12n1p287.

CARLOS, Vezzulla Juan. Teoria da Mediação. São Paulo: Inst. de Mediação e Arbitragem do Brasil, 2011. Acesso em 13 mai. 2022.

CHARLOT, B. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Revista Sociologias, Porto Alegre, n. 8, jul./dez. 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-45222002000200016.

CHRISPINO, Á. Gestão do conflito escolar: da classificação dos conflitos aos modelos de mediação. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., v. 15, n. 54, p. 11-28, 2007. ISSN 0104-4036. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362007000100002.

CHRISPINO, Alvaro et al. Mediação escolar: uma via para a convivência pacífica. In: ALMEIDA, Tania. Mediação de conflitos para iniciantes, praticantes e docentes. Salvador: Juspodivm, 2016.

DELFINO, Priscila Liberato. Mediação: a efetividade da mediação como instrumento de resolução de conflitos, à luz do código de processo civil – lei n. 13.105∕2015 e da lei da mediação – lei n. 13.140∕2015. Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, Florianópolis, 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 5ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, p. 213, 2005,

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 41 ed. São. Paulo: Paz e Terra, 2010.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 43. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GADOTTI, Moacir. Interdisciplinaridade: atitude e método. 2004. São Paulo: Instituto Paulo Freire. Disponível: www.paulofreire.org. Acesso em: 06 mai. 2022.

GOMES, Candido Alberto. A escola de qualidade para todos: abrindo as camadas da cebola. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, v. 13, n. 48, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-40362005000300002.

JABLKOWSKI, Gabriela Irina; GONZÁLES, Guillermo Mario. Configurando escenas colaborativas em La escuela: aportes y experiências de mediación y diálogos facilitados. Buenos Aires: 12ntes, p. 85, 2011.

JARES, Xesús R. Educação para a paz: sua teoria e sua prática. Porto Alegre: Artmed,

LIMA, T. C. S.; MIOTO, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katál, v. 10, p. 37-45, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-49802007000300004.

MONTE, Maria Bernadete de Sousa Carvalho. Direito, Educação e Religião: em Busca de Novos Sentidos e Significados para o Ensino Religioso na Sala de Aula. Dissertação (Mestrado Ciências das Religiões) - Programa de Pós- Graduação em Ciências das Religiões, Faculdade Unida de Vitória, Vitória/ES, 2021.

NUNES, A. O. Como restaurar a paz nas escolas: um guia para educadores. São Paulo: Contexto, 2019.

POSSATO, Beatris Cristina; RODRIGUEZ-HIDALGO, Antonio; ORTEGA-RUIZ, Rosario; ZAN, Dirce Djanira Pacheco e. O mediador de conflitos escolares: experiências na América Latina. Psicologia Escolar e Educacional. São Paula, v. 20, n. 2, p. 357- 366, mai./ago. 2016. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/324658/1/S141385572016000200357.pdf. Acesso em: 18 mai. 2022. . DOI: https://doi.org/10.1590/2175-353920150202992.

ROSENBERG, Marshall B. Comunicação não-violenta: Técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais. São Paulo: Ágora, 2006.

SÍVERES, L.; LUCENA, J. I. A. L. (org.). Diálogo: uma perspectiva educacional. Brasília: Universidade Católica de Brasília, 2019.

Downloads

Publicado

2022-11-22

Como Citar

DE SOUSA CARVALHO MONTE, M. B.; DE CARVALHO MONTE AMARAL, D.; DA CUNHA LOPES, L. Uma Nova Prática Pedagógica surge a partir da Mediação: : o Diálogo Transforma Divergência em Aprendizagem. Olhares & Trilhas, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 1–16, 2022. DOI: 10.14393/OT2022v24.n.2.66517. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/66517. Acesso em: 8 dez. 2022.