Política pública de irrigação para quem?

desafios e avanços para os pequenos produtores comerciantes no perímetro irrigado de Chokwé – Moçambique

Autores

  • Boaventura Almeida Mubai Universidade Federal de Pernambuco
  • Edvânia Tôrres Aguiar Gomes Gomes Universidade Federal de Pernambuco
  • Gustavo Sobrinho Dgedge Universidade pedagógica de Mucambique/UPM

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT174603

Resumo

Neste artigo objetiva-se realçar os direcionamentos, desafios e perspectivas decorrentes da política pública de irrigação, adotadas através da Estratégia Nacional de Irrigação (ENI) para o espaço agrário do perímetro irrigado de Chókwé – Moçambique. Para esse proposito foram analisados os avanços e desafios socioeconômicos enfrentados pelos pequenos produtores agrícolas e os seus esforços para permanência nesse território em transformação. Parte-se de algumas hipóteses, destacando-se i) processos de desterritorialização dos pequenos produtores e consequente substituição por médios e grandes produtores capazes de arcar com os investimentos demandados por essas politicas; ii) despossessão e expropriação de territórios e aumento da marginalização da mão-de-obra nos perímetros; e, iii) precarização do trabalho com a transformação de pequenos produtores em trabalhadores informais, sazonais e espoliados em sua força de trabalho e conhecimento sobre aqueles espaços. A realização deste estudo foi possível através de: i) levantamento bibliográfico e de documentos oficiais que deram subsídios para uma primeira reflexão sobre a trajetória das politicas de irrigação; ii) aplicação de técnicas de observação de campo e respectivos registros, inclusive iconográfico, atualizando informações secundarias revisadas e na escala adequada; e, iii) aplicação de questionários semiestruturados, buscando combinar dados de cunho quali-quantitativo que ilustram a dinâmica das ações da politica de irrigação na área de estudo. Os resultados mostram discrepâncias entre o socialmente anunciado como benefícios para os historicamente assentados naquele território. Efetivamente se registam agravamentos de crise de sobrevivência para os pequenos produtores sem condições materiais de acesso aos “supostos benefícios”, são despossessionados e ou instados a marginalização no processo de produção e reprodução da vida através da precarização da sua sobrevivência como “operários invisíveis” de sistemas agroindustriais, nas melhores das hipóteses. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Boaventura Almeida Mubai, Universidade Federal de Pernambuco

BOAVENTURA ALMEIDA MUBAI, filho de Almeida Eugénio Mubai e de Rosa Arão Langa nasceu no dia 05 de Maio de 1982, na cidade de Xai-Xai, província de Gaza

Edvânia Tôrres Aguiar Gomes Gomes, Universidade Federal de Pernambuco

Doutorado em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo, Brasil(1997)
Professor Titular da Universidade Federal de Pernambuco , Brasil

Gustavo Sobrinho Dgedge, Universidade pedagógica de Mucambique/UPM

Doutorado em Ciências Ambientais – Universidad Alcalá de Henares, Madrid, Espanha, 2004. Professor associado da Universidade pedagógica de Mucambique/UPM, faculdade de trra e meio ambiente. 

 

Downloads

Publicado

14-07-2022

Como Citar

Mubai, B. A., Gomes, E. T. A. G., & Dgedge, G. S. (2022). Política pública de irrigação para quem? desafios e avanços para os pequenos produtores comerciantes no perímetro irrigado de Chokwé – Moçambique. Campo-Território: Revista De Geografia Agrária, 17(46 Ago.), 58–83. https://doi.org/10.14393/RCT174603

Edição

Seção

Artigos