UMA REFLEXÃO SOBRE OS DESEQUILIBRIOS EM SISTEMAS AMBIENTAIS URBANOS: ESTUDO DE CASO DA MICROBACIA DO CÓRREGO LISO NO MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA - MG

Autores

  • Álisson Riceto
  • Israel da Silva
  • Alfredo Arantes Guimarães

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG123716178

Palavras-chave:

crescimento populacional, meio urbano, degradação ambiental, microbacia hidrográfica

Resumo

As reflexões que seguem foram motivadas pelo contexto socioambiental vivido por grande parte das cidades de médio e grande porte. O crescimento dos centros urbanos, especialmente dos países pobres, é uma realidade mundial. Junto a esse processo, cresce a preocupação com os desequilíbrios ambientais que isso pode acarretar, ou mesmo agravar. O crescimento da cidade de Uberlândia nas últimas décadas, somado a uma morosidade ou ineficácia na aplicação das leis e planos municipais por parte dos órgãos públicos, tem promovido cenários de intensa degradação ambiental na área urbana desse município, que hoje tem a segunda maior população do estado. A análise da microbacia do Córrego Liso, uma das maiores em meio urbano de Uberlândia, leva à compreensão da relação entre as variáveis humanas e os desequilíbrios ambientais na construção deste espaço. Com base em pesquisas bibliográficas, como teses, dissertações e artigos, e no levantamento e tabulação de dados foi possível elaborar uma breve reflexão sobre a temática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Álisson Riceto

Licenciado e Bacharel em Geografia pelo IG da UFU, professor de ensino médio.

Israel da Silva

Licenciado em Geografia pelo IG da UFU.

Alfredo Arantes Guimarães

Bacharel em Geografia pelo IG da UFU.

Downloads

Publicado

15-03-2011

Como Citar

RICETO, Álisson; SILVA, . I. da; GUIMARÃES, A. A. UMA REFLEXÃO SOBRE OS DESEQUILIBRIOS EM SISTEMAS AMBIENTAIS URBANOS: ESTUDO DE CASO DA MICROBACIA DO CÓRREGO LISO NO MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA - MG. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 12, n. 37, p. 230–238, 2011. DOI: 10.14393/RCG123716178. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16178. Acesso em: 23 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos