A nova cartografia social como instrumento de resistência

reflexões sobre a história de vida dos camponeses e camponesas na Luta pela Terra - MST/Goiás

Autores

  • Rejane Medeiros Almeida Universidade Federal do Tocantins
  • Murilo Mendonça Oliveira Souza Universidade Estadual de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT122712

Resumo

O presente texto tem como objetivo geral discutir, a partir do mapa cartográfico social, a história de vida das famílias acampadas no Acampamento Dom Tomás Balduíno, a luta pela terra como disputa territorial de projetos de desenvolvimento para o campo e a agroecologia como matriz produtiva e de vida. Como metodologia realizou-se rodas de conversas e diálogos de saberes com os trabalhadores e trabalhadoras Sem Terra, cujos temas abordaram: luta pela terra e agroecologia. Culminou com atividades de elaboração de uma cartografia social do processo de ocupação do território, assim como da realização de uma oficina de história de vida. O resultado da atividade indicou que homens e mulheres do acampamento vivem um processo de migração à procura de terras para produzir, e que suas histórias de vida são demarcadas pela expulsão das terras e de exploração em relação ao trabalho que fazem (vaqueiros, empregadas domésticas, entre outros), são histórias de perambulação. Mas, que também, apontam para boas lembranças de uma história de vida no campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rejane Medeiros Almeida, Universidade Federal do Tocantins

Professora da Universidade Federal do Tocantins

Murilo Mendonça Oliveira Souza, Universidade Estadual de Goiás

Professor do Curso de Geografia e do Programa de Pós Graduação em Recursos Naturais do Cerrado da Universidade Estadual de Goiás

Downloads

Publicado

18-10-2018

Como Citar

ALMEIDA, R. M.; SOUZA, M. M. O. A nova cartografia social como instrumento de resistência: reflexões sobre a história de vida dos camponeses e camponesas na Luta pela Terra - MST/Goiás. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 12, n. 27 Ago., 2018. DOI: 10.14393/RCT122712. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/39029. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos