Questão agrária, reforma agrária e a feira da agricultura camponesa no Triângulo Mineiro

Autores

  • Stéphanne Ribeiro Pinheiro Universidade Federal do Triangulo Mineiro UFTM
  • Gabriela Abrahão Masson UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIANGULO MINEIRO

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT164113

Resumo

A questão agrária brasileira é complexa e contraditória, e seu entendimento é importante para aqueles (as) que defendem a justiça social, é uma questão latente, assim como a realização da reforma agrária, ainda que enquanto política pública redistributiva, que no atual contexto foi desmontada e paralisada. Em Minas Gerais, no Triângulo Mineiro, ela se manifesta fortemente e tem mostrado a necessidade de fortalecimento da agricultura camponesa/familiar, uma vez que agronegócio aprofunda desigualdades sociais históricas nesse território. Há estudos que apontam uma crise alimentar em Uberaba e região e a presença de movimentos sociais que questionam essa realidade. Nesse contexto a partir da extensão universitária, em uma universidade pública, o objetivo desse artigo é uma análise reflexiva da Feira da Agricultura Camponesa (FAC), que ocorre na Universidade Federal do Triangulo Mineiro (UFTM), construída através do ensino, pesquisa e extensão, pela equipe multidisciplinar do programa de Extensão Fortalecendo a Agricultura Camponesa em Uberaba (FACU), ao longo dos anos de 2016 a 2019. A metodologia que subsidia esta construção é a observação participante a partir da extensão universitária, assim como pesquisa bibliográfica, documental e trabalho de campo nos assentamentos e acampamentos rurais de Uberaba e região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stéphanne Ribeiro Pinheiro, Universidade Federal do Triangulo Mineiro UFTM

BOLSISTA-EXTENSIONISTA PROJETO AGUA VIRTUAl (2016); BOLSISTA-EXTENSIONISTA PROGRAMA FORTALECENDO A AGRICULTURA CAMPONESA EM UBERABA (FACU) 2017/2019; Estágio Escola Estadual anexa à sociedade Uberabense de proteção amparo aos Menores (2017); Estágio CRAS Décio Moreira (2018); Estágio Centro de Referência especializado em Assistência Social (2019); Monitora das disciplinas Classes e Movimentos Sociais e Pesquisa Social. 

Gabriela Abrahão Masson, UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIANGULO MINEIRO

Doutora em Serviço Social pela Unesp/Franca (2016), com fomento da Capes. Mestre e graduada em Serviço Social pela Unesp/Franca (2011/2006), onde desenvolveu estudos e pesquisas com fomento da Fapesp. Especialista em Serviço Social, Famílias e Reabilitação na área da Saúde, pela Unicamp (2008), onde contou com o fomento da Fundap. Experiência profissional como assistente social no âmbito das políticas públicas, trabalho com ênfase na saúde, assistência social e questão agrária. Professora no Departamento de Serviço Social da UFTM e atuação na Residência Multiprofissional em Saúde da UFTM. Foi membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Política Social da Unesp/Franca (2012 a 2016); é membro do Grupo de Estudos Teoria Social de Marx e Serviço Social e do Núcleo de Estudos Territoriais e Agrários (Naterra). Foi membro titular da Abepss/Região Sul II (gestão 2014/2015). Coordena o Programa Interdisciplinar de Extensão Fortalecendo a Agricultura Camponesa em Uberaba (Facu) na UFTM, que desde 2016 busca fomentar a agricultura camponesa em Uberaba, por meio da extensão universitária. A equipe Facu/Naterra tem realizado ações no âmbito de ensino, pesquisa e extensão; a Feira da Agricultura Camponesa na UFTM é uma delas.

Downloads

Publicado

28-12-2021

Como Citar

PINHEIRO, S. R.; MASSON, G. A. . Questão agrária, reforma agrária e a feira da agricultura camponesa no Triângulo Mineiro . Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 16, n. 41 Ago., p. 291–317, 2021. DOI: 10.14393/RCT164113. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/63045. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)