Identidades sociais dos/as educadores/as na luta pela reforma agrária no MST

processo de territorialização do assentamento Roseli Nunes

Autores

  • Laudemir Luiz Zart a:1:{s:5:"pt_BR";s:67:"Universidade do Estado de Mato Grosso Carlos Alberto Reys Maldonado";}
  • Eliane dos Santos Martinez Paezano Universidade do Estado de Mato Grosso Carlos Alberto Reys Maldonado
  • Loriége Pessoa Bitencourt Universidade do Estado de Mato Grosso Carlos Alberto Reys Maldonado https://orcid.org/0000-0002-7643-2091

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT153815

Resumo

O artigo intitulado Identidades Sociais dos/as Educadores/as na Luta pela Reforma Agrária no MST: processo de territorialização do Assentamento Roseli Nunes, é um recorte da pesquisa defendida em 2019, no Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGEdu, Mestrado em Educação, na Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), intitulada: Formação dos/as Educadores/as do Campo e a Territorialização da Educação do Campo: concepções e práticas dos sujeitos da Escola Estadual Madre Cristina. Tem como objetivo compreender a constituição da identidade dos/as educadores/as a partir da luta pela reforma agrária junto ao MST, no processo de territorialização do Assentamento Roseli Nunes. O método empregado foi o da pesquisa-formação, que promoveu a interação entre pesquisadores/as e educadores/as. Como resultado das reflexões surgiram os conceitos de território, territorialização e territorialidade, aplicados no processo de análise das narrativas dos/as educadores/as, em seus depoimentos individuais e nos grupos colaborativos. Assim, foi tecida e compreendida a historicidade de constituição das identidades sociais no processo de territorialização nas práticas e lutas sociais da reforma agrária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

23-04-2021

Como Citar

ZART, L. L.; PAEZANO, E. dos S. M. .; BITENCOURT, L. P. . Identidades sociais dos/as educadores/as na luta pela reforma agrária no MST: processo de territorialização do assentamento Roseli Nunes. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 15, n. 38 Dez., p. 391–411, 2021. DOI: 10.14393/RCT153815. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/57363. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos